Imagem da matéria: Bitcoin cai 40% em três meses e tem o pior trimestre desde 2018
Foto: Shutterstock

O Bitcoin (BTC) chega ao último dia de junho acumulando um prejuízo de 40,5% nos últimos três meses. Esse é o pior trimestre da criptomoeda líder do mercado desde o final de 2018, de acordo com os dados do Bybt

Naquele ano, o bitcoin teve um desempenho negativo no primeiro e último trimestre de 42% e 49%, respectivamente. As quedas drásticas representaram o fim do bull run de 2017, o único ano em que a BTC acumulou ganhos em todos os trimestres.

Publicidade

Assim como naquela época, o retorno negativo do bitcoin nos últimos meses sucede a um trimestre de alta. Entre janeiro e março, a criptomoeda valorizou 103%. Ao entrar em abril, no entanto, o BTC recuou em seu ciclo de crescimento que já se estendia desde a metade do ano passado. 

bitcoin trimestre
Retorno trimestral do bitcoin (Fonte: Bybt)

Mesmo alcançando um novo recorde de preço de US$ 64.860 em abril, a moeda desabou logo em seguida e fechou o mês com um retorno negativo de 2%. As quedas pioraram ainda mais no mês seguinte e o bitcoin teve o pior maio da história ao cair 35%.

Na manhã desta quarta-feira (30), o BTC acumula uma queda mensal de 6%. A probabilidade é que a moeda termine junho no vermelho já que enfrenta uma desvalorização de 4,3% nas últimas 24 horas, valendo US$ 34.580. Nas corretoras brasileiras, o BTC é negociado a R$ 174 mil, segundo o Índice de Preço do Bitcoin (IPB).

A queda do bitcoin

O bitcoin vem enfrentando meses agitados em que predomina um FUD (sigla em inglês para medo, incenteza e dúvida) no mercado. Talvez o catalisador principal do período de queda do BTC seja a guerra que o governo chinês travou contra os mineradores.

Publicidade

Desde que ficou pública as intenções da China em reprimir a atividade, diversas províncias baniram os mineradores do país que, até então, era responsável por mais da metade de toda a mineração da criptomoeda.

O debate sobre o impacto ambiental do atual modelo de mineração do bitcoin também pesou nesse período. O anúncio de que a Tesla de Elon Musk deixaria de aceitar a criptomoeda como forma de pagamento por essa razão, fez os preços desabaram.

O ambiente de incerteza que se formou e queda de preços afastaram os investidores institucionais, os responsáveis por impulsionar o boom do bitcoin no ano passado. 

VOCÊ PODE GOSTAR
bitcoin brilhando na mão

Semler Scientific investe US$ 40 milhões em Bitcoin e ações disparam 25%

As ações da Semler Scientific subiram 25% após a entidade anunciar a adoção do Bitcoin como principal ativo de reserva do tesouro
Michaël van de Poppe em vídeo no Youtube

“É hora de investir em altcoins como Ethereum além do Bitcoin”, diz Michaël van de Poppe

Citando o Ethereum com uma das opções, o analista diz que o mercado de altcoins já passou por correção e que a tendência agora é de alta
Moedas de bitcoin sob mesa escura com sigal ETF

ETFs de Bitcoin à vista já controlam mais de 1 milhão de BTC

Mais da metade dos US$ 70,5 bilhões em fundos está praticamente dividida entre Grayscale e BlackRock
Pizza em uma mão moeda de bitcoin na outra

Bitcoin Pizza Day: Corretoras comemoram data histórica do Bitcoin com promoções; confira

Semana tem pizza grátis, cashback, joguinho e descontos em comemoração à primeira transação comercial com o Bitcoin realizada há 14 anos