Imagem da matéria: CVM proíbe oferta de pirâmide de bitcoin que foi fechada pela Polícia Federal há 4 meses
Foto: Shutterstock

A CVM notificou na terça-feira (10) a TraderGroup quatro meses após ela ter sido fechada pela Polícia Federal e o seu site retirado do ar. A empresa prometia rendimentos que chegavam a 20% ao mês com supostos investimentos em criptomoedas.

Em nota no site, a CVM comunicou que a “Trader Group Administração de Ativos Virtuais EIRELI, TG Agenciamentos Virtuais LTDA e Wesley Binz Oliveira não se encontram habilitados a ofertar publicamente títulos ou Contratos de Investimento Coletivo (CIC)”

Publicidade

A autarquia ainda linkou o site da empresa, que não se encontra no ar desde maio, quando foi fechado pela Polícia Federal.

Por fim, a CVM determinou que todos os sócios e responsáveis deixem de fazer ofertas públicas de seu produto sob pena de multa cominatória diária de R$ 100 mil.

Operação Madoff

A operação Madoff surgiu para investigar a atuação ilegal da TraderGroup que dizia administrar investimentos com criptomoedas.

A Polícia Federal mobilizou, em 15 de maio, 43 agentes para cumprir cinco mandados de busca e apreensão no Espírito Santo, Mato Grosso do Sul e Acre. Foram apreendidos 2,8 Bitcoins que estavam em poder dos investigados e quatro carros de luxo.

Foi descoberto também nesse período que a Polícia havia encontrado um endereço que continha mais de 4 mil bitcoins. A questão era que essa chave não pôde ser apreendida por não existir provas de que essas criptomoedas pertenciam aos investigados.

Publicidade

Bitcoins e carros de luxo

Em agosto, a Justiça do Espírito Santo determinou que os bitcoins e os carros de luxo apreendidos pela Polícia Federal na “Operação Madoff” fossem arrestados para garantir uma possível execução de R$ 106.716,70 contra a TraderGroup.

A juíza da 4ª Vara Cível de Serra (ES) concedeu a tutela de urgência para que fossem acautelados bens e valores dos requeridos que foram bloqueados ou apreendidos pela Operação Madoff, ou seja, 2.8 Bitcoins, uma BMW, uma Mercedez Benz, um Chevrolet Blazer e um Honda Civic.

Lentidão da CVM

Em junho deste ano, a CVM também notificou uma empresa que já havia sumido do mapa. Na ocasião, a empresa foi a Way Capital, que captava dinheiro de clientes de forma irregular para realizar operações com derivativos em ações, índices, criptomoedas e forex.

Semelhante a uma pirâmide financeira, a Way prometia retorno garantido aos investidores e remunerava com taxas altas clientes que cadastrassem novas pessoas no esquema.

Publicidade

Mesmo fora do ar, a CVM também aplicou uma multa diária de R$ 1 mil na época, caso a determinação não fosse cumprida.


Compre Bitcoin na Coinext 

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
moeda de bitcoin dentro de armadilha selvagem

CVM faz pegadinha e descobre que metade das pessoas cairia em golpe com criptomoedas

Junto com a Anbima, a entidade criou um site de uma empresa fictícia que simulava a oferta de investimentos com lucros altos irreais
Ilustração de baleia nadando com moeda de bitcoin em seu interior

Baleia movimenta R$ 321 milhões em Bitcoin pela 1ª vez em uma década

Quando o investidor desconhecido adquiriu os bitcoins em 2013, a cotação do ativo não passava de US$ 120
CEO da Galaxy Digital, Mike Novogratz, em entrevista ao BNN Bloomberg no YouTube

O Bitcoin precisa de uma nova narrativa para voltar a subir, segundo CEO da Galaxy Digital

Mike Novogratz também acredita que o preço do BTC flutue entre US$ 55 mil e US$ 75 mil até que novos eventos ocorram
moeda de Bitcoin ao lado de letreiro com ETF

Estado dos EUA investe R$ 510 milhões em ETF de Bitcoin da BlackRock

O investimento foi confirmado hoje pelo Conselho de Investimentos do Estado de Wisconsin (SWIB)