Imagem da matéria: Braiscompany: Vítimas fazem abaixo-assinado pedindo que polícia argentina prenda líderes foragidos
Antônio Neto Ais e Fabrícia Campos, casal que lidera a Braiscompany (Foto: Reprodução/Instagram)

No início desta semana, surgiu na internet um abaixo-assinado pedindo a cooperação das autoridades argentinas para a captura e extradição do casal que comandava a pirâmide financeira Braiscompany, Antônio Neto Ais e Fabrícia Campos.

“Queridos hermanos, através deste instrumento buscamos colaboração na captura de um casal fugitivo que se refugia na Argentina”, diz o pedido criado pelo advogado especializado em criptoativos Artêmio Picanço.

Publicidade

No início deste mês, um ex-funcionário da Braiscompany que havia sido preso em junho em Puerto Iguazú, na região da fronteira com Foz do Iguaçu, no Paraná, foi extraditado da Argentina para o Brasil. E é justamente na Argentina que os investidores da Braiscompany acreditam que Antônio e Fabrícia estão escondidos.

Leia também: PF indicia sócios da Braiscompany e aponta fuga para Argentina com passaporte de parentes: “Organização criminosa”

Para atrair assinantes, Picanço diz na descrição do pedido que “eles foram responsáveis ​​por uma fraude financeira multimilionária no Brasil e merecem responder pelos seus crimes. Atualmente estão na lista vermelha da Interpol e, aparentemente, estão localizados em San Isidro, no bairro de Buenos Aires”.

O texto aponta que a petição é uma forma de alcançar justiça e “combater a impunidade que atualmente assola todos os prejudicados por essas pessoas que destruíram a vida de inúmeras famílias ao redor do mundo”.

Até a manhã desta quarta-feira (20) o abaixo-assinado tinha 1.993 assinaturas, sendo a próxima meta definida em 2.500. Além disso, já existem dezenas de comentários de pessoas se dizendo lesadas pelo golpe ou por outras pirâmides e que agora pedem por justiça.

Publicidade

Ex-funcionário extraditado

Há algumas semanas um dos ex-funcionários da Braiscompany foi extraditado da Argentina para o Brasil após ter sido preso em junho em Puerto Iguazú, na região da fronteira com Foz do Iguaçu, no Paraná.

A Justiça não informou o nome de quem seria transferido, mas na ocasião foram três ex-funcionários da empresa presos em Puerto Iguazú: Victor Hugo Learth, Arthur Barbosa e Sabrina Lima. Como Arthur e Sabrina estão detidos no Brasil, Victor Hugo deve ter sido o provável alvo da extradição.

As prisões dos envolvidos com a pirâmide foram parte da Operação Halving, iniciada pela Polícia Federal em fevereiro deste ano.

O caso Braiscompany

A Braiscompany era uma empresa que prometia retornos fixos aos seus clientes por meio do suposto investimento em criptomoedas. O esquema pedia que a pessoa comprasse valores em Bitcoin e os enviasse para uma wallet da empresa.

Publicidade

Em dezembro do ano passado, a Braiscompany parou de pagar os clientes. Em fevereiro deste ano, a pirâmide ruiu: o Ministério Público Federal abriu um processo penal contra Neto Ais e Fabrícia Campos e a Justiça autorizou pedidos de prisão preventiva. O casal, no entanto, fugiu.

Segundo a PF, nos últimos quatro anos, foram movimentados cerca de R$ 1,5 bilhão em criptomoedas vinculadas aos sócios da Braiscompany.

You May Also Like
Ronaldinho Gaúcho de boina e camisa preta e óculos escuros na Câmara dos Deputados durante sessão da CPI das Pirâmides Financeiras

Justiça absolve Ronaldinho Gaúcho em processo contra a 18K e condena sócios

Os responsáveis pela 18K Ronaldinho, Rhafael de Oliveira e Marcelo Marcelino, terão que devolver R$ 14,4 mil à vítima do golpe
gêmeos Cameron e Tyler Winklevoss

Grupo político Fairshake recebeu US$ 6,8 milhões dos gêmeos Winklevoss e VCs em janeiro

Outros doadores da super PAC Fairshake incluíram empresas de capital de risco como a Electric Capital e Blockchain Capital
Imagem da matéria: Fundador do 'Axie Infinity' sofre hack de US$ 9,5 mi em Ethereum

Fundador do ‘Axie Infinity’ sofre hack de US$ 9,5 mi em Ethereum

Ao todo, cerca de 3.250 ETH (US$ 9,5 milhões) foram roubados das carteiras da rede Ronin e enviados para três carteiras Ethereum separadas
Imagem da matéria: "Dinheiro grátis": os airdrops mais populares do momento

“Dinheiro grátis”: os airdrops mais populares do momento

Aqui está a lista dos maiores airdrops futuros, de Starknet a Pixels, Wormhole, Blast e muito mais