Imagem da matéria: Criador da LUNA quer fazer hard fork para salvar criptomoeda e matar stablecoin UST
Foto: Shutterstock

Do Kwon tem um plano para tentar reviver o ecossistema Terra e sua criptomoeda LUNA: abandonar a rede atual e a stablecoin UST.

O sul-coreano fundador da Terraform Labs defendeu nesta segunda-feira (16) que a blockchain da Terra precisa passar por um hard fork que irá dividir a atual rede em duas. A versão antiga passará a se chamar ‘Terra Classic’ e a nova, apenas ‘Terra’.

Publicidade

Com uma nova versão da blockchain adotada, uma nova criptomoeda surge no mercado e fica com o nome de Luna, enquanto o token antigo passa a ser chamado de Luna Classic, com o símbolo LUNC.

No novo ecossistema Terra, UST fica abandonado na cadeia antiga e a versão renovada da Terra deixa de contar com uma stablecoin algorítmica.

“Terra é mais do que UST”, escreveu Kwon. “Embora o UST tenha sido a narrativa central da história de crescimento da Terra no ano passado, a distribuição de UST levou ao desenvolvimento de um dos ecossistemas de desenvolvedores mais fortes em cripto e que vale a pena ser preservado”.

Caso a proposta seja aprovada pela comunidade na votação desta quarta-feira (18), o hard fork que vai gerar a nova cadeia da Terra acontece na próxima sexta-feira (27).

Publicidade

Distribuição da nova versão da LUNA

No cenário em que o hard fork seja aprovado, a nova versão da Luna vai ser distribuída em airdrops focados nos detentores da moeda.

Segundo a proposta de Do Kwon, Luna vai ser distribuída de graça para detentores e usuários que fazem staking da atual versão da moeda; para os detentores de UST e para os desenvolvedores de aplicativos essenciais da Terra.

A carteira da Terraform Labs não entrará nesse airdrop, “tornando Terra uma rede totalmente de propriedade da comunidade”, segundo Kwon.

Os tokens serão distribuídos para os usuários que tinham Luna e UST na carteira no momento do snapshot – registro das carteiras e seus montantes em um determinado espaço de tempo.

Publicidade

Serão tirados dois snapshots para determinar a distribuição dos tokens: o primeiro registro “pre-attack” será do bloco 7544914 do dia 7 de maio, e o “launch” será o bloco 7790000, minerado no dia 27 de maio.

Ao todo, serão 1 bilhão de tokens Luna emitidos na nova versão da blockchain, distribuídos dessa forma:

25% – pool da comunidade, controlado por governança

1% – alocação de emergência para desenvolvedores essenciais (sem travamento)

4% – desenvolvedores essenciais  

35% – detentores com Luna (menos a carteira da Terraform Labs) no snapshot “pre-attack” 

10% – detentores de Luna (derivados de staking incluídos) no snapshot “launch” 

25% – detentores de UST no snapshot “launch”  

Para impedir que aconteça um despejo de tokens no mercado após o lançamento, a proposta estabelece que os novos detentores terão as moedas travadas (cliff) por um ano.

“Nós acreditamos que essa distribuição de tokens, além dos melhores esforços do LFG para ajudar os detentores de UST, resolve melhor os diversos interesses e preferências de tempo para cada grupo de partes interessadas e, mais importante, cria o caminho mais viável para reviver o ecossistema Terra”, concluiu Do Kwon.

VOCÊ PODE GOSTAR
busto de homem engravatado simulando gesto de pare

CVM proíbe corretora de forex e criptomoedas de captar clientes no Brasil

O órgão determinou, sob multa, a imediata suspensão de qualquer oferta pública de valores mobiliários pela Kaarat
Imagem da matéria: Toncoin (TON) valoriza  40% na semana e ameaça ultrapassar Dogecoin

Toncoin (TON) valoriza 40% na semana e ameaça ultrapassar Dogecoin

Uma possível IPO do Telegram contribuiu para o recente aumento no preço do TON, fortalecendo sua posição entre os maiores tokens do mercado
Receita Federal, greve, Imposto de Renda, IR 2022

Receita Federal fará consulta pública para atualizar regras de declaração de criptomoedas

Receita Federal quer alinhar a Instrução Normativa 1.888/2019 com o modelo internacional de declaração de ativos digitais
Paolo Ong, da SEC Filipinas

Termina prazo para saída da Binance das Filipinas e reguladores avisam: “Não há como sacar fundos após bloqueio”

“Não podemos endossar nenhum método de como retirar seu dinheiro agora que a ordem de bloqueio foi emitida”, disse o regulador filipino