Imagem da matéria: Ex-capitão da Seleção Brasileira promove empresa com indícios de pirâmide financeira com bitcoin
Cafu em vídeo de apoio à empresa (Foto: Reprodução/Facebook)

O ex-capitão da Seleção Brasileira de Futebol Cafu promoveu uma empresa de investimentos chamada Arbcrypto e que promete rendimentos diários até 2,5% ao dia. Típico de esquemas de pirâmide financeira, a plataforma diz que o lucro é oriundo da arbitragem com bitcoin

Em um vídeo no canal da empresa no Facebook, Cafu chegou a se apresentar como embaixador do negócio: “Capitão na área, hoje embaixador da Arbcrypto”.

Publicidade

Ele promoveu um encontro entre os associados chamado ‘ArbFest’, que aconteceu em agosto deste ano.

A Arbcrypto já tem recebido reclamações no Reclame Aqui por falta de pagamento. Há mensagens registradas há mais de uma semana e que ainda não foram respondidas. 

Já tenho mais de 50 dias esperando o valor do saque”, diz um investidor de Salvador (BA), que direciona a mensagem ao presidente da empresa, Alexandre Kwok.

“Alexandre Kwok, devolva meu dinheiro. Na coletiva de imprensa você disse que a ArbCrypto era uma empresa séria que se comprometia com seus afiliados, e agora some com o dinheiro de todo mundo!”, completou.

Indícios de pirâmide financeira

A Arbcrypto, cuja sede fica em Belize, na América Central, diz ser uma empresa de soluções de tecnologia focada no desenvolvimento de ferramentas especiais para o mercado de criptomoedas

Publicidade

Ela se descreve assim:

“Arbcrypto está aberta a pessoas ambiciosas que gostariam de fazer parte de nossos altos lucros diariamente por meio de uma forte rede de contatos operada por uma equipe operacional altamente qualificada”.

O negócio, no entanto, é uma plataforma que diz “compartilhar resultados financeiros positivos nos negócios de arbitragem de criptomoedas por meio de um robô chamado ‘Arbitron’.

Isso lembra os robôs da Atlas, o ‘Quantum’, e da DD Corporation, que tem o ‘Next’.

A empresa ainda oferece um bônus de 10% por cada indicação, um bônus binário e vários prêmios para quem alcançar metas, que são viagens, cruzeiros, carros de luxo, entre outros.

Reprodução/Roadmap Arbcrypto

Cafu, Ronaldinho e pirâmide

Supondo que o ex-capitão da Seleção não conheça muito o mercado de criptomoedas, ele pode acabar manchando o seu nome assim como aconteceu com Ronaldinho Gaúcho.

Publicidade

Ronaldinho proveu pelo menos dois negócios suspeitos, LBLV (alvo na CVM) e 18K (alvo no Ministério Público e na CVM). Fora o seu próprio negócio, no ano passado, com a ‘Ronaldinho Soccer Coin (RSC)’, uma criptomoeda que não vingou.

Há duas semanas, Ronaldinho Gaúcho depôs no Ministério Público de São Paulo (MPE-SP), na cidade de Barueri, como testemunha no caso da 18K Ronaldinho.

O MP recebeu uma denúncia de prática de pirâmide e a empresa passou a ser investigada por oferecer rendimentos de até 2% ao dia.


BitcoinTrade: Depósitos aprovados em minutos!

Cadastre-se agora! Eleita a melhor corretora do Brasil. Segurança, Liquidez e Agilidade. Não perca mais tempo, complete seu cadastro em menos de 5 minutos! Acesse: bitcointrade.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
Ilustração mostra mãos robótica segurando moeda de Bitcoin

Criptomoedas e IA podem adicionar US$ 20 trilhões ao PIB global até 2030, diz Bitwise

Analista da Bitwise avalia que existe um grande potencial de sinergia entre protocolos de criptomoedas e soluções envolvendo inteligência artificial
Um pessoa acompanha um gráfico de alta com o dedo indicador gŕadico de alta

Analistas indicam 3 criptomoedas que podem disparar em meio a queda do Bitcoin

Analistas da Fairlead Strategies produziram um gráfico de rotação relativa (RRG) das principais altcoins em relação ao BTC
Fusão da imagem de uma moeda de bitcoin com a bandeira do Paraguai

Senado do Paraguai aprova lei que pune com até 10 anos de prisão mineradores de criptomoedas que roubam eletricidade 

Para o relator Ever VIllalba, o PL não criminaliza a mineração de criptomoedas, mas as leis devem ser adaptadas ao setor; PL seguirá para a Câmara dos Deputados
Celular com o logo da CVM e notebook aberto no site da Comissãod e Valores Mobiliários

Caso contra Atlas Quantum exemplifica a longa demora para CVM julgar processos

O prazo médio para a Comissão de Valores Mobiliários terminar de julgar Termos de Acusação é de quatro anos e meio