Imagem da matéria: BlackRock já conversa  com market makers para dar liquidez à possível ETF de Bitcoin, diz site
BlackRock, maior gestora de ativos do mundo

Apesar da Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC) ainda estar segurando os pedidos de ETFs de Bitcoin à vista, as empresas já estão se movimentando para estarem preparadas assim que a aprovação sair.

E a BlackRock, maior gestora de recursos do mundo com US$ 9,4 trilhões sob gestão, tem tido diversas conversar com algumas das principais formadoras de mercado (market makers) do setor.

Publicidade

De acordo informações divulgadas pelo CoinDesk, Jane Street, Virtu Financial, Jump Trading e Hudson River Trading mantiveram conversas com a BlackRock sobre terem o papel de formador de mercado para o futuro ETF de Bitcoin da gestora.

Os formadores de mercado são essenciais para os ETFs, já que são responsáveis pela criação e resgate de novas ações do fundo, função que o ajuda a manter seu preço vinculado ao preço implícito dos ativos detidos pelo ETF.

Ser um formador de mercado para ETFs, que são negociados em bolsas assim como as ações, exige um nível de sofisticação e automatização que poucas empresas hoje conseguem ter, principalmente quando o tema está relacionado a criptomoedas.

A expectativa para o ETF de Bitcoin

Para Luiz Parreira, CEO da Bipa, a decisão da BlackRock de financiar um ETF de Bitcoin é uma demonstração concreta do interesse crescente das instituições financeiras tradicionais neste mercado. “Mostra que o Bitcoin está ganhando reconhecimento e aceitação em um nível mais amplo”, afirma.

Publicidade

“A BlackRock é uma das maiores e mais influentes gestoras de ativos do mundo. Se eles lançarem com sucesso um ETF de Bitcoin, isso pode atrair mais investidores institucionais para o mercado de criptomoedas”, diz o executivo.

A gestora não é a única na lista de empresas que estão tentando lançar um ETF de Bitcoin, que inclui ainda a Ark, Grayscale, Fidelity, VanEck e até a brasileira Hashdex.

Existe a expectativa de que a SEC possa aprovar diversos ETFs de uma vez, mas não se sabe se será assim e nem quando ocorrerá essa decisão.

O analista da Bernstein, Gautam Chhugani, escreveu essa semana que acredita que a SEC provavelmente vai aprovar um ETF de Bitcoin à vista no primeiro trimestre de 2024. A previsão dele coincide com a dos analistas do JP Morgan, que dizem que há 90% de chance de os investidores obterem um fundo BTC antes do dia 10 de janeiro.

Publicidade

” A SEC já recebeu inúmeros sinais de que a batalha contra o ETF de Bitcoin está praticamente perdida. Porém, vamos ter que esperar para ver, afinal cada caso é um caso, se a SEC vai querer continuar batalhando contra um ETF de Bitcoin, ou vai aceitar a derrota e aprovar o ETF da BlackRock, e eventualmente de outros participantes”, conclui Parreira.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Ex-diretor da FTX deve pegar até 7 anos de prisão, pedem promotores dos EUA

Ex-diretor da FTX deve pegar até 7 anos de prisão, pedem promotores dos EUA

Ryan Salame foi um dos executivos da FTX que coordenaram a doação de milhões para campanhas políticas usando dinheiro dos clientes
Imagem da matéria: Coinbase sai do ar durante madrugada após interrupção do sistema

Coinbase sai do ar durante madrugada após interrupção do sistema

Embora a Coinbase tenha informado nesta manhã que o problema estava resolvido, sua página de status ainda indica que o app móvel e site estão com “desempenho prejudicado”
Ilustração da memcoin em Solana Bonk

Como criar uma memecoin em Solana com a Pump.fun

Protocolo viralizou ao permitir a qualquer pessoa criar uma criptomoeda por cerca de R$ 15
Imagem da matéria: Há 2 anos, LUNA caia para zero; relembre um dos dias mais caóticos do mercado cripto

Há 2 anos, LUNA caia para zero; relembre um dos dias mais caóticos do mercado cripto

Em maio de 2022, o ecossistema da Terra (LUNA) entrou em uma “espiral da morte” que levou uma das criptomoedas consideradas mais promissoras daquele ano a cair para zero em 24 horas