Imagem da matéria: Deputado de São Paulo defende policial da Rota acusado de extorsão a empresário de bitcoin de Santos
Deputado Coronel Nishikawa no plenário da Assembleia Legislativa (Foto: José Antonio Teixeira/Alesp)

Correção: O policial acusado de extorsão levou o documento de notificação extra-judicial depois do sequestro e não antes, como publicado inicialmente. A informação foi corrigida.

Falando em sessão na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo na última quarta-feira (23), o deputado estadual Coronel Nishikawa (PSL) defendeu um dos presos no caso de suposta prática de extorsão contra um empresário de bitcoin de Santos (SP).

Publicidade

“Pelo que tudo indica, são acusações falsas”, disse o parlamentar, conforme a descrição da sessão publicada no Diário Oficial de São Paulo.

Provavelmente ele se referiu à condição do Tenente Nahrlich, que a mando de Guilherme Aere dos Santos teria ido ao encontro do empresário de bitcoin, sócio da BWA, em um shopping para negociar uma dívida.

“Até oficiais participam de bico. É por esse salário que não cobre nem despesa”, disse.

Nahrlich aparentemente prestava segurança particular a Santos, o que é comum no meio militar. No entanto, o mandante disse que ele teria ido apenas levar um documento de acordo extrajudicial ao devedor, depois do suposto sequestro.

Deputado visitou preso

Em julho deste ano, o empresário teria sido levado sem ordem judicial ao 73º DP na zona norte de São Paulo e lá teria pago R$ 1 milhão, de uma suposta dívida de R$ 4 milhões devida a Santos.

Publicidade

Após denúncia do empresário, as Corregedorias da Polícia Militar e Civil de São Paulo cumpriram 10 mandados de prisão preventiva contra os acusados — sete policiais civis e dois militares.

Nishikawa conta que esteve no Presídio Romão Gomes em visita ao tenente que “está com prisão preventiva decretada, acusado de participar de um esquema de bitcoin”.

“Nós fomos ouvir pessoalmente o tenente para ver o que está ocorrendo. Pelo que tudo indica, são acusações falsas”, disse  deputado.

Segundo ele, muitas prisões ocorrem por conta da falta de credibilidade dos policiais militares, que muitas vezes complementam o salário com ‘bicos’. 

Publicidade

“Não sou juiz para poder julgar. Entretanto, nada melhor do que ir pessoalmente ouvir, porque a Rota é uma instituição respeitada”, concluiu.

Caso envolve Bitcoin Banco

Em depoimento à Corregedoria de São Paulo, P.R.R.B, empresário do ramo de Bitcoin de Santos (SP), achou que iria ser morto a caminho do da 73ª DP.

Ele narrou os encontros e negociações iniciais com Guilherme Aere dos Santos. A primeira reunião foi em novembro de 2018. O empresário disse que Guilherme havia feito uma compra de criptomoedas e mais teria investido R$ 3 milhões.

O dinheiro foi sacado uma semana depois com um lucro, segundo o relato, de quase R$ 100 mil. Foi a partir de então, as relações se encerraram, pois houve o pedido de transferência dos fundos para a exchange NegocieCoins, do Bitcoin Banco.

A partir de então Guilherme começou a realizar o famoso giro infinito entre as corretoras TemBTC e NegocieCoins. Com as operações de arbitragens o valor que era de R$ 4,6 milhões virou R$ 24 milhões.

Publicidade

P.R.R.B afirma também que houve um acordo de confissão de dívida da ordem de R$ 10 milhões por parte do GBB com Guilherme e que os problemas desta empresa tinham acontecido por causa de uma fraude.

Meses depois, em julho, ele diz ter sido convocado para uma reunião para atender um cliente de Guilherme. Nas proximidades do local, ele foi parado por policiais civis, que apontaram suas armas para ele.

“É o P. mesmo, a casa caiu para você”, relatou ter escutado. A seguir o enfiaram dentro de um carro Hilux.


Compre Bitcoin na Coinext 

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
Antônio Neto Ais e Fabrícia Campos, casal que lidera a Braiscompany (Foto: Reprodução/Instagram)

MPF faz nova denúncia contra donos da Braiscompany e doleiro por lavagem de dinheiro

Antônio Neto e Fabrícia Farias realizaram operações financeiras de grande porte com características de lavagem de dinheiro em pleno colapso da pirâmide
Pizza em uma mão moeda de bitcoin na outra

Bitcoin Pizza Day: Corretoras comemoram data histórica do Bitcoin com promoções; confira

Semana tem pizza grátis, cashback, joguinho e descontos em comemoração à primeira transação comercial com o Bitcoin realizada há 14 anos
CEO da Galaxy Digital, Mike Novogratz, em entrevista ao BNN Bloomberg no YouTube

O Bitcoin precisa de uma nova narrativa para voltar a subir, segundo CEO da Galaxy Digital

Mike Novogratz também acredita que o preço do BTC flutue entre US$ 55 mil e US$ 75 mil até que novos eventos ocorram
Antônio Ais posa para foto ao lado de carro

Criador da Braiscompany, Antônio Neto Ais é solto na Argentina

O benefício de prisão domiciliar valerá até que o processo de extradição para Brasil seja resolvido