Imagem da matéria: Binance traz ex-executivo do Goldman Sachs para comandar operação na América Latina
Min Lin, vice-presidente regional da Binance para América Latina (Foto: Reprodução)

A Binance anunciou nesta segunda-feira (3) que Min Lin será o novo vice-presidente regional para a América Latina da corretora de criptomoedas.

Em nota à imprensa, a exchange diz que o executivo vai liderar equipes em toda a região que inclui o Brasil, para aprimorar os produtos e serviços da Binance e otimizar a experiência do usuário.

Publicidade

Lin trabalha na Binance desde 2021 como líder de Desenvolvimento de Negócios. Antes disso, foi diretor executivo na Divisão de Mercados Globais do Goldman Sachs em Hong Kong. 

A Binance afirma que o empresário tem familiaridade com a região, já que residiu na América Central por longo tempo.

“A América Latina é uma região de rápido crescimento e de grande importância para a Binance. As criptomoedas e a tecnologia que as sustenta, a blockchain, são democráticas, inclusivas e podem gerar inúmeros benefícios para pessoas que hoje não têm acesso ao sistema financeiro tradicional. Vemos uma grande oportunidade de contribuir para o desenvolvimento de plataformas, produtos e serviços para diferentes setores, tanto no mundo físico quanto virtual, em toda a região”, comentou Lin.

Binance na CPI

Na última terça-feira (27), a CPI das Pirâmides Financeiras aprovou dezenas de requerimentos de convocação de pessoas para depor ao longo das próximas semanas de trabalho. Como já se esperava, todos os pedidos protocolados pelos deputados foram aprovados sem nenhuma ressalva. 

Publicidade

Um dos mais notórios foi a convocação de Guilherme Haddad Nazar, sobrinho do atual ministro da Fazenda, Fernando Haddad, e diretor-geral da Binance no Brasil. Nazar foi convocado para depor na condição de testemunha. Ou seja, ao contrário de executivos de outras empresas, ele não tem a opção de recusar, pois não foi um mero convite dos parlamentares.

A convocação foi proposta pelo deputado Alfredo Gaspar (UNIÃO/AL),que na justificativa afirmou que a Binance precisa esclarecer sua relação com a empresa B Fintech, o fato de ter continuado a oferecer produtos de mercado derivativo para brasileiros após ter alegado para a CVM que haviam parado com a prática — caso exposto em reportagem do Portal do Bitcoin — e o fato de ter sido a plataforma usada pela pirâmide Braiscompany.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Fatia de mercado da KuCoin cai pela metade e Nigéria trabalha com Interpol para extraditar executivo da Binance

Manhã Cripto: Fatia de mercado da KuCoin cai pela metade e Nigéria trabalha com Interpol para extraditar executivo da Binance

Em meio às apostas baixistas de hedge funds, o Bitcoin mostra estabilidade em 24 horas, negociado na faixa dos US$ 66 ml    
Imagem da matéria: Scarpa quer desfecho de ação contra Willian Bigode por golpe cripto: “Já passou da hora”

Scarpa quer desfecho de ação contra Willian Bigode por golpe cripto: “Já passou da hora”

O jogador do Atlético Mineiro está desde o ano passado atrás dos valores investidos na WLJC Gestão Financeira através de Bigode
javier milei presidente da argentina

Milei é criticado por propor regulação cripto: “Sofrerá as consequências de não entender o Bitcoin”

“Javier Milei cometeu grande erro. Ele nunca reservou um tempo para entender o Bitcoin e irá sofrer as consequências”, disse Max Keiser
Imagem no escuro sugere hacker confuso

Ataques hacker no mercado cripto caíram pela metade em março, aponta relatório

Levantamento diz que queda na exploração de protocolos DeFi vem ocorrendo mês a mês