Joe Biden posa para foto
Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden (Foto: Shutterstock)

O presidente dos EUA, Joe Biden, emitiu na segunda-feira (13) uma ordem administrativa contra a empresa de mineração de criptomoedas MineOne Cloud Computing Investment para que venda seu terreno e encerre operações no prazo de 120 dias.

Segundo o governo, a mineradora com sede nas Ilhas Virgens Britânicas oferece “risco à segurança nacional” por estar próxima a uma base militar de mísseis nucleares e ser majoritariamente dirigida por chineses.

Publicidade

“Há evidências confiáveis ​​que me levam a acreditar que MineOne, através da aquisição de determinados imóveis que está localizado a 1,6 km da Base Aérea Francis E. Warren (“Warren AFB”) podem tomar medidas que ameacem prejudicar a segurança nacional dos Estados Unidos”, diz um trecho do documento assinado por Joe Biden.

“A presença de equipamento especializado e de origem estrangeira potencialmente capaz de facilitar atividades de vigilância e espionagem, representa um risco para a segurança nacional”, acrescenta.

Fora isso, a compra do terreno pela MineOne não foi informada ao Comitê de Investimento Estrangeiro nos Estados Unidos (CFIUS), que, segundo a CNBC, desde de 2018 tem autoridade para analisar transações imobiliárias perto de instalações sensíveis dos EUA, incluindo a Base Aérea Francis E Warren.

A medida da administração Joe Biden surge no contexto de uma repressão mais ampla às empresas chinesas nos EUA antes das próximas eleições presidenciais e no meio de tensões entre as duas maiores economias do mundo, comentou o site.

Publicidade

Empresa de mineração acendeu alerta de segurança nacional

No ano passado, um data center da Microsoft que faz serviços para o Pentágono, denunciou que uma mineradora cripto chinesa, possivelmente se referindo a MineOne, operava a um quilômetro e meio de uma base militar dos EUA.

Mesmo com a Microsoft afirmando que não havia indicação direta de atividades maliciosas por parte desta da mineradora, o episódio acendeu um alerta nacional e mobilizou a Casa Branca nas investigações.

“Enquanto se aguarda mais descobertas, sugerimos a possibilidade de que o poder computacional de uma operação de mineração de criptomoedas de nível industrial, juntamente com a presença de um número não identificado de cidadãos chineses nas proximidades diretas do Data Center da Microsoft e de uma das três bases de mísseis estratégicos em os EUA, fornece vetores de ameaça significativos”, disse a empresa fundada por Bill Gates.

Na época, membros do governo disseram ao The New York Times que foram tomadas medidas para mitigar uma potencial coleta de informações, mas não deram maiores detalhes.

VOCÊ PODE GOSTAR
Presidente do Banco Central Roberto Campos Neto falando diante de um microfone

Presidente do Banco Central se reúne com MB um dia após anunciar agenda da regulação do mercado cripto

O Banco Central divulgou ontem os próximos passos para a regulação do setor cripto e espera concluir o processo até o final de 2024
Imagem da matéria: Plume, blockchain de tokenização de RWA, capta US$ 10 milhões em rodada de investimento

Plume, blockchain de tokenização de RWA, capta US$ 10 milhões em rodada de investimento

Plume hospeda mais de 80 projetos RWA, abrangendo itens colecionáveis, ativos alternativos, sintéticos, bens de luxo, imóveis, DeFi e muito mais
Imagem da matéria: Ethereum tem melhor sequência de alta em 3 anos e pode saltar 60% se ETF for aprovado, dizem analistas

Ethereum tem melhor sequência de alta em 3 anos e pode saltar 60% se ETF for aprovado, dizem analistas

Se a SEC aprovar os pedidos de ETF de Ethereum nesta quinta-feira, enviará um sinal positivo que pode levar o ativo a disparar, assim como ocorreu com o Bitcoin em janeiro
Imagem da matéria: Caitlyn Jenner promove sua própria memecoin, mas comunidade suspeita de hackers

Caitlyn Jenner promove sua própria memecoin, mas comunidade suspeita de hackers

Memecoin de Caitlyn Jenner já vale quase US$ 30 milhões, mas o mercado ainda tem dúvidas sobre a veracidade do ativo