Imagem da matéria: Advogados que defendiam Bitcoin Banco na Recuperação Judicial e na CVM saem por falta de pagamento
Cláudio Oliveira, criador do GBB, em pronunciamento no Youtube (Foto: Reprodução/Youtube)

Os advogados do escritório Jorge Domingos não representarão mais o grupo Bitcoin Banco (GBB) nos processos de Recuperação Judicial (RJ) na Justiça e no processo administrativo da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). O motivo da saída foi a falta de pagamento dos honorários.

De acordo com o documento que o Portal do Bitcointeve acesso, o GBB foi notificado no último dia 16 por Aviso de Recebimento. A notificação foi juntada nesta terça-feira (23) na ação que cuida da RJ , a qual  tramita perante a 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de Curitiba (PR).

Publicidade

O escritório, por meio de uma petição de duas páginas, afirmou que não faz mais parte da defesa do GBB. Os advogados, então, pediram a intimação das empresas, bem como Cláudio Oliveira e Jhonny Pablo Santos, para que “promovam suas regularizações processuais, com a constituição de novo patrono judicial”.

Bitcoin Banco sem advogados

Eles ainda pediram a retirada do nome de Carlos Eduardo Quadros Domingos do cadastro de patrono das recuperandas. Na notificação extrajudicial que foi juntada em anexo à petição, os advogados mencionaram que além da falta de pagamento, não há mais a confiança de antes.

“A Notificante informa que a presente renúncia se encontra fundamentada pela falta de pagamento de honorários advocatícios contratuais devidos e pela quebra de confiança necessária para receber poderes dos Notificados”.

Não se sabe desde quando o Grupo Bitcoin Banco está sem pagar os seus advogados. Consta apenas, portanto, que o escritório diante dos honorários atrasados deixará de atuar em todos os processos.

Publicidade

Com isso, eles além de sair do processo de Recuperação Judicial nº 0015989-91.2019.8.16.0185, deixarão de atuar em quaisquer outros que surjam deste.

Os advogados declararam que também deixarão de atuar no Processo Administrativo Sancionador nº 19957.009444/2019-58, junto à CVM.

Os advogados do escritório Jorge Domingos só atuaram em defesa do GBB por cerca de seis meses. Na notificação extrajudicial, o escritório mencionou que o mandato para defender as empresas no PRJ se deu em 29 de janeiro deste ano.

Já, quanto ao Processo Administrativo Sancionador, o mandato veio depois: em 13 de fevereiro de 2020.

Casos semelhantes

Essa não é primeira vez que advogados deixam de defender o Bitcoin Banco por falta de pagamentos de honorários. 

Sete dias antes de o escritório Jorge Domingos assinar o mandato para defender o grupo na RJ, o escritório de advogados Edson Isfer e Luiz Daniel Felippe havia renunciado. O motivo, porém, não foi revelado.

Antes deles, contudo, o Nelson Willians era quem representava o grupo. Esse escritório defendeu o GBB em centenas de processos por todo Brasil. Agora tem contra a empresa um processo no qual cobra R$ 1,8 milhão pelos serviços prestados.

Publicidade

Os advogados do Nelson Wilians entraram, portanto, na defesa do grupo econômico Bitcoin Banco após a saída de Ismair Couto, que já foi diretor jurídico do  GBB.

Dados do pedido de Recuperação Judicial do Bitcoin Banco mostram que Couto tem, então, R$ 71 mil para receber — R$ 20 mil em créditos trabalhistas e R$ 51 mil em créditos quirografários.


BitcoinTrade: Negocie criptomoedas com segurança e agilidade!

Cadastre-se agora! Eleita a melhor corretora do Brasil. 95% dos depósitos aprovados em menos de 1 hora! Acesse: bitcointrade.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
Nathalia Arcuri falando em evento

Mercado Bitcoin e Nathalia Arcuri firmam parceria de conteúdo via blockchain

Mercado Bitcoin e Nathalia Arcuri firmam parceria via blockchain e promovem educação financeira de criptoeconomia gratuita
Imagem da matéria: Justiça nega pedido de liberdade para PM acusado de vender armas ao "Faraó do Bitcoin"

Justiça nega pedido de liberdade para PM acusado de vender armas ao “Faraó do Bitcoin”

Réu é acusado de ser responsável pela segurança do criador da GAS Consultoria e vender armas para a organização criminosa
moeda de bitcoin dentro de armadilha selvagem

CVM faz pegadinha e descobre que metade das pessoas cairia em golpe com criptomoedas

Junto com a Anbima, a entidade criou um site de uma empresa fictícia que simulava a oferta de investimentos com lucros altos irreais
miniatura de homem sob pulpito e moeda gigante de bitcoin ao lado

Brasileiros não podem usar criptomoedas para fazer doações nas eleições municipais

A Procuradoria-Geral da República explicou as regras de doações para as eleições municipais de 2024