moeda de bitcoin sendo destruída
Shutterstock

A sexta-feira (19) é de fortes perdas para os mercados de criptomoedas e de ações, mais uma vez sob o peso de um cenário de juros mais altos na economia global. Nas últimas 24 horas, o Bitcoin (BTC) opera em queda de 7,3%, cotado a US$ 21.769,96, segundo dados do CoinGecko.  

A maior criptomoeda por valor de mercado chegou a cair para US$ 21.500, o menor nível desde 27 de julho, de acordo com o CoinDesk. No Brasil, o Bitcoin mergulha 6,6%, cotado a R$ 113.569,08, segundo o Índice do Portal do Bitcoin (IPB).   

Publicidade

O Ethereum (ETH), a segunda maior criptomoeda, recua 6%, negociado a US$ 1.739,76. 

As principais altcoins também operam com fortes perdas como Binance Coin (-7,7%), XRP (-9,1%), Cardano (-12,8%), Solana (-11,7%), Dogecoin (-13,9%), Polkadot (-11,6%), Shiba Inu (-12,6%) e Alavanche (-13,7%).  

Outra stablecoin perdeu a paridade com o dólar: a HUSD chegou a cair quase 15% na quinta-feira (18), segundo dados do CoinMarketCap. Emitida pela Stable Universal, de Hong Kong, a stablecoin entrou em queda livre após a FTX deslistar o token da plataforma. 

Bitcoin hoje 

O Bitcoin reverte o rali que foi impulsionado pelos dados abaixo do esperado da inflação ao consumidor nos EUA em julho. Os números animaram os mercados, que eram guiados pela expectativa de um aperto monetário mais leve na maior economia do mundo. 

Mas, nesta sexta, investidores globais reagem a comentários de autoridades do Federal Reserve, o banco central dos EUA, que confirmam a determinação de frear os preços – o que pode significar juros mais altos nos EUA. Também reforçam as apostas em aumentos dos juros por outros bancos centrais globais. 

Publicidade

Dois diretores que votam no Comitê Federal de Mercado Aberto – James Bullard, de St. Louis, e Esther George, de Kansas City – enfatizaram que o banco central dos EUA continuará a aumentar os juros até que a inflação recue para a meta de 2%. 

“O rali que o trouxe de volta a US$ 25 mil perdeu impulso considerável, e isso pode começar a pesar mais no preço” do Bitcoin, disse Craig Erlam, analista sênior de mercado da Oanda, em nota à Bloomberg. “Um movimento abaixo de US$ 22.500 pode sugerir que o rali terminou seu curso por enquanto.” 

Investidores agora focam no simpósio anual do banco central dos EUA em Jackson Hole, Wyoming, na próxima semana para conseguir mais pistas sobre o rumo da política monetária. 

Fusão do Ethereum 

Os principais desenvolvedores que trabalham na tão esperada atualização de software da blockchain Ethereum marcaram 15 de setembro como a provável data oficial da chamada Fusão

Publicidade

Essa é provavelmente a previsão final para o momento da atualização, que tornará a rede mais eficiente em termos de energia, de acordo com informações de uma teleconferência de um desenvolvedor na quinta-feira divulgadas pela Bloomberg. 

ETHPoW, o novo token proposto por mineradores que apoiam a bifurcação da rede após a Fusão, mostra queda em torno de 60% desde seu lançamento na corretora Poloniex em 8 de agosto, de acordo com o CoinMarketCap. 

Empresas de criptomoedas em crise

A plataforma de crédito cripto Hodlnaut, de Singapura, informou que está sob investigação policial, segundo informações publicadas nesta sexta-feira (19) no blog da empresa. A startup demitiu 40 funcionários, ou cerca de 80% da equipe, desde que travou saques de clientes no começo do mês. 

Autoridades do governo dos EUA pediram que um auditor independente seja indicado para investigar o colapso da plataforma de empréstimos cripto Celsius Network. Seria um tipo de investigação anteriormente conduzido em reestruturações de empresas como Enron e Lehman Brothers, de acordo com o CoinDesk

Destaques das criptomoedas

Em parceria com o banco de câmbio Travelex, a Ripple lançou no Brasil seu sistema de envio e recebimento de dinheiro entre países. Por meio do chamado On Demand Liquidity (ODL, sigla em inglês de liquidez sob demanda), a empresa de soluções blockchain busca desburocratizar e, principalmente, acelerar as remessas internacionais.  

Publicidade

O ODL utiliza o token XRP, da Ripple, como ponte com a moeda fiduciária. Inicialmente, as conversões cripto serão feitas no México por meio da corretora Bitso. Mas, no futuro, o plano é converter a cripto no Brasil com uma exchange regulada, disse ao Portal do Bitcoin Brad Garlinghouse, CEO da Ripple, que aguarda a aprovação do marco regulatório no país para dar esse passo. 

Outra empresa que reforça a aposta no setor de criptoativos brasileiro é o Mercado Livreque na quinta-feira (18) anunciou sua própria moeda, a Mercado Coin. Com preço inicial de US$ 0,10, o ativo poderá ser adquirido por meio da ferramenta do Mercado Pago, onde clientes já podem comprar e vender Bitcoin, Etehereum e a stablecoin USDP. Também será possível receber Mercado Coin como cachback por compras realizadas no Mercado Livre. Após a estreia no Brasil, a empresa pretende levar o sistema a outros países da América Latina. 

Inicialmente não iremos listar a Mercado Coin em nenhuma ‘exchange’ externa. É um lançamento controlado. Temos um pool de liquidez centralizado para a moeda”, disse Guilherme Cohn, gerente sênior de desenvolvimento corporativo do Mercado Livre, em entrevista ao Valor.  

A plataforma de negociação Robinhood reduziu o valor da aquisição da fintech britânica Ziglu em mais da metade, de US$ 170 milhões para US$ 72,5 milhões, em meio à turbulência enfrentada por startups cripto. O CEO da Ziglu, Mark Henderson, disse ao The Block que o novo acordo foi assinado e aprovado pelo conselho. 

A emissora de stablecoin Tether fechou uma parceria com a BDO Italia, braço da quinta maior empresa de contabilidade do mundo, para emitir relatórios de garantia e atestado de suas reservas. A Tether trabalhava anteriormente com duas firmas de contabilidade das Ilhas Cayman, Moore Cayman e MHA Cayman. 

O CME Group, uma das maiores operadoras de bolsa de futuros do mundo, disse na quinta-feira (18) que planeja lançar opções para contratos futuros de Ethereum em 12 de setembro, pendente de revisão regulatória, informou o Wall Street Journal. 

Publicidade

Venture Capital 

A Koibanx, uma empresa latino-americana de tokenização de ativos, levantou US$ 22 milhões em uma rodada de financiamento da Série A, informou a empresa na quinta-feira. A rodada foi liderada pelo protocolo blockchain Algorand, e contou com a participação de Borderless Capital, Kalonia Venture Partners, G2, Innogen Capital, entre outros. 

Flow, uma nova startup imobiliária residencial fundada pelo ex-CEO da WeWork Adam Neumann, vai lançar uma carteira digital que pode armazenar tokens, além de moedas fiduciárias, de acordo com a Forbes. Neumann acaba de receber um investimento de US$ 350 milhões da Andreessen Horowitz (a16z) para sua startup, que busca transformar o mercado imobiliário de aluguel residencial, segundo informações do New York Times

Node Capital e Digital Currency Group colideraram uma rodada de financiamento inicial de US$ 5 milhões para a dWallet Labs, de acordo com o CoinDesk. A dWallet Labs é uma empresa de segurança de blockchain que desenvolve projetos para a Odsy Network, uma nova rede de camada 1 focada em carteiras cripto descentralizadas com permissões de acesso personalizáveis. 

Regulação e CBDCs 

A diretora de assuntos regulatórios do Mercado Bitcoin (MB), Juliana Facklmann, está coordenando um subgrupo de estudos sobre criptoativos e finanças descentralizadas (DeFi) dentro do GT Fintech, do Laboratório de Inovação Financeira (LAB), fórum criado por meio da parceria entre a Associação Brasileira de Desenvolvimento (ABDE), o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e Comissão de Valores Mobiliários (CVM). 

“Nosso objetivo é ouvir o mercado e trazer modelos teóricos, pesquisas, trabalhos e inovações sobre o mercado cripto no Brasil, utilizando esse conteúdo para o mercado financeiro e de capitais, em um modelo bem semelhante com grupos de trabalho que acontecem mundo afora”, explicou Facklmann. 

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Netodisse em painel do BTG Pactual na quinta-feira (18) que não acredita que a moeda digital (CBDC) do BC vá ajudar pagamentos transfronteiriços, porque diversas autoridades monetárias têm estudado modelos diferentes, segundo o Estadão. 

Nos EUA, deputados pediram dados a quatro empresas de mineração de criptomoedas para entender os impactos ambientais da tecnologia blockchain. O Comitê de Energia e Comércio da Câmara enviou cartas à Core Scientific, Marathon Digital Holdings, Riot Blockchain e Stronghold Digital Mining na quarta-feira (17), informou o The Block. E no Texas, mineradores estão sendo pagos para não minerar Bitcoin. 

A SBI Holdings, a maior corretora online do Japãoanunciou que vai encerrar as operações de mineração de criptomoedas na Rússia, em meio à ameaça de sanções dos EUA. 

A Nigéria, que conseguiu apenas 840 mil usuários de sua moeda digital desde outubro, busca aumentar a adoção da E-Naira em quase 10 vezes nos próximos 12 meses, de olho em pessoas sem contas bancárias, conforme a Bloomberg. 

No Canadá, bancos e seguradoras devem limitar sua exposição a criptoativos a uma pequena fração de seu capital sob novas regras provisórias do regulador financeiro do país. 

Cibersegurança 

A Binance foi o destino de parte das criptomoedas que a empresa brasileira BlueBenx alega terem sido roubadas ao cair em um suposto golpe, que a levou a bloquear saques de clientes desde 11 de agosto. A maior exchange cripto do mundo teria recebido o equivalente a R$ 1,1 milhão em tokens da stablecoin USDT, segundo apurado pelo Portal do Bitcoin com rastreamento on-chain. A BlueBox diz que foi vítima de um farsante que se disfarçou como funcionário de outra companhia, a corretora Bitrue. 

A Binance não quis comentar o caso da BlueBenx, se limitando a afirmar que “atua em total colaboração com as autoridades locais, incluindo em eventuais investigações, para coibir que pessoas mal-intencionadas utilizem a plataforma”. 

O cassino online Blaze afirmou que não rouba saldos de clientes e que as dificuldades de saques muitas vezes ocorrem por incompatibilidade dos dados fornecidos no cadastro com os pedidos no momento da transferência. A empresa entrou em contato com a reportagem do Portal do Bitcoin por meio de uma notificação extrajudicial. 

Clientes do Blaze têm alegado irregularidades como saldos zerados nas contas, e a empresa acumula reclamações de consumidores: já é a 11ª em queixas no Reclame Aqui. 

Metaverso, Games e NFTs 

O Dapper Labs anunciou na quinta-feira (18) que a NFL All Day, plataforma de colecionáveis na forma de tokens não fungíveis (ou NFTs) licenciada pela liga de futebol americano NFL, abriu as portas para todos os colecionadores após uma longa fase privada de testes. 

O aplicativo de estilo de vida Web3 Stepn vai lançar uma coleção NFT de tênis em parceria com o clube de futebol Atlético de Madrid e com a exchange de cripto WhaleFin, conforme o CoinDesk.

VOCÊ PODE GOSTAR
Homem preso com as mãos algemadas nas costas

Polícia do Rio prende suspeitos de integrar quadrilha especializada em golpes com criptomoedas

Operação ‘Investimento de Araque’ foi deflagrada nos estados do Rio, Amazonas e Pará; suspeitos movimentaram mais de R$ 15 milhões em dois anos
Rio de Janeiro

ABcripto e Invest.Rio firmam acordo de cooperação para impulsionar educação financeira no Rio de Janeiro

Acordo prevê iniciativas que incluem intervenções educacionais, pesquisas, eventos, workshops, concursos, campanhas e cursos
Imagem da matéria: Venda contínua de Bitcoin por mineradores faz reservas caírem para nível mais baixo em 3 anos

Venda contínua de Bitcoin por mineradores faz reservas caírem para nível mais baixo em 3 anos

Dados mostram que as reservas atuais dos mineradores estão em torno de 1,82 milhão de bitcoins
Celular com logotipo da BInance

Binance vai distribuir US$ 2 milhões para tentar apaziguar traders deixados de fora de airdrop

Iniciativa ocorre após usuários antigos do ZKsync Era terem ficado de fora da distribuição de tokens