Imagem da matéria: Bitcoin (BTC) tem quarto dia seguido negativo, bate nos US$ 33 mil e cai 21% na semana
Foto: Shutterstock

Bearmarket, inverno cripto ou outra expressão que você prefira. O fato é que o mercado de criptomoedas entrou em uma fase de desvalorização muito intensa e contínua – e a tendência se mantém nesta segunda-feira (24).

O Bitcoin (BTC) opera em queda de 5,86% e é vendido a US$ 33.686, segundo dados do Coinmarketcap. Nos últimos sete dias, a desvalorização acumulada é de 21%.

Publicidade

Para se ter uma ideia da velocidade e força da desvalorização: na sexta-feira (21) o Bitcoin caía fortemente e mesmo assim estava na faixa dos US$ 39 mil. Continuou despencando ao longo do final de semana; quando atingiu US$ 35 mil, teve uma recuperação e foi para cima dos US$ 36 mil; e agora, em horas, esse piso virou pó e ativo opera nos US$ 33 mil e caindo.

Segundo o Índice de Preço do Bitcoin (IPB) a cotação está em R$ 189.823.

Conforme o site CoinGlass informa, mais de US$ 1,5 bilhão de contratos em bitcoin foram liquidados nos últimos três dias por conta de “margin calls”: são limites que, se atingidos, obrigam o investidor a vender o ativo e fechar a posição, pois não terá dinheiro para se manter posicionado.

O Ethereum (ETH) opera em queda de 10,24% e é vendido a US$ 2.268.

As cem maiores criptomoedas por valor de mercado estão queda no momento da produção desta reportagem.

Todas as quedas impressionam, mas as memecoins parecem sofrer um risco de extinção eminente: Dogecoin (DOGE) perdeu 24% do seu valor nos últimos sete dias é vendida a US$ 0.12; Shiba Inu (SHIB) derreteu 32% na semana e é cotado em US$ 0,00001971.

Operam em queda Binance Coin (-10,69%), Cardano (-13,84%), XRP (-8,76%), Terra (-10,40%), Polkadot (-13,02%), Avalanche (-12,18%).

Solana com problema duplo

Em um cenário de quedas gigantes, uma chama mais a atenção do que outras: Solana (SOL) opera em baixa de 19% e já perdeu 40% do valor de mercado nos últimos sete dias. A criptomoeda é vendida a US$ 83,45.

Publicidade

Isso parece ter relação com o fato de que a rede passou no sábado (22) por um alto grau de congestionamento.

Segundo o perfil oficial Solana Status, a principal causa desse problema são cache (depósito que armazena informações no sistema operacional) exauridos.

Isso ocorreu no dia 6 de janeiro: o perfil oficial @SolanaStatus, que rastreia a saúde do ecossistema da criptomoeda SOL, confirmou que a rede estava experimentando um “desempenho degradado”, causado por um aumento das transações de “alta computação”.

Segundo a equipe do projeto, essas transações de peso estavam reduzindo a capacidade da rede de processar milhares de transações por segundo, fazendo com que as transações de parte dos usuários falhassem.

Publicidade

Solana é considerada uma das redes mais eficientes do mercado por processar 65 mil transações por segundo — um número muito maior do que as 15 transações por segundo do Ethereum e as 7 do Bitcoin.

VOCÊ PODE GOSTAR
Tela de celular do Telegram

Telegram acaba de tornar mais fácil “farmar” jogos cripto como Hamster Kombat

Alternando entre Hamster Kombat, Yescoin, PixelTap, Catizen e outros jogos do Telegram? Trocar agora é muito mais simples
Imagem da matéria: 228 sites de projetos DeFi estão sob risco de ataque DNS; entenda

228 sites de projetos DeFi estão sob risco de ataque DNS; entenda

Embora a extensão total do sequestro ainda não seja conhecida, centenas de sites de protocolo DeFi ainda estão em risco, disse a Blockaid
Imagem da matéria: Ethereum sobe 2,3% e faz traders que apostavam na queda serem liquidados em US$ 20 mi

Ethereum sobe 2,3% e faz traders que apostavam na queda serem liquidados em US$ 20 mi

Um total de US$ 20 milhões em contratos de venda e US$ 1,9 mi em contratos de compra de Ethereum foram liquidados nas últimas 24 horas
Imagem da matéria: Fundos de criptomoedas têm semana positiva apesar da pressão da Mt. Gox e Alemanha

Fundos de criptomoedas têm semana positiva apesar da pressão da Mt. Gox e Alemanha

Fundos de criptomoedas tiveram entradas líquidas de US$ 441 milhões após quatro semanas de saídas, com investidores vendo oportunidade na queda dos preços