Antônio Ais posa para foto ao lado de carro
Antônio Neto Ais, criador da Braiscompany (Reprodução/Instagram)

Antônio Neto Ais, dono da pirâmide Braiscompany e “persona non grata” em Campina Grande, foi solto na segunda-feira (20) na Argentina para cumprir prisão domiciliar. O benefício valerá até que seu processo de extradição seja resolvido.

De acordo com o site Paraíba Todo Dia, que compartilhou um documento da decisão judicial completa, Neto alegou problemas de saúde de sua esposa Fabrícia Campos para conseguir a liberdade. Assim como Neto, ela também tem contas a  acertar com a justiça brasileira.

Publicidade

Segundo o documento do Poder Judicial de la Nación, Antônio Neto Ais deverá cumprir várias medidas após deixar a sede da Interpol em Buenos Aires, como ser monitorado por dispositivo com GPS.

Casal aguarda extradição

Condenado no Brasil por coordenar junto com a esposa, Fabrícia Campos, um dos maiores golpes já visto no país, Antônio Neto foi preso em 29 de fevereiro deste ano quando chegava a um condomínio de luxo em Escobar, na Argentina. Na ocasião, o casal já era considerado foragido da justiça brasileira.

Fabrícia conseguiu um habeas corpus no dia seguinte às prisões, podendo ficar em liberdade enquanto aguarda, assim como Ais, o curso do procedimento de extradição.

Em julho do ano passado, os sócios da Braiscompany foram acusados pela Polícia Federal de crime contra o sistema financeiro nacional, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha.

Publicidade

Em fevereiro deste ano, o juiz Vinícius Costa Vidor, da 4ª Vara Federal em Campina Grande, condenou Antônio Ais a 88 anos e 7 meses de prisão, e Fabrícia a 61 anos e 11 meses, além de condenar mais oito envolvidos no processo.

No mês passado, a Polícia Civil de São Paulo pediu a prisão preventiva Antônio Neto Ais e Fabrícia Campos, classificando a Braiscompany como uma “empresa de pseudoinvestimento”, com o processo sendo remetido a Campina Grande a pedido do Ministério Público de São Paulo.

Nesta semana, o Ministério Público Federal fez uma nova denúncia contra o casal por lavagem de dinheiro, incluindo no processo o doleiro Joel Ferreira de Souza e seu filho, Victor Augusto, suspeitos de criarem diversas empresas para movimentar fundos e pulverizar valores. 

A pirâmide Braiscompany

A Braiscompany era uma empresa que prometia retornos fixos aos seus clientes por meio do suposto investimento em criptomoedas. O esquema pedia que a pessoa comprasse valores em Bitcoin e os enviasse para uma wallet da empresa.

Publicidade

Em dezembro de 2022, a Braiscompany parou de pagar os clientes. Em fevereiro do ano passado, a pirâmide ruiu: o Ministério Público Federal abriu um processo penal contra Neto Ais e Fabrícia Campos e a Justiça autorizou pedidos de prisão preventiva que tentaram ser cumpridos na Operação Halving em fevereiro. O casal, no entanto, fugiu.

Em julho passado, um relatório de investigação emitido pela Polícia Federal apontou que Netos Ais e sua esposa fugiram para a Argentina usando passaporte de familiares.

Segundo a PF, nos últimos quatro anos, foram movimentados cerca de R$ 1,5 bilhão em criptomoedas vinculadas aos sócios da Braiscompany.

VOCÊ PODE GOSTAR
celular com logo GameStop com fundo azul

Roaring Kitty reaparece e ações da Gamestop e token GME disparam de preço

Na noite domingo (2), as ações NYSE:GME subiram 19% enquanto a memecoin GME disparou mais de 200%
Tela de celular do Telegram

Depois que Toncoin atinge alta histórica, Telegram lança a moeda “Stars” vinculada ao TON

A moeda no aplicativo, Stars, estará disponível para compra com moeda fiduciária por meio de compras no aplicativo via iOS e Android
Tigran Gambaryan, chefe de compliance da Binance, posa para foto

Deputados pressionam Biden para trazer de volta aos EUA executivo da Binance detido na Nigéria

Em carta ao executivo, os deputados alegam que Tigran Gambaryan está na condição de refém do governo da Nigéria e corre risco de morrer de malária
Imagem da matéria: Agentes federais acusam britânicos de fraude de US$ 3 milhões com NFTs Ethereum "Evolved Apes"

Agentes federais acusam britânicos de fraude de US$ 3 milhões com NFTs Ethereum “Evolved Apes”

Um trio do Reino Unido anunciou o lançamento de um jogo de battle royale, mas, em vez disso, embolsou as criptomoedas e fugiu