Imagem da matéria: Negociação de criptomoedas subiu 231% na Rússia e 107% na Ucrânia desde o início da guerra
Foto: Shutterstock

A guerra que se desenrola no leste europeu está tendo um efeito nítido no mercado de criptomoedas, principalmente nos dois países envolvidos: Rússia e Ucrânia.

Desde que a guerra começou no dia 24 de fevereiro, as negociações de criptoativos no território russo aumentaram 231%, segundo dados da CoinShares divulgados na quinta-feira (10).

Publicidade

Neste intervalo de três semanas, os ucranianos também recorreram aos criptoativos, gerando um aumento de 107% no volume de negociação desde o início do confronto com o país vizinho.

Os cidadãos de ambos os países usam criptomoedas de formas diferentes e, como é possível ver no gráfico abaixo, o uso dessa alternativa é muito mais intenso na Rússia.

Volume de criptomoedas negociadas na Rússia e Ucrânia
Volume de criptomoedas negociadas na Rússia e Ucrânia (Fonte: CoinShares)

“Quando os tempos são desesperadores e onde os bancos não funcionam corretamente, muitas vezes é altamente arriscado transportar dinheiro físico. Este é o caso de muitos ucranianos e russos atualmente. Os criptoativos são vistos como uma alternativa atraente”, escreveu James Butterfill, líder de pesquisa da CoinShares.

A Rússia é bombardeada por sanções econômicas desde que invadiu o território ucraniano, algo que faz o rublo russo enfrentar uma forte desvalorização. Esse é um dos fatores que incentiva os russos a buscar proteção tanto no bitcoin como em criptomoedas lastradas ao dólar.

Publicidade

Rússia e Ucrânia viram os volumes diários de negociação subirem para US$ 80 milhões por dia. A maior parte dessas movimentações acontecem com as stablecoins Tether (USDT) e Binance USD (BUSD). Além disso, um volume significativo de bitcoin e Ethereum (ETH) também foi notado na análise.

Criptomoedas mais usadas desde o início da guerra
Criptomoedas mais usadas desde o início da guerra (Fonte: CoinShares)

“Acreditamos que as criptomoedas estão sendo usadas como proteção contra a queda de moedas domésticas e por sua portabilidade, particularmente importante para refugiados ucranianos, permitindo que eles cruzem fronteiras sem o risco de confisco/roubo de seus ativos”, explicou Butterfill.

Como russos e ucranianos usam criptomoedas

Além do quesito de proteção, as criptomoedas também são úteis para a população atingida pela guerra ao facilitar o trânsito livre de dinheiro. Por essa razão, o governo ucraniano começou a pressionar as corretoras de criptomoedas a bloquear contas de russos.

Inicialmente, o vice-primeiro-ministro ucraniano Mykhailo Fedorov, ofereceu uma recompensa “generosa” para quem ajudasse a identificar carteiras cripto de políticos russos e bielorrussos.

Publicidade

Em seguida, Fedorov passou a pedir que as exchanges bloqueassem as contas de todos os russos, até mesmo da população comum. Esse pedido, no entanto, não foi bem recebido pelas empresas do setor.

Binance e Kraken se negaram a bloquear contas de milhares de clientes inocentes. Já a Coinbase disse que só faria bloqueios se fosse obrigada pelo governo americano — algo que veio a acontecer posteriormente.  

No início da semana, a Coinbase bloqueou mais de 25 mil endereços ligados à Rússia que acreditava estarem associados a atividades ilícitas e escapando das sanções impostas desde o início da guerra.

“Sanções têm um papel vital em promover a segurança nacional e reprimir agressões ilegais e a Coinbase apoia completamente essas iniciativas por autoridades governamentais”, disse na ocasião o diretor-jurídico da corretora, Paul Grewal.

Se por um lado as autoridades se preocupam que russos estejam usando criptomoedas para fugir das sanções, o governo ucraniano adotou os ativos digitais para arrecadar doações. A estimativa da Elliptic é que a Ucrânia já recebeu US$ 63 milhões em criptomoedas de apoiadores ao redor do mundo até quarta-feira (9).

Publicidade
VOCÊ PODE GOSTAR
logo da uniswap com gráficos ao fundo

A semana no Cripto Twitter: Uniswap na mira da SEC e a febre do Bitcoin Runes

O drama jurídico manteve os usuários cripto nervosos esta semana, enquanto a estreia das memecoins em Bitcoin trouxe alguma empolgação
Imagem da matéria: PF prende hacker que vendia dados de 223 milhões de brasileiros por criptomoedas

PF prende hacker que vendia dados de 223 milhões de brasileiros por criptomoedas

“Vandathegod” foi responsável pelo maior vazamento de dados da história do Brasil
Imagem da matéria: Entenda os planos do governo para mudar a tributação de criptomoedas no Brasil

Entenda os planos do governo para mudar a tributação de criptomoedas no Brasil

Caso a lei seja aprovada, os ganhos com criptomoedas serão tributados por meio do sistema de alíquota de renda variável
Uniswap, venture, criptomoedas, investimentos, web3

Manhã Cripto: Token da Uniswap despenca 17% após alerta de processo da SEC e Bitcoin recupera os US$ 70 mil

CEO da Uniswap, Hayden Adams, disse não estar surpreso, “apenas irritado, desapontado e pronto para lutar”