Baleia dourada envolto a moedas de bitcoin
Shutterstock

Um carteira de bitcoin que estava parada desde 2010 voltou a ser movimentada na quarta-feira (9) por uma baleia misteriosa. O endereço armazenou 489 BTC por 12 anos, moedas que valiam apenas US$ 90 quando foram recebidas pela primeira vez em outubro de 2010.

A valorização que o bitcoin acumulou ao longo da década fez com que esses mesmos 489 BTC valessem hoje mais de US$ 20,1 milhões (cerca de R$ 100 milhões).

Publicidade

A movimentação da baleia — termo que se refere a um investidor que detém grandes quantias de criptoativos —  foi notada pela primeira vez por Whale Alert, um perfil que rastreia transações de peso na blockchain do bitcoin.

Por volta das 23h (horário de Brasília) da noite passada, o investidor por trás da carteira transferiu todos os 489 BTC que estavam parados desde 2010. Essas moedas foram enviadas para um endereço temporário e espalhados em outros endereços através de várias transações.

Dessa forma, não é possível concluir se essas moedas foram enviadas para uma exchange para serem vendidas no mercado, ou apenas realocadas em uma nova carteira.

De qualquer forma, a paciência da baleia em segurar os criptoativos ao longo dos 12 anos resultou num lucro de US$ 19,9 milhões, de acordo com a estimativa do BitInfoCharts.

Publicidade

Para movimentar todo esse dinheiro na blockchain do bitcoin, o investidor pagou uma taxa de apenas R$ 44.

As baleias adormecidas do mercado cripto

Não são raras as histórias de baleias de bitcoin que voltam a movimentar suas moedas depois de deixá-las inativas por anos.

Em agosto do ano passado,  um investidor voltou a movimentar 740 bitcoins que já não eram transacionados por mais de nove anos. Em novembro, outra baleia recuperou mais de 2 mil bitcoins parados desde 2013.

Mais do que uma escolha própria do investidor de deixar essas moedas paradas, muitos não recordam suas chaves privadas para recuperar o investimento. 

Muitas pessoas que receberam bitcoin nos primeiros anos da moeda, seja por distribuições que aconteciam em eventos da área ou por compras descomprometidas, acabaram perdendo ao longo do tempo as anotações com suas credenciais, deixando o BTC esquecido na blockchain.

Publicidade

Com a valorização que o criptoativo teve na última década, qualquer quantia irrisória de bitcoin que uma pessoa tinha em 2010, hoje vale milhões. Por essa razão, os “possíveis milionários” tentam de qualquer forma recuperar as moedas. 

A história de James Howells talvez seja a mais famosa para ilustrar esse acontecimento. Em agosto de 2013, ele jogou fora um disco rígido com a senha para uma carteira com 8 mil bitcoins, e desde então, tenta escavar um aterro sanitário para reencontrar o tesouro perdido.

VOCÊ PODE GOSTAR
trader segura moeda de bitcoin em frente a grafico em computador

Bolsa de Chicago planeja lançar negociação de Bitcoin à vista, diz jornal

O objetivo é capitalizar a crescente demanda este ano entre os gestores de Wall Street para ganhar exposição ao setor de criptomoedas
Imagem da matéria: Semana Cripto: ETFs de Ethereum recebem sinal verde; Dogecoin dispara com tweet de Elon Musk

Semana Cripto: ETFs de Ethereum recebem sinal verde; Dogecoin dispara com tweet de Elon Musk

Muitas coisas inesperadas aconteceram esta semana, mas o mercado estava atento e engajado
Ilustração de uma lâmpada flamejando B de bitcoin

MB lança Fist, primeiro token de Renda Variável Digital no setor de energia elétrica

O investimento, disponível pela primeira vez para pessoa física, possui validade de 30 anos, com dividendos que variam de 0,9% a 1,2% ao mês
Cachorro Shiba Inu que inspitou Dogecoin

Kabosu, a cachorrinha que inspirou a Dogecoin, falece aos 18 anos

Kabosu sofria de doença crônica e já era muito idosa; segundo sua dona, a cachorrinha “faleceu silenciosamente”