Imagem da matéria: Província chinesa declara guerra à mineração ilegal de Bitcoin
Reprodução: Shutterstock

O Departamento de Energia da província de Yunnan confirmou no sábado (12) que até o final do mês toda a mineração ilegal de Bitcoin na região será interrompida.

A agência identificará as operações ilegais após uma inspeção, que deve ser concluída no final de junho.

Publicidade

“Uma vez descobertos, eles serão imediatamente obrigados a desligar”, citaram relatórios locais.

Esses documento foram confirmados por mineradores de Bitcoin em um grupo WeChat visto pelo Decrypt.

Citando uma nota da BTC.top, uma grande empresa de mineração de criptomoedas com operações na China e na América do Norte, o Forkast News também citou a proibição.

Para extrair criptomoedas como o Bitcoin, uma enorme quantidade de energia é necessária para manter grandes fazendas de computadores em funcionamento.

Esses equipamentos funcionam para verificar as transações e proteger a rede. Por seu trabalho, eles são recompensados ​​na criptomoeda nativa da rede. É por meio desse processo que a criptomoeda entra no mercado.

Repressão à mineração de Bitcoin na China

Uma grande parte da mineração de criptomoedas acontece na China. Mas isso está mudando devido à recente onda de repressões.

Yunnan, no sudoeste da China, se junta às provícinas de Xinjiang, Qinghai Mongólia Interior. No mês passado, o comitê financeiro da China incluiu a mineração de Bitcoin em uma lista de “riscos financeiros” que devem ser controlados. Foi a primeira vez que o Conselho de Estado do país – um gabinete governamental de alto escalão – falou explicitamente sobre a mineração de Bitcoin.

Publicidade

Quatro dias depois do relatório, as autoridades locais na Mongólia Interior emitiram uma nova decisão que proíbe a mineração de criptomoedas de qualquer tipo. Os infratores dos novos decretos seriam supostamente colocados na “lista negra” do sistema de crédito social da China, impedindo-os de tomar empréstimos, viajar para o exterior e muito mais.

Em 9 de junho, as autoridades da província de Qinghai e uma pequena prefeitura de Xinjiang também disseram aos mineradores de Bitcoin para suspender as operações.

Todas as quatro regiões são pontos de acesso bem conhecidos para instalações de mineradoras devido ao baixo custo da energia. A maior parte é baseada em carvão.

Acredita-se que a ampla repressão seja alimentada pelas ambições verdes da China. Em setembro de 2020, o presidente chinês Xi Jinping anunciou que o país se tornaria neutro em carbono “antes de 2060”.

Publicidade

Embora não declarado no plano econômico de cinco anos do país, parece que a eliminação da mineração de Bitcoin é uma meta que a nação asiática quer atingir.

*Traduzido e editado com autorização da Decrypt.co

VOCÊ PODE GOSTAR
Anic de Almeida Peixoto Herdy é casada com herdeiro da Unigranrio

Herdeira é sequestrada em Petrópolis e criminosos exigem resgate em Bitcoin

Técnico de informática amigo do casal conversou com sequestradores por entender de criptomoedas e foi preso por suspeita de envolvimento
bitcoin brilhando na mão

Semler Scientific investe US$ 40 milhões em Bitcoin e ações disparam 25%

As ações da Semler Scientific subiram 25% após a entidade anunciar a adoção do Bitcoin como principal ativo de reserva do tesouro
Imagem da matéria: Herdeiro paga R$ 2,2 milhões em Bitcoin para resgatar vítima de sequestro em Petrópolis, mas é enganado

Herdeiro paga R$ 2,2 milhões em Bitcoin para resgatar vítima de sequestro em Petrópolis, mas é enganado

Ao todo, vítima gastou quase R$ 5 milhões nos pagamentos: além do envio de Bitcoin, foram 40 depósitos bancários
Cofre dourado no formato de baleia receb moedas shiba inu SHIB

Baleias voltam a encher os bolsos de Bitcoin, mostra análise

A acumulação acelerada de baleias é um sinal de que o mercado altista do Bitcoin ainda está ativo