Imagem da matéria: Banco brasileiro faz parceria com startup de criptomoedas para fornecer serviços bancários
Foto: Shuttertock

O Banco Topázio, instituição financeira com sede em Porto Alegre (RS), fechou uma parceria com a empresa americana de consultoria e análise de blockchain Chainalysis. Conforme anúncio feito na segunda-feira (22), o acordo tem como objetivo fornecer serviços bancários a empresas de criptomoedas.

Segundo comunicado da instituição brasileira, por meio do acordo o Banco Topázio vai usar o software ‘Chainalysis Reactor’. A solução explora, investiga e indica soluções para sistemas que conectam entidades financeiras nas transações de criptomoedas — a consultoria americana tem como um de seus focos combater atividades criminosas no blockchain.

Publicidade

Segundo o Topázio, essas análises incluem empresas de Câmbio, APIs de ‘Bank as a Service’ (BaaS) e transferências bancárias locais.

Banco já opera criptomoedas

De acordo com o Topázio, embora a regulamentação de criptomoedas ainda não seja realidade no Brasil, a instituição já opera no mercado de criptoativos. Segundo a publicação, “investindo em tecnologia e estabelecendo no mercado parâmetros de melhores práticas, antes da aplicação das diretrizes do GAFI (sigla para Grupo de Ação Financeira Internacional)”.

Lia Thomazzi Susin, gerente de Câmbio do Topázio, disse que a empresa está em constante evolução em processos de câmbio e que busca excelência tecnológica, equipe qualificada e aplicação das melhores práticas do mercado.

“A parceria com a Chainalysis contribui muito nesse processo, fortalecendo ainda mais a segurança e integridade das nossas operações com criptoativos”, na nota.

Publicidade

“Realizar análise e acompanhamento dos clientes com Reactor permite validar a rastreabilidade que os criptoativos têm por serem registrados em blockchain”, comentou Raíssa Sanguinetti, analista de câmbio do Banco Topázio.

Para o diretor de receita da Chainalysis, Jason Bonds, o Banco Topázio está liderando o crescimento responsável do setor no Brasil. Segundo ele, ao fechar a parceria, a fintech brasileira está definindo o padrão de conformidade à frente da curva regulatória.

Sobre o Banco Topázio

O Topázio está presente no mercado financeiro desde 2005, atuando como financeira e se tornando banco em 2009, cujo modelo de negócios funciona sem agência física, como nos bancos digitais.

Em 2017, iniciou um processo de transformação com foco na melhoria de seus canais, como o Bank as a Service, ampliando as operações com Fintechs e outros parceiros de serviços financeiros digitais.

Publicidade

Atualmente, o Topázio é focado em ofertar produtos a pessoas físicas e jurídicas, como linhas de crédito, câmbio e investimento.

Sobre a Chainalysis

A Chainalysis é a empresa de análise de blockchain que fornece dados e análises para agências governamentais, exchanges de criptomoedas, e instituições financeiras em 40 países.

A startup foi financiada pelo investidor-anjo Benchmark e outros nomes importantes em capital de risco depois ajudar no caso Mt. Gox, exchange japonesa que foi hackeada em 850 mil bitcoins. O caso entrou para a história dos maiores roubos no mercado de criptomoedas.


Compre Bitcoin na Coinext 

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
Gustavo Scarpa em um campo de futebol usando o uniforme do Atlético Mineiro

Scarpa x Bigode: Pedras preciosas não valem como garantia em processo contra pirâmide cripto, diz PF

Um laudo das pedras de alexandrita apreendidas da suposta pirâmide Xland foi avaliado por um juiz, que determinou que elas não têm valor significativo
Imagem da matéria: Projeto de universitários brasileiros ganha R$ 50 mil em hackathon global da Solana

Projeto de universitários brasileiros ganha R$ 50 mil em hackathon global da Solana

Grupo criou aplicação para conectar via blockchain produtores de energia e estações de abastecimento, com a mira no mercado de carros elétricos
Ilustração mostra mapa do Brasil com pontos ligados em blockchain

Banco Central, UFRJ, Polkadot e Ripple se unem para aprofundar pesquisas sobre interoperabilidade entre blockchains e DREX

A Federação Nacional de Associações dos Servidores do Banco Central (Fenasbac) antecipa…
moeda de bitcoin dentro de armadilha selvagem

CVM faz pegadinha e descobre que metade das pessoas cairia em golpe com criptomoedas

Junto com a Anbima, a entidade criou um site de uma empresa fictícia que simulava a oferta de investimentos com lucros altos irreais