Imagem da matéria: Youtube pede desculpa por bloqueio de canal sobre bitcoin e criptomoedas
Foto: Shutterstock

O Youtube, maior plataforma de streaming do mundo, foi ao Twitter para pedir desculpas ao Bankless e sua comunidade por ter banido seu canal no domingo (08). Com 150 mil inscritos e mais de 500 vídeos publicados, o canal homônimo é focado em educação sobre criptomoedas e na economia da rede Ethereum.

“Confirmando que o canal Bankless está de volta. Sentimos muito que isso tenha acontecido”, escreveu a conta @TeamYouTube.

Publicidade

A notícia do bloqueio começou a circular no comecinho da tarde de domingo, após um tweet do Bankless. Citando os números do canal —  “150.000 inscritos e mais de 10.000 horas de conteúdo” —, o Bankless escreveu: 

“A conta do Bankless no Youtube foi encerrada. Sem aviso. Nenhuma notificação. Ei, Youtube, nossa comunidade gostaria de uma palavra sua”. No mesmo tweet, a conta pediu ajuda à comunidade: “Retweet para que o Youtube ouça você: não é legal banir conteúdo sobre criptomoedas”.

Após o desbloqueio, a equipe do canal agradeceu a CEO do Youtube Susan Wojcicki pela ajuda e a convidou para debater sobre o assunto em um podcast.

“Às vezes parece que os seus robôs são direcionados para as criptomoedas e a comunidade fica se perguntando por quê. Você quer vir bater um papo sobre isso?”.

Youtube e criptomoedas

O Youtube já foi mais duro no passado com canais sobre criptomoedas, banindo sem explicação conteúdos ao menor sinal de golpe e restaurando depois após análise com suas diretrizes de violação. 

Publicidade

No ano passado, por exemplo, o youtuber brasileiro Diego Consimo conseguiu recuperar seu canal Crypto Investidor apenas três semanas depois e por meio de decisão judicial. Ele também recebeu pedidos de desculpas.

“Foram dias de desespero, pois vi um trabalho de três anos, que me empenho todo dia para fazer, desaparecer”, disse ele na época.

Em 2020, vários canais foram afetados por medidas do Youtube, como o Dash Dinheiro Digital do youtuber Rodrigo Digital. “Tudo foi deletado de uma hora para outra, sem desculpa nenhuma”, afirmou na ocasião.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Banco do Brasil e BTG estão entre os maiores detentores do ETF de Bitcoin da BlackRock

Banco do Brasil e BTG estão entre os maiores detentores do ETF de Bitcoin da BlackRock

Segundo Eric Balchunas, da Bloomberg, as 30 instituições são responsáveis por apenas 0,2% de tudo que o ETF da BlackRock tem
Imagem da matéria: EUA não têm autoridade para processar trades DeFi, diz advogado do hacker da Mango Markets

EUA não têm autoridade para processar trades DeFi, diz advogado do hacker da Mango Markets

Avraham Eisenberg é o trader cripto acusado de drenar mais de US$ 100 milhões da plataforma de negociação Mango Markets
Imagem da matéria: Michael Saylor está no Brasil para participar de evento do Itaú

Michael Saylor está no Brasil para participar de evento do Itaú

O famoso entusiasta do Bitcoin veio ao Brasil para participar de um evento fechado com clientes do Itaú
Imagem da matéria: Solana encontra solução para lentidão e apressa validadores a atualizar "o mais rápido possível"

Solana encontra solução para lentidão e apressa validadores a atualizar “o mais rápido possível”

Os desenvolvedores da Solana criaram uma correção para o congestionamento e pedem ajuda dos validadores nos testes