Imagem da matéria: Golpe usa hard fork da LUNA que não aconteceu para criar token e roubar investidores
Foto: Shutterstock

A confusão que se instaurou no mercado sobre o destino do ecossistema da Terra (LUNA) — que pode envolver a criação de uma nova criptomoeda — abriu uma brecha para o ataque de golpistas.

Os investigadores da empresa de segurança blockchain PeckShield anunciaram nesta quarta-feira (18) que identificaram pelo menos duas fraudes novas que surgiram nas últimas 24 horas, orquestradas por golpistas se passando pela equipe oficial da Terra.

Publicidade

A primeira foi a criação de uma shitcoin chamada Terra Luna Classic (LUNC). Esse é o mesmo nome sugerido por Do Kwon, o criador da Luna, para a versão antiga do token caso seja aprovada a proposta de hard fork que vai resultar na criação de uma nova criptomoeda — que permanecerá sendo chamada de Luna.

De acordo com o alerta do PeckShield, o token LUNC que começou a circular nesta quarta-feira (18) na BNB Chain não passa de um golpe honeypot.

Esse golpe, que pode ser traduzido para “pote de mel”, visa atrair pessoas para um esquema usando um atrativo, como o aumento artificial dos preços, e impedir que os usuários sejam capazes de sair. 

No caso visto hoje, o contrato inteligente por trás do LUNC não deixa que os usuários vendam o token no mercado após a sua aquisição.

Publicidade

Sem que nenhum investidor seja capaz de vender a moeda, o preço começa a subir e, como consequência, mais pessoas são atraídas ao esquema com a valorização artificial do ativo.

Quando o LUNC começou a circular na madrugada desta quarta, seu preço inicial era US$ 0,000015, segundo o Poocoin. Às 10h da manhã, sua cotação já batia US$ 0,0006 — uma falsa valorização de 3.900% em poucas horas.

Moeda fraudulenta mostra falta valorização de 3.900% em poucas horas (Fonte: Poocoin)
Moeda fraudulenta LUNC mostra uma valorização artificial de 3.900% em poucas horas (Fonte: Poocoin)

No Twitter, a página que está promovendo o golpe já tem 15,6 mil seguidores. “PeckShield detectou que o Terra Luna Classic (LUNC) é é honeypot. *NÃO* seja vítima disso! Terra 2.0 (ou não) ainda está em Votação Preliminar”, alertou a empresa de segurança.

Mesmo que o LUNC acabe surgindo no mercado caso o hard fork proposto por Do Kwon seja aprovado — algo que pode não acontecer devido a grande rejeição da comunidade — a nova moeda oficial só iria entrar em circulação no dia 27 de maio, quando a atualização seria executada. 

Publicidade

Cuidado com o phishing 

A PeckShield também identificou que o site v2terra.com  está aplicando um golpe de phishing ao se passar pela equipe oficial da criptomoeda Luna.

Neste tipo de golpe, o usuário é enganado a fornecer seus dados aos golpistas. No meio cripto, esses sites geralmente forçam o usuário a vincular suas carteiras nas plataformas para usar os serviços ou ganhar um token de graça.

Ao fornecer o acesso aos golpistas, no entanto, o investidor tem seus fundos roubados da carteira. v”2terra[.]com is a site phishing. *NÃO* conecte sua carteira”, alertou a PeckShield.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Volume de negociação de 'Notcoin' ultrapassa US$ 1 bilhão no maior airdrop de jogos de 2024

Volume de negociação de ‘Notcoin’ ultrapassa US$ 1 bilhão no maior airdrop de jogos de 2024

Jogo Notcoin, baseado no Telegram, lançou mais de 80 bilhões de tokens para cerca de 35 milhões de jogadores em um airdrop
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin se estabiliza acima de US$ 67 mil; Ethereum atinge US$ 3 mil em semana decisiva para ETFs

Manhã Cripto: Bitcoin se estabiliza acima de US$ 67 mil; Ethereum atinge US$ 3 mil em semana decisiva para ETFs

A semana promete ser agitada à medida que chega o prazo final para a SEC decidir se aprova ou rejeita o lançamento de ETFs de Ethereum à vista
sob notas de dólares estão moedas de bitcoin, ethereum, ao lado de celular com logo FTX

FTX apresenta proposta para devolver aos clientes 118% dos fundos perdidos

Empresa afirma que caso o plano seja aprovado pela corte, os pagamentos serão feitos em até 60 dias
Pessoa inserindo chip no celular

Justiça manda TIM pagar R$ 21 mil a cliente que teve celular clonado e perda de criptomoedas

A partir da clonagem do celular, os invasores tiveram acesso ao email e posteriormente a uma carteira cripto na Binance