Baleia dourada envolto a moedas de bitcoin
Shutterstock

Uma carteira de bitcoin que estava parada por nove anos voltou a ser movimentada no final de semana. Ao todo, 500 bitcoin estavam armazenados na carteira desde 14 de junho de 2012. 

A transação aconteceu na tarde de sábado (26) e foi encontrada pelo Whale Alert, um perfil do Twitter que rastreia grandes transações na blockchain do bitcoin.

Publicidade

Ao analisar os dados da carteira no BitInfoCharts, é possível visualizar que a baleia — termo que se refere a um investidor que detém grandes quantias de criptoativos  — recebeu a maior parte do balanço (400 BTC) em junho de 2012, um quantia de moeda que na época representava US$ 2.491.

Um ano depois, no dia 23 de novembro de 2013, a mesma carteira recebeu os 100 BTC restantes. Nesse intervalo de um ano entre as duas transações, o preço do bitcoin saltou de US$ 6 para US$ 700. 

No final daquele ano de 2013, os 500 BTC armazenados na carteira já valiam US$ 351 mil. Agora em março de 2022, essa mesma quantia de criptomoeda equivale a US$ 22.119.237, levando em conta que a cotação do bitcoin no momento da transação era de US$ 44,2 mil.

Nesta segunda-feira (28), a criptomoeda líder do mercado está valendo ainda mais, negociada em alta de 6% no dia, a US$ 47,140, segundo o CoinGecko.

Publicidade

O destino do bitcoin

Todo o balanço de bitcoin que a baleia armazenava por nove anos foi retirado da carteira e transferido para diversas outras na blockchain. Conforme é possível ver no blockchain.com, os 500 BTC foram enviados para 31 endereços diferentes, sendo que a maioria das transações movimentaram 20 BTC de cada vez.

As novas carteiras que receberam o bitcoin permanecem paradas desde a primeira transferência, um sinal que essas criptomoedas permanecem em posse do seu detentor original.

Isso também comprova que, até o momento, essa reserva de bitcoin não foi enviada para um corretora para ser liquidada no mercado, um sinal que a baleia pode ter apenas remanejado seu patrimônio por uma questão de segurança e eficiência.

Afinal, os 500 BTC estavam armazenados em um endereço P2PKH (Legacy), o primeiro endereço de bitcoin que, por não ser beneficiado pela atualização do SegWit, geralmente cobra taxas mais altas do que os outros formatos mais novos de endereço.

Publicidade

No começo do mês de março, um evento parecido foi notado na blockchain, quando uma carteira parada desde 2010 voltou a ser movimentada. A baleia guardou 489 BTC por 12 anos, moedas que valiam apenas US$ 90 quando foram recebidas pela primeira vez, mas agora superam US$ 20 milhões.

Portal do Bitcoin Summit

O primeiro evento do Portal do Bitcoin será gratuito e online! Jogos NFT, movimentações em Brasília, como receber investimentos na sua startup de criptomoedas e muito mais. Inscreva-se aqui: https://portaldobitcoin.uol.com.br/summit/

VOCÊ PODE GOSTAR
Mineração

Mineradores de Bitcoin disputam mercado com Inteligência Artificial antes do halving, diz Bernstein

Um novo relatório da empresa de investimento destaca o aumento da concorrência entre dois setores que exigem energia e poder de processamento
Imagem da matéria: Mineradores de Bitcoin quebram recorde ganhando mais de US$ 100 milhões em taxas pós-halving

Mineradores de Bitcoin quebram recorde ganhando mais de US$ 100 milhões em taxas pós-halving

Com exceção de uma taxa paga acidentalmente ano passado, os 10 blocos mais caros da história do Bitcoin são pós-halving
Paolo Ong, da SEC Filipinas

Termina prazo para saída da Binance das Filipinas e reguladores avisam: “Não há como sacar fundos após bloqueio”

“Não podemos endossar nenhum método de como retirar seu dinheiro agora que a ordem de bloqueio foi emitida”, disse o regulador filipino
moedas diversas caindo do céu

Binance anuncia nova plataforma de lançamento de tokens e airdrops 

Por meio da Megadrop, os usuários poderão se inscrever com BNB e concluir tarefas e obter acesso a tokens antes de eles serem listados na plataforma