Imagem da matéria: O que aconteceu com a Trader Caps, a pílula que prometia ganhos no day trade e virou piada nas redes sociais
(Foto: Divulgação)

Há cerca de um ano e meio uma nova mania começou a circular nas redes sociais. Tratava-se da propaganda de um produto que, nas entrelinhas, prometia maior performance na atividade de day trade – a compra e venda de ações, ativos e criptomoedas no mesmo dia do pregão – e, consequentemente, mais lucros no mercado financeiro.

O produto supostamente revolucionário era a pílula Trader Caps, apresentada como um complexo de vitaminas. Sua propaganda dizia: “Aumente em até sete vezes seu faturamento com o seu potencial cognitivo”.

Publicidade

Apesar das frases de efeito, a propaganda do Trader Caps não conseguiu fazer o produto decolar – pelo contrário, ele acabou virando piada na internet, com destaque negativo nas principais redes sociais.

Hoje, cerca de dezoito meses após o lançamento, o produto desapareceu das prateleiras, da internet e da mídia.

O Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária), que fiscaliza propagandas no país, determinou a interrupção da divulgação do suplemento.

O site da Trader Caps – que realizava as vendas – e o da AS Foods, responsável pelo produto, não estão mais acessíveis. O da Joy Multi Agência de Publicidade, que produziu a peça, não foi localizado.

Barulho

O Trader Caps fez barulho quando foi lançado – ainda que talvez não do modo esperado pelos criadores. Veja como a internet recebeu o Trader Caps em 2020, começando pelo comentário do especialista em finanças e cofundador da Nord Research Renato Breia.

Nos comentários do vídeo, inclusive, vários usuários pensaram se tratar de “fake”: “Claro que é mentira, não é possível que seja sério!”, escreveu DatenshiBlue. “Não é possível”, disse também o usuário Luiz Nunes.

Publicidade

O economista Pablo Spyer também fez um alerta aos potenciais consumidores.

(Imagem: Reprodução/Youtube)

A Trader Caps acabou ganhando um endosso vindo do Youtube: o do influencer de saúde Gustavo Pasqualotto, que é nutricionista e educador físico. “Adorei o produto. Recomendo!”, disse ele na época. “Por que o marketing do produto foi feito assim? Porque isso ajuda bastante a todos os traders de plantão”, completou ele. Procurado pela reportagem na época, o nutricionista não respondeu à mensagens.

“Indicações não autorizadas”

Na época, o Portal do Bitcoin procurou a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para saber se o produto poderia ser vendido sem registro, pois, de acordo com o site e um vídeo sobre o produto, tratava-se de um suplemento importado e “dispensado de registro conforme Resolução RDC n. 240/2018”. 

A Anvisa, no entanto, só tinha em mãos o site por trás do TraderCaps — www.tradercaps.com.br — que ficou indisponível um tempo depois e atualmente está offline. Segundo a agência, a partir da consulta na plataforma não foi possível encontrar a composição precisa do produto. 

“Apenas localizamos que o produto é composto por vitaminas, minerais e óleos essenciais.  Assim, não temos como afirmar se as vitaminas, minerais e os óleos presentes no produto atendem as condições de uso de nossas regras (Instrução Normativa IN 28/2018). 

Publicidade

Caso tenham mais informações sobre a composição (tabela nutricional e lista de ingredientes), favor nos encaminhar para uma análise mais detalhada.

As indicações de uso que constam no site (foco, clareza mental, capacidade cognitiva, controle das emoções, poder de concentração) não estão autorizadas para uso em suplementos alimentares e não possuem eficácia comprovada junto à Anvisa”.

Sustação

Devido à forma como as pílulas vinham sendo oferecidas, ou seja, com uma propaganda que poderia ser entendida como enganosa por associar o produto a ganhos no mercado financeiro, o Portal do Bitcoin procurou o Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária). A instituição fiscaliza propagandas veiculadas no Brasil.

A entidade então comunicou à reportagem que a peça publicitária do Trader Caps havia sido encaminhada para o Conselho de Ética da entidade, sob a relatoria do Conselheiro Hiram Baroli.

Em fevereiro de 2021, após avaliação da Sexta Câmara, o Conselho decidiu por “Sustação e Advertência”, fundamentadas nos artigos 1º, 3º, 6º, 23, 27 e 50, letras “a” e “c”, do Código e seu Anexo H.

Publicidade

No mérito, Baroli identificou vários problemas nas peças publicitárias, diz o relatório, e propôs a sustação agravada por advertência à Trader Caps, AS Foods e Joy Multi Agência de Publicidade. Seu voto foi aceito por unanimidade. As entidades citadas foram as responsáveis pela circulação e divulgação do Trader Caps, respectivamente.

Veja a decisão do Conar:

“Anúncios em redes sociais e site de Trader Caps, um suplemento alimentar, foram denunciados ao Conar por consumidor, que considerou que ele induz ao entendimento que o produto pode levar ao aumento do potencial cognitivo, em desacordo com as recomendações das autoridades sanitárias e da ética publicitária.

A AS Foods enviou defesa, dando informações sobre a natureza do produto e sobre a natureza do seu relacionamento com a agência de publicidade. Afirma acreditar que tenha havido equívoco por parte desta na apresentação do produto nas peças publicitárias.

Também a Joy Multi enviou defesa ao Conar, na qual desmente os argumentos da anunciante, sustentando que os anúncios foram previamente aprovados pela AS Foods, ainda que reconheça de forma indireta a possibilidade de algum equívoco.

O relator iniciou seu voto notando que as partes procuram se eximir, sem sucesso, de responsabilidade pelos anúncios. No mérito, ele identificou vários problemas nas peças publicitárias. Por isso, propôs a sustação agravada por advertência à Trader Caps, AS Foods e Joy Multi Agência de Publicidade. Seu voto foi aceito por unanimidade”.

Isolamento

Na época do lançamento do produto, em meados de 2020, a atividade day trade estava em alta. O mundo vivia a maior crise sanitária em décadas, a epidemia de Covid-19, com lockdowns e pessoas isoladas em casa. Grosso modo, milhares de pessoas começaram a adentrar ao mundo das finanças à procura de uma renda extra.

Publicidade

E foi com o day trade que muitas se identificaram. Surgiram então vários “especialistas” da área — diga-se vendedores de cursos e charlatães — prometendo ensinar a novatos como se tornar milionário. A maioria das pessoas, contudo, não sabia que lucrar no day trade é algo que acontece somente para a minoria. Um estudo da FGV (Fundação Getúlio Vargas) mostra que apenas 1% dos day traders conseguem sucesso no mundo das finanças – ou seja, 99% não obtêm lucro.

Veja o anúncio original do Trader Caps.

VOCÊ PODE GOSTAR
Rafael Rodrigo , dono da, One Club, dando palestra

Clientes acusam empresa que operava opções binárias na Quotex de dar calote milionário; dono nega

Processos judiciais tentam bloquear R$ 700 mil ligados à One Club, empresa de Rafael Rodrigo
Celular com logotipo da Receita Federal sobre notas de reais

Receita alerta sobre golpe do “erro na declaração” do Imposto de Renda; veja como se proteger

Os criminosos informam supostos erros em declarações para induzir a vítima a baixar um arquivo malicioso
Glaidson Acácio dos Santos, o "Faraó do Bitcoin"

Livro sobre a ascensão e a queda do “Faraó do Bitcoin” chega às livrarias em maio

Os jornalistas Chico Otávio e Isabela Palmeira contam sobre o golpe de R$ 38 bilhões do Faraó do Bitcoin que usou criptomoedas como isca
Imagem da matéria: Fundos de criptomoedas do Brasil captam mais R$ 50 milhões na semana

Fundos de criptomoedas do Brasil captam mais R$ 50 milhões na semana

Fundos cripto brasileiros ficam pela segunda semana consecutiva atrás apenas dos EUA em captação