javier milei presidente da argentina
Javier Milei, presidente da Argentina (Foto: Shutterstock)

A Câmara Argentina Fintech, associação que representa parte do setor de startups do mercado financeiro no país, apresentou para o novo presidente da Argentina, Javier Milei, um projeto para regulamentar o setor de criptomoedas. A ideia do grupo é fazer avançar o setor de ativos tokenizados (Real World Assets, na expressão em inglês), conforme aponta reportagem do portal Criptonoticias

A proposta indica a necessidade de a Argentina criar um marco regulatório que facilite a entrada de empreendedores neste setor. Um ponto fundamental nesse processo é definir uma classificação adequada de cada tipo de token cripto, afirma a entidade.

Publicidade

A ideia é que a Comisión Nacional de Valores (CVM local) defina o que é valor mobiliário e os trate de forma separada de tokens de pagamentos, utility tokens e ativos tokenizados. 

Curiosamente, a associação pede que não seja utilizado na definição o famoso Teste Howey, que é usado para classificar a classe de ativos nos Estados Unidos. 

Para criar o marco regulatório, o projeto pretende impor modificações na Lei de Assinatura Digital, no Código de Defesa do Consumidor e nas Diretrizes Nacionais de Blockchain publicadas pelo Poder Executivo.

Sobre a importância dos Real World Assets, o projeto afirma que “a tokenização de ativos permitiu a elaboração de certificados de depósito de grãos armazenados na Argentina; certificados de participação em trustes cujo patrimônio seja constituído por campos em produção; certificados de ações, empréstimos ou outros acordos vinculados aos proprietários de imóveis que produzam rendimentos em Espanha”.

Publicidade

Lei do Bitcoin na Argentina

O projeto da associação de fintechs se soma ao apresentado no dia 10 de novembro pela ONG Bitcoin Argentina, “Lei Bitcoin” durante LaBitConf 2023, que foi realizada na Argentina.

A ONG também tem como proposta fornecer um marco legal para operações com Bitcoin (BTC) e criptoativos no país.

O documento de lançamento da proposta aponta dois focos no projeto. O primeiro é “preservar a descentralização e a desintermediação” como ferramenta de privacidade e proteção patrimonial, inclusão e desenvolvimento financeiro de pessoas e empresas, ou seja, dar espaço para o avanço das novas tecnologias.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Ethereum pode surpreender positivamente nos próximos meses, diz Coinbase

Ethereum pode surpreender positivamente nos próximos meses, diz Coinbase

Subindo menos que outras criptomoedas em 2024, o Ethereum pode se recuperar e superar seus pares nos próximos meses, avalia a Coinbase
Imagem da matéria: FTX prometeu devolver 118% dos fundos dos clientes; o que acontece agora?

FTX prometeu devolver 118% dos fundos dos clientes; o que acontece agora?

Segundo os balanços, a FTX deve cerca de US$ 11 bilhões, e conseguiu levantar entre US$ 14,5 e US$ 16,3 bilhões até agora
Imagem da matéria: Bitcoin salta 6% e supera US$ 66 mil conforme a inflação desacelera nos EUA

Bitcoin salta 6% e supera US$ 66 mil conforme a inflação desacelera nos EUA

“Os números do CPI dos EUA desencadearam uma ruptura na faixa de ativos de risco”, disse a empresa de Cingapura QCP Capital sobre a alta do Bitcoin
dupla de homens sendo presa

Irmãos são presos por roubo de R$ 130 milhões em ataque de 12 segundos na rede Ethereum

O procurador americano Damian Williams disse que “este suposto esquema era novo e nunca havia sido acusado antes”