Logo da Celsius pegando fogo
Foto: Shutterstock

Documentos revelados pelo The Wall Street Journal nesta quarta-feira (29) mostram que a derretida empresa Celsius – que caminha para a terceira semana de bloqueio nos saques dos clientes – tinha em 2021 o dobro de alavancagem de que bancos tradicionais dos EUA possuem normalmente, o que aumentava o risco do negócio. Além disso, a companhia tinha projeções ambiciosas: previa que os depósitos em sua plataforma chegariam a US$ 108 bilhões em 2023.

A empresa de empréstimos de criptomoedas Celsius travou os saques no dia 13 de junho. Mais recentemente passou a enfrentar os próprios advogados para evitar pedir falência na Justiça dos EUA.

Publicidade

Leia também: Criador da Celsius some após travar US$ 12 bilhões de clientes e derrubar o preço do bitcoin

A reportagem do WSJ aponta que a empresa tinha US$ 19 bilhões em ativos e US$ 1 bilhão em equity (termo que designa o tanto de dinheiro que os donos de uma empresa teriam se todos os ativos fossem liquidados e as dívidas pagas). A média dos bancos que fazem parte do Índice S&P 500 é de uma proporção de 9 para 1 – ou seja, menos da metade do que a Celsius apresentava.

Essa taxa de relação entre ativos e equity é observada pelo mercado para identificar o grau de riscos das operações. O economista Eric Budish disse em entrevista ao jornal que a da Celsius era arriscada: “Parece para mim diversificada do mesmo modo que eram os protfólios de hipotecas em 2006. Era tudo setor imobiliário de casas. Agora é tudo cripto”.

Ainda de acordo com o Wall Street Journal, Celsius projetava atrair US$ 108 bilhões em 2023 e previa uma receita de US$ 6,6 bilhões para o mesmo ano.

Celsius pediu paciência

Celsius publicou uma nota em seu blog pedindo paciência para os clientes. “Esse processo levará tempo”, afirmou a empresa, que garantiu que seu objetivo continua sendo “estabilizar a liquidez e operações”.

Publicidade

A Celsius alegou que estava “um diálogo aberto com reguladores e autoridades” e que visa “encontrar uma solução” para o atual problema que enfrenta.

Enquanto isso, BnkToTheFuture, a principal investidora da Celsius, ofereceu ajudar a empresa ao implementar uma “inovação financeira”, similar à que utilizou para salvar a corretora cripto Bitfinex.

Outras empresas que enfrentam situações similares também estão recorrendo ao apoio de parceiros. A credora cripto BlockFi garantiu uma linha de crédito rotativo de US$ 250 milhões com a corretora FTX de Sam Bankman-Fried.

Há algumas semanas , ele disse que sua companhia possui uma “responsabilidade” de socorrer empresas que enfrentam dificuldades durante esse implacável mercado de baixa. Além da BlockFi, a FTX também socorreu recentemente uma operadora cripto da Voyager Digital.

VOCÊ PODE GOSTAR
Silhueta de pessoa jogando videogame À frente de TV

Os maiores tokens de jogos lançados em 2024 – até agora

O Notcoin aparece na lista dos maiores tokens de jogos deste ano, ao lado de Pixels, Portal, Saga e muito mais
martelo de juiz com logo da binance no fundo

Governo dos EUA contrata empresa para monitorar a Binance

A Forensic Risk Alliance venceu a disputa contra a Sullivan & Cromwell, que atuou no caso FTX
Imagem da matéria: Volume de negociação de 'Notcoin' ultrapassa US$ 1 bilhão no maior airdrop de jogos de 2024

Volume de negociação de ‘Notcoin’ ultrapassa US$ 1 bilhão no maior airdrop de jogos de 2024

Jogo Notcoin, baseado no Telegram, lançou mais de 80 bilhões de tokens para cerca de 35 milhões de jogadores em um airdrop
Antônio Neto Ais e Fabrícia Campos, casal que lidera a Braiscompany (Foto: Reprodução/Instagram)

MPF faz nova denúncia contra donos da Braiscompany e doleiro por lavagem de dinheiro

Antônio Neto e Fabrícia Farias realizaram operações financeiras de grande porte com características de lavagem de dinheiro em pleno colapso da pirâmide