Imagem da matéria: Vídeo: Clientes da GAS Consultoria comemoram por engano liberdade de Glaidson dos Santos
Glaidson e a esposa Mirelis Zerpa (Foto: Divulgação)

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra centenas de clientes da GAS Consultoria comemorando, por engano, na tarde da quarta-feira (26), a liberdade de Glaidson Acácio dos Santos, dono da GAS Consultoria. “Uh, é G.A.S”, gritou seus apoiadores.

No entanto, logo veio a frustração. Por 2 votos a 1 o Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) negou mais um pedido de habeas corpus impetrado pela defesa do ex-garçom. Ele é suspeito de pirâmide financeira com criptomoedas e réu em processo que apura crimes contra o sistema financeiro nacional.

Publicidade

Alarme falso frustra GAS Consultoria

Como mostram as imagens, os apoiadores do negócio — que promete até 10% de rendimentos ao mês — se reuniram na frente do TRF2, que fica no centro do Rio de Janeiro. Eles estavam vestidos com uma camiseta branca com a sigla G.A.S nas costas, o que sugere que o movimento foi organizado antecipadamente.

Nos arredores do número 80 da rua Acre, onde fica o Tribunal, o grupo fixou faixas de apoio ao réu: “Macaé está com G.A.S. Agradecemos e estamos com Glaidson”, diz uma das frases. Outra faixa diz “Quem trabalha com criptomoedas não é bandido”.

Não se sabe de onde partiu ou quem deu a falsa notícia que Glaidson havia sido beneficiado com o Habeas Corpus. Contudo, a gritaria tomou conta da ‘torcida da GAS’.

Outros vídeos postados por veículos de comunicação também mostram apoiadores de Glaidson gritando “Solta o homem”. E quando ao sinal falso de liberdade, “Obrigado meu Deus”.

Publicidade

Assista ao vídeo:

Decisão de Habeas Corpus

Segundo publicação do TRF2, um dos argumentos dos magistrados, do desembargador Flávio Lucas, para negar a soltura de Glaidon, é a “possibilidade é real” de fuga do réu, já que ele tem “recursos e estrutura para se estabelecer fora do país”.

Este já é o terceiro pedido de habeas corpus impetrado pela defesa de Glaidson, que está preso desde agosto sob acusações de crime contra o sistema financeiro nacional, supostamente aplicado a partir de sua empresa GAS Consultoria. O negócio é conhecido em Cabo Frio, no Rio de Janeiro, por oferecer controversos contratos de investimentos em criptomoedas.

A Polícia Federal, a CVM e o Ministério Público, juntaram documentos apreendidos na operação Kryptos e a Justiça o tornou réu no início deste mês, juntamente com mais 16 acusados. Sua esposa Mirelis Zarpa, provável cabeça do negócio que prometia 10% de rendimentos ao mês, ainda está foragida.


Na ocasião da prisão de Glaidson e demais suspeitos, os agentes da PF e Receita Federal apreenderam 591 bitcoins, avaliados na cotação atual em cerca de R$ 195 milhões, dezenas de carros de luxo e mais de R$ 13 milhões em espécie.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Epik Duck: Conheça o projeto que foi de piada a memecoin de US$ 25 milhões

Epik Duck: Conheça o projeto que foi de piada a memecoin de US$ 25 milhões

Memecoins como a EPIK estão se tornando cada vez mais populares no universo das criptomoedas. Isso é bom ou ruim?
Imagem da matéria: Microsoft lança PC com IA que vai lembrar tudo que você faz na internet

Microsoft lança PC com IA que vai lembrar tudo que você faz na internet

A big tech revelou o Copilot+ PC “projetado para IA” que recorda tudo o que é exibido na tela do seu computador
Imagem da matéria: Drenador de carteiras de criptomoedas encerra negócio após roubar mais de US$ 85 milhões

Drenador de carteiras de criptomoedas encerra negócio após roubar mais de US$ 85 milhões

“Alcançamos nosso objetivo e agora, de acordo com o planejado, é hora de nos aposentarmos”, disseram os desenvolvedores do drenador de carteiras cripto
Imagem da matéria: Aprovação hoje dos ETFs de Ethereum é "provável", dizem fontes próximas à SEC

Aprovação hoje dos ETFs de Ethereum é “provável”, dizem fontes próximas à SEC

Fontes disseram à Fox Business que a SEC está se baseando em decisões judiciais recentes para dar o sinal verde aos ETFs de Ethereum