blaze
Erick Loth Teixeira está ligado ao cassino online acusado de fraude (Foto: Reprodução/Instagram)

O dono do domínio blaze.com.br é o brasileiro Erick Loth Teixeira. A informação foi divulgada na quarta-feira (07), pelo youtuber Daniel Penin, que rastreou o nome por meio da plataforma Whois, que divulga informações de domínios da internet. 

Quando uma busca no Whois era feita pelo domínio mais conhecido, blaze.com, a propriedade aparecia como sendo de uma empresa especializada em justamente manter no anonimato pessoas donas de domínios na internet. 

Publicidade

Porém, Penin reparou que ao tentar acessar blaze.com.br, ocorria uma redirecionamento automático para o site oficial (blaze.com/pt). Foi então que decidiu checar o registro do cassino com final de domínio brasileiro e chegou ao nome de Erick Loth Teixeira. 

Em suas redes sociais, Teixeira aparece usando boné da Blaze em foto com Jon Vlogs, que já disse ser o responsável por coordenar a ação massiva de marketing do cassino via influencers. 

Em outra foto, Teixeira aparece com camisa da Blaze em uma foto com um grupo de pessoas ao redor do humorista Fábio Porchat. Penin afirma que antes de seus vídeos o Instagram do dono do domínio blaze.com.br era aberto e que ele era seguido por muitas celebridades. 

Após os vídeos, Teixeira fechou sua conta — e os influencers pararam de segui-lo, segundo o youtuber. 

Daniel Penin preferiu em seu vídeo mostrar documentos e fotos borrados para não divulgar o nome e rosto de Erick Loth Teixeira, dizendo temer represálias.

Publicidade

Mas o registro no Whois continua igual, o que permite a identificação de seu nome e os rastros digitais de fotos continuam pela internet. 

O cassino vinha sendo divulgado pelos principais influencers do Brasil, como Felipe Neto e Neymar, também patrocina times como o Santos. Porém, a empresa não tem um CNPJ no Brasil nem um responsável claro, o que aumentou o mistério para se entender quem de fato é o dono da companhia.

Procurado, Teixeira não respondeu até a publicação desta reportagem.

Dados do site Whois apontam Erick Loth Teixeira como dono do domínio blaze.com.br
Erick Loth Teixeira, dono do domínio blaze.com.br, aparece em foto com Fábio Porchat: Teixeira é o homem branco, calvo e com barba, bem ao centro da foto (Foto: Reprodução/Instagram)

O caso Blaze

Portal do Bitcoin vem investigando o caso Blaze desde junho de 2022 ao mostrar a febre que a empresa havia se tornado no Brasil impulsionada pela divulgação dos principais influencers do Brasil.

Desde então o caso cresceu e a empresa também. O Portal do Bitcoin publicou reportagem feita em parceria com a rede global de jornalistas que investigam crimes transnacionais OCCRP (Organized Crime and Corruption Reporting Project) mostrando que a Blaze acumula processos na Justiça acusada de roubar clientes.

Publicidade

Dados do site de análise de tráfego online SimilarWeb mostram que o site da empresa teve 41 milhões de acessos em abril — dos quais 98,93% vieram do Brasil.

O cassino atualmente patrocina o Santos. Em 2022, fechou parceria com o Botafogo. Naquela ocasião, o clube carioca se negou a dizer quem assinou o contrato em nome da Blaze.

Veja abaixo o vídeo de Daniel Penin:

VOCÊ PODE GOSTAR
Antônio Ais posa para foto ao lado de carro

Criador da Braiscompany, Antônio Neto Ais é solto na Argentina

O benefício de prisão domiciliar valerá até que o processo de extradição para Brasil seja resolvido
Antônio Neto Ais e Fabrícia Campos, casal que lidera a Braiscompany (Foto: Reprodução/Instagram)

MPF faz nova denúncia contra donos da Braiscompany e doleiro por lavagem de dinheiro

Antônio Neto e Fabrícia Farias realizaram operações financeiras de grande porte com características de lavagem de dinheiro em pleno colapso da pirâmide
moeda de bitcoin dentro de armadilha selvagem

CVM faz pegadinha e descobre que metade das pessoas cairia em golpe com criptomoedas

Junto com a Anbima, a entidade criou um site de uma empresa fictícia que simulava a oferta de investimentos com lucros altos irreais
simbolo do dolar formado em numeros

Faculdade de Direito da USP recebe evento da CVM sobre democratização dos mercados de capitais

Centro de Regulação e Inovação Aplicada (CRIA) da CVM vai a “Tecnologia e Democratização dos Mercados de Capitais no Brasil” com transmissão ao vivo no Youtube