CEO da Coinbase Brian Armstrong em entrevista ao Bloomberg
(Reprodução/Bloomberg Television)

O CEO da Coinbase, Brian Armstrong, afirmou na terça-feira (19) em uma entrevista à Bloomberg que a exchange terá que investir mais pesado em infraestrutura após as interrupções em sua plataforma no fim de fevereiro.  Naquele período, vários usuários relataram que ao fazer login, viram o saldo de suas carteiras zerado, enquanto a Coinbase corria para corrigir o problema.

O vídeo da entrevista foi publicado no canal Bloomberg Television no YouTube. “O que você aprendeu com as interrupções nas últimas semanas quando vimos aqueles elevados volumes de atividade e negociação após os ETFs?”, perguntou a apresentadora.

Publicidade

Na resposta, Armstrong reconheceu que realmente houve um aumento de atividade na Coinbase que levou ao bug. Ele afirmou que no ano passado foram feitos vários testes para garantir que a plataforma pudesse lidar com um aumento de 10 vezes no tráfego. No entanto, o aumento do volumo foi ainda maior do que o esperado.

“O que é incrível é que como o Bitcoin tocou e superou os máximos históricos [de preço] anteriores no período de cerca de uma hora, vimos um aumento de mais de 10 vezes e por isso excedeu”.

Armstrong disse ainda ser preciso “investir em infraestruturas em um nível ainda maior do que investimos no passado”. 

Para o executivo, o aumento do volume é bem-vindo. “É bom, é um sinal de adoção de criptomoedas e também de o quão importante elas estão se tornando na economia”, disse. “Mas isso só torna o nosso trabalho ainda mais importante e temos que certificar de que estamos servindo nossos parceiros e clientes com boa infraestrutura.”

ETFs e preço do Bitcoin

O Bitcoin estabeleceu repetidamente novos máximos durante as duas primeiras semanas de março, chegando a mais de US$ 73 mil. O aumento foi causado em parte pelo interesse direto em ETFs de Bitcoin spot (à vista), como os da Fidelity e BlackRock.

Publicidade

Neste início de tarde de quarta-feira (20), o Bitcoin é cotado em US$ 64.136, com uma valorização de 2% nas últimas 24 horas. Em reais, o BTC perde 0,9%, negociado a R$ 323.143,64, de acordo com o Índice do Preço do Bitcoin (IPB). 

No entanto, o BTC chegou a cair 8% na terça-feira (19), abaixo de US$ 62 mil, na maior queda diária desde 9 de novembro de 2022, quando recuou 14% com o colapso da FTX.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Correlação entre Bitcoin e Ether está prestes a passar por "cruz da morte"; entenda os efeitos

Correlação entre Bitcoin e Ether está prestes a passar por “cruz da morte”; entenda os efeitos

A “cruz da morte” poderá frear os avanços do Ethereum e demais altcoins
Mão sugere bater mertelo da justiça- em um fundo escuro o logo Google

Google processa criadores de apps de criptomoedas que enganaram mais de 100 mil usuários

Segundo o Google, os réus contaram várias mentiras para conseguir disponibilizar os aplicativos enganosos no Google Play
Imagem da matéria: Avenged Sevenfold está transformando fãs de heavy metal em "Evangelistas da Blockchain"

Avenged Sevenfold está transformando fãs de heavy metal em “Evangelistas da Blockchain”

Plataforma descentralizada recompensa fãs do Avenged Sevenfold e gera recompensas por participarem de atividades ligadas à banda
Imagem da matéria: Brasileira perde R$ 28 mil em golpe de falso consultor de criptomoedas

Brasileira perde R$ 28 mil em golpe de falso consultor de criptomoedas

Além do prejuízo com as criptomoedas, mulher relata que teve o celular e as contas bancárias invadidas pelo golpista