Imagem da matéria: Colunista do Diário do Centro do Mundo diz que bitcoin é pirâmide e pode colapsar economia mundial
Foto: Shutterstock

“Algo tão insignificante em relação ao mercado financeiro globalizado como o universo paralelo das bitcoins, a moeda privada não garantida pelo Estado, pode desencadear um desastre de proporções catastróficas”. A análise foi feita pelo economista José Carlos de Assis em coluna no portal de esquerda Diário do Centro do Mundo (DCM) na segunda-feira (20)

Assis define a “bitcoin” (aqui usada como sinônimo de criptomoeda) como o “equivalente contemporâneo” de uma pirâmide financeira e “ganha nela quem entra primeiro e sai primeiro. O sujeito que entra paga pelo que sai.”

Publicidade

O articulista responde ao paradoxo levantado por ele mesmo do mercado de criptomoedas ser “insignificante”, mas ao mesmo tempo ter o poder de desestabilizar a economia mundial.

 “Até que ponto um mercado restrito como o da bitcoin pode afetar o gigantesco mercado financeiro globalizado?”, questiona.

Sem governo por trás

Assis, que é professor de economia internacional na Universidade Estadual da Paraíba, entende que nesse universo, caso ocorra um efeito manada no qual pessoas comecem a liquidar ações/ativos, outras farão o mesmo por verem as primeiras fazerem — e a proporção pode ser gigantesca.

Primeiro pela facilidade de vender a criptomoeda, tudo feito e instantes pelo celular. Segundo pela não possibilidade de um Estado tradicional salvar esse mercado, como o governo dos Estados Unidos fez com o sistema financeiro em 2008. E terceiro pelo fato do valor das criptomoedas mascarar a percepção de valor que esse mercado gira.

“A Psicologia diz que pessoas comuns não conseguem conceituar valores absolutos acima de mil. Mas conseguem avaliar valores relativos. R$ 1 bilhão como valor absoluto não faz muito sentido, mas R$ 20 bilhões, ou seja, algo 20 vezes maior que R$ 1 bilhão, despertam atenção. Alguém que esteja aplicado em bitcoin não dá muita importância a um golpe de R$ 1 bilhão, mas fica assustado quando se fala em 20 vezes mais. É o dinheiro dele que está em risco. Ele o põe instantaneamente onde quiser. Na dúvida, pula fora. Outros o seguem. Eis o efeito manada.”

Publicidade

Mercado em queda

O sistema financeiro mundial passa por um momento de dificuldade e expectativa. O setor de criptomoedas despencou da última semana para cá, e o S&P 500, o Dow Jones Industrial Average e os mercados de ações globais, estão em desaceleração.

Ao mesmo tempo, o mercado de criptomoedas ganha cada vez mais legitimidade das entidades financeiras tradicionais. O BTG Pactual, maior banco de investimentos da América Latina, anunciou nesta segunda-feira (20) o lançamento da Mynt, plataforma que permite compra e venda de criptomoedas.

Além disso, Roberto Sallouti, CEO do banco, disse em seu perfil no LinkedIn que recomenda que os investidores tenham até 2% da carteira de investimento em criptomoedas. “Quem quiser investir nestes ativos, sempre recomendamos que seja uma parcela pequena de seu portfólio, até 2% de sua carteira de investimentos”, escreveu o executivo.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Minerador sortudo de Bitcoin resolve bloco sozinho e fatura R$ 1 milhão

Minerador sortudo de Bitcoin resolve bloco sozinho e fatura R$ 1 milhão

Minerador solo completou o bloco 843.231 do Bitcoin usando software da CKpool
Imagem da matéria: Há 2 anos, LUNA caia para zero; relembre um dos dias mais caóticos do mercado cripto

Há 2 anos, LUNA caia para zero; relembre um dos dias mais caóticos do mercado cripto

Em maio de 2022, o ecossistema da Terra (LUNA) entrou em uma “espiral da morte” que levou uma das criptomoedas consideradas mais promissoras daquele ano a cair para zero em 24 horas
máquinas de mineração de criptomoedas apreenidas em

Polícia apreende 396 mineradoras de Bitcoin em casa de ex-deputado paraguaio

Miguel Cuevas, que já foi preso por enriquecimento ilícito, agora pode também ser investigado por furto de energia
Imagem da matéria: Hacker da Gala Games devolve Ethereum após exploração de US$ 240 milhões

Hacker da Gala Games devolve Ethereum após exploração de US$ 240 milhões

Depois que 5 bilhões de tokens GALA foram cunhados e roubados na segunda-feira, a Gala Games recuperou parte dos fundos em ETH – e ainda está descobrindo o resto