Imagem da matéria: Bitcoin (BTC) atinge o maior preço do ano, recupera perdas e espanta medo do bear market
Foto: Shutterstock

O Bitcoin (BTC) chegou num patamar importante nesta segunda-feira (28): recuperou as perdas do ano ao atingir a mesma faixa de preço do dia 1º de janeiro, quando estava no melhor momento de 2022.

A maior criptomoeda do mercado chegou a ser cotada a US$ 47.656 nesta segunda (28), segundo o Coimarketcap. No primeiro dia do ano, o BTC valia um pouco mais que isso, cerca de US$ 47.865, mas os comparadores de preços já consideram que a moeda está no verde na análise dos últimos três meses.

Publicidade

No dia 24 de janeiro, o Bitcoin caiu para US$ 33.495, o menor preço do ano registrado até agora. Foi uma desvalorização de 20%, o que fez muitos prever a chegada de um “bear market” — expressão usada para se referir a longos períodos de desvalorização do mercado.

O gráfico abaixo mostra como o preço do bitcoin voltou ao verde nesta segunda-feira, no mesmo patamar do primeiro dia do ano:

Preço do bitcoin em 2022 (Fonte: CoinMarketCap)

Além dos fatores imponderáveis que influenciam no preço da moeda, alguns eventos são mais palpáveis: a guerra entre Rússia e Ucrânia popularizou ainda mais as criptomoedas, que são usadas pela Ucrânia para receber ajuda internacional e pela Rússia para tentar se proteger de sanções; e nesse mesmo cenário, o um importante deputado do governo russo disse que o país poderia aceitar bitcoin para compra de petróleo por China e Turquia.

O gráfico de velas (“candles”) também mostra o comportamento positivo do bitcoin neste início de semana:

Preço do bitcoin em 2022 (Fonte: TradingView)

O mês de março mostra uma escalada impressionante do bitcoin. No dia 7, a criptomoeda chegou a ser cotada a US$ 37.562, após iniciar o mês acima dos US$ 40 mil. No período de três semanas entre a pior cotação do mês e agora, o BTC acumula uma alta de 26%.

Publicidade

Volatilidade para cima

Segundo relatórioda Glassnode, a atual demanda de compra parece estar dominada pelo mercado americano e europeu, uma vez que a maioria das fontes de venda acontece durante os horários de negociação asiáticos.

“A utilização da rede Bitcoin e da atividade em blockchain continuam firmemente no território de mercado de baixa, apesar de estarem se recuperando. Pode haver um impulso de aumento contínuo na rede, embora a deterioração provavelmente favoreça os ‘ursos'”, diz o estudo da empresa.

Segundo a Glassnode, os mercados de derivativos estão atualmente precificando uma volatilidade implícita e prêmios futuros historicamente baixos. Em outras ocasiões do passado, tal estrutura de mercado precedeu períodos de altíssima volatilidade, geralmente para o lado positivo.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Os NFTs ficaram para trás com boom do Bitcoin – mas a Animoca ainda acredita nos tokens

Os NFTs ficaram para trás com boom do Bitcoin – mas a Animoca ainda acredita nos tokens

Na Paris Blockchain Week, o presidente da Animoca Brands, Yat Siu, discutiu a regulamentação da SEC, o ressurgimento do mercado de NFT e as finanças de sua empresa
Amostra de NFT de tênis da Adidas par ao jogo Move to Earn

Adidas lança NFTs de tênis de R$ 13 mil em parceria com empresa cripto Stepn

A gigante de roupas esportivas Adidas fez parceria com o jogo baseado na rede Solana para lançar alguns tênis virtuais de corrida
Imagem da matéria: Bitcoin, Ethereum e Solana desabam e R$ 1 bilhão são liquidados do mercado em uma hora

Bitcoin, Ethereum e Solana desabam e R$ 1 bilhão são liquidados do mercado em uma hora

O Bitcoin começou o dia cotado a US$ 71 mil; agora, seu preço desaba para a US$ 66 mil
Imagem da matéria: O que reguladores e exchanges estão fazendo para melhorar a confiança no mercado cripto

O que reguladores e exchanges estão fazendo para melhorar a confiança no mercado cripto

Entre propostas como segregação patrimonial e prova de reservas, exchanges prometem segurança de diferentes formas enquanto o mercado aguarda a regulação