CEO da Tron é processado por assédio; ex-funcionários pedem R$ 60 milhões

CEO da Tron é processado por assédio; ex-funcionários pedem R$ 60 milhões
Justin Sun está encrencado (Foto: Facebook)


Justin Sun, CEO da Fundação Tron, está sempre em evidência na internet. Porém, nesta segunda-feira (27) seu nome reapareceu de forma negativa nos jornais. O motivo, segundo o Coindesk, foram assédios e agressões contra funcionários da entidade.

Conforme a reportagem, algumas atitudes agressivas do pioneiro do blockchain da Tron contra alguns colaboradores resultou em um processo por danos morais que corre no Tribunal do estado da Califórnia (EUA). 

O autores, Richard Hall, de 50 anos, e Lukasz Juraszek, 28, pedem US$ 15 milhões (cerca de R$ 60 milhões) de indenização por assédio no ambiente de trabalho e demissões injustas. Cong Li, chefe de engenharia da Tron, também foi arrolado no processo.

De acordo com Juraszek e Hall, Sun começou a puni-los por eles não concordarem com alguns procedimentos no desenvolvimento da rede BitTorrent.

Segundo eles, um dos motivos, principalmente, foi porque Sun ficava apressando o lançamento do software da nova plataforma. A BitTorrent Inc foi adquirida na ano passado pela Tron por US$ 124 milhões

Agressões na Tron

Em uma das ocasiões, Juraszek disse que presenciou um momento em que Sun teria dado um tapa na cara de Li, que também acabou agredindo um funcionário abaixo dele. Segundo Juraszek, constantemente os funcionários eram alvos de insultos verbais.

Além da indenização milionária, a defesa de Juraszek e Hall também pedem que o governo abra os olhos para aplicação das leis trabalhistas no setor de criptomoedas.



Em resumo, o processo se baseia em reclamação de violações das leis trabalhistas, rescisão indevida, discriminação, sofrimento emocional e condições de trabalho hostis. Sun até o momento não se pronunciou.

CEO da Tron e Warren Buffett

Em junho do ano passado, Justin Sun ganhou destaque além da comunidade das criptomoedas.

Ele ficou conhecido internacionalmente como o ‘cara’ que pagou US$ 4,5 milhões (R$ 18 milhões na época) para almoçar com Warren Buffett. O empresário é uma das personalidades mais céticas às criptomoedas.

No entanto, no mês seguinte, Sun acabou desmarcando o compromisso por conta de problemas de saúde e o almoço com o principal acionista da Berkshire Hathaway não aconteceu.

Homenagem a Kobe Bryant

Também na manhã de segunda, Sun foi criticado no Twitter, mas não pelo caso de assédio.

Em uma de suas publicações, o líder da Tron lamentou a morte do jogador do basquete americano, Kobe Bryant, prometendo uma homenagem póstuma no seu próximo evento chamado niTROn.

O astro da NBA morreu em um acidente de helicóptero em Calabasas, na Califórnia, na manhã do último domingo.

No entanto, muitos usuários criticaram o tuíte alegando que Sun estaria usando a tragédia para promover o evento.

“Justin usando a morte como ferramenta de marketing não pega bem”, escreveu um usuário.

Contudo, a mensagem não foi por acaso, pois, segundo o empresário, Bryant participou do mesmo evento no ano passado.

BitcoinTrade: Depósitos aprovados em minutos!

Cadastre-se agora! Eleita a melhor corretora do Brasil. Segurança, Liquidez e Agilidade. Não perca mais tempo, complete seu cadastro em menos de 5 minutos! Acesse: bitcointrade.com.br