Imagem da matéria: Influencer de saúde promove pílula que promete melhorar lucros no day trade
Nutricionista e preparador físico Gustavo Pasqualotto promovendo o Tradercaps. Imagem: Reprodução/Youtube

“Adorei o produto. Recomendo!”, disse o influencer de saúde Gustavo Pasqualotto, que é nutricionista e educador físico. Em vídeo recente publicado nas redes sociais, Pasqualotto promove um complexo de vitaminas chamado Tradercaps. O produto, que promete melhorar a perfomance no day trade, foi ridicularizado no mercado.

O produto está sendo vendido para day traders no Brasil sem autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Publicidade

“Eu acho que para quem precisa se concentrar melhor, para quem quer ter o raciocínio um pouco melhor, pode confiar no produto que vai te ajudar”, afirmou o influencer que possui cerca de 140 mil seguidores no Instagram.

Na semana passada, o Tradercaps se tornou piada na internet brasileira por prometer aumentar os ganhos em até 7x “com o seu potencial cognitivo”. 

Diante da repercussão, o Portal do Bitcoin solicitou um parecer da Anvisa sobre o Tradercaps. A agência reguladora disse que não foi possível encontrar a composição precisa do produto no site de venda.

Contudo, a Anvisa, cuja função é promover a proteção da saúde da população, adiantou que:

“As indicações de uso que constam no site (foco, clareza mental, capacidade cognitiva, controle das emoções, poder de concentração) não estão autorizadas para uso em suplementos alimentares e não possuem eficácia comprovada junto à Anvisa”.

Provavelmente por se tratar de um produto novo no mercado, a agência disse:

“Não temos como afirmar se as vitaminas, minerais e os óleos presentes no produto atendem as condições de uso de nossas regras (Instrução Normativa IN 28/2018).

Publicidade

Aliás, a empresa por trás do TraderCaps afirma em seu site que a venda do produto está ancorada por lei:

“O Tradercaps possui uma fórmula exclusiva e natural, sendo considerado um suplemento, assim dispensado de registro conforme Resolução RDC n. 240/2018”.

“Ajuda traders de plantão”

Sobre o produto, cuja propaganda parece querer impor uma “nova forma de investir”, Pasqualotto diz que aquele vídeo era para falar de “uma coisa que chegou aqui em casa”, se referindo ao Tradercaps. No entanto, ele não diz que comprou.

O nutricionista afirmou também que faz trade e que quando não está no consultório está operando em casa.

Sobre o marketing produto, que inclusive tem a peça publicitária sendo analisada pelo Conar, Pasqualotto argumentou:

“Por que o marketing do produto foi feito assim?”, questionou, acrescentando:

“Porque isso ajuda bastante a todos os traders de plantão”.

Procurado pela reportagem, nutricionista não respondeu até a publicação deste texto.

Comercial virou meme

Na semana passada, o comercial do produto virou piada na internet brasileira. Não o produto em si,  mas a associação dele a ganhos no day trading.

Publicidade

Isso porque a forma como as pílulas vêm sendo oferecidas pode ser entendida como uma propaganda enganosa por associá-lo a ganhos no mercado financeiro.

As frases no vídeo são apelativas: “potencializa seus ganhos com Tradercaps”; “ganhe dinheiro com o máximo de sua mente”.

No site não é diferente: “a revolução da mente humana chegou ao mercado brasileiro: a primeira pílula focada na alta performance de um Trader!”.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem de Glaidson Acácio dos Santos, mais conhecido como Faraó do Bitcoin

Gilmar Mendes mantém prisão de Glaidson Acácio dos Santos, criador da GAS Consultoria

A defesa do ‘Faraó do Bitcoin’ alegou problemas psiquiátricos e uso de medicamento controlado, além de questionar a jurisdição acerca da competência para os processos
Fachada do MPDFT - Facebook

PM que atraía colegas de farda para pirâmide com criptomoedas é alvo do MP do DF

O policial militar e um grupo suspeito de pessoas e empresas teriam aplicado um golpe de R$ 4 milhões; alvos do MPDFT são do DF e GO
Fotos dos equipementos de mineração de criptomoedas operados com furto de eletricidade em Canela, RS

Polícia Civil do RS fecha fazenda de mineração de criptomoedas que lucrava R$ 400 mil por mês

Além de crime de furto de energia, casal preso responderá por porte ilegal de arma e lavagem de dinheiro
moeda e notas pendurada em um varal

Operação contra maior milícia do RJ revela que suspeitos compravam Bitcoin para lavar dinheiro

Fonte do dinheiro movimentado pelos suspeitos seria oriundo de grilagem de terras, extorsão contra comerciantes e exploração do transporte