Fachada de um prédio da BlackRock na Califórnia, EUA
Shutterstock

Na semana passada ocorreu a histórica aprovação dos primeiros ETFs de Bitcoin à vista nos Estados Unidos, com dez fundos estreando no mercado na quinta-feira. E de todos eles, o que talvez mais chama atenção dos investidores é o da BlackRock, a maior gestora do mundo.

Com mais de US$ 10 bilhões em ativos sob gestão, a BlackRock agitou o mercado quando anunciou que entraria na disputa para ter um fundo negociado em bolsa (ETF) de Bitcoin. Isso porque, com seu tamanho, esperava-se que ela também movimentaria grandes quantias de BTC.

Publicidade

E o resultado realmente foi positivo. Em dois dias, a gestora registrou uma entrada de novo capital de US$ 497,7 milhões no seu ETF iShares Bitcoin Trust, segundo informações do analista de ETF da Bloomberg, Eric Balchunas.

Segundo o site oficial do fundo iShares da BlackRock, até o dia 12 de janeiro ele tinha 11.439,21980 BTC em carteira, o que equivalia a US$ 497,994 milhões. Além de US$ 49,187 em dinheiro.

Isso é praticamente um terço de todo valor arrecadado pelos ETFs de Bitcoin nos dois primeiros dias de negociação, de acordo com Balchunas, com um fluxo de US$ 1,5 bilhão no período para os nove fundos (excluindo o da Grayscale que é uma conversão de ETF e o da Hashdex que não estreou ainda).

O analista da Bloomberg ainda divulgou que o ETF da Fidelity ficou em segundo lugar com maior volume, US$ 422,3 milhões em entradas, com a Bitwise em terceiro lugar, com US$ 237 milhões. O ETF da WisdomTree ficou em último, com apenas US$ 1 milhão em entradas.

Publicidade

CEO da BlackRock exalta as criptomoedas

Na esteira da aprovação dos ETFs, o CEO da BlackRock, Larry Fink, realizou uma série de entrevistas para exaltar o momento e falar sobre as criptomoedas. Ele elogiou o Bitcoin como uma reserva de valor e uma ferramenta para frustrar a manipulação econômica governamental.

“Sejamos claros: se você está em um país onde teme seu governo – e talvez seja uma das razões pelas quais a China o proibiu – se estiver em um país onde teme seu futuro, teme seu governo, ou tem medo de que seu governo esteja desvalorizando sua moeda por déficits excessivos, você poderia dizer que esta é uma ótima potencial reserva de valor a longo prazo”, disse ele à Fox Business.

Em uma entrevista para a CNBC, Fink disse também ver valor em um ETF de Ethereum. “Eu vejo valor em ter um ETF de Ethereum. Como eu disse, esses são apenas os primeiros passos em direção à tokenização”, concluiu.

No entanto, Fink evitou comentar quando perguntado sobre futuros ETFs baseados em outras criptomoedas, mais especificamente XRP. “Eu não posso comentar”, disse ele, “e você não quer que eu faça isso”.

VOCÊ PODE GOSTAR
Pai Rico Pai Pobre Robert Kiyosaki posa para foto

Autor de “Pai Rico, Pai Pobre” explica por que não vai comprar ETF de Bitcoin

Robert Kiyosaki defende há anos Bitcoin, ouro e prata como as maiores reservas de valor
Baleia dourada envolto a moedas de bitcoin

Baleia adormecida por 14 anos movimenta R$ 17 milhões em Bitcoin

As transações dos 50 BTCs oriundos da recompensa de bloco em 2010 ocorreram nesta manhã de segunda-feira (15)
Ilustração de moeda gigante de Bitcoin observada por investidores e prestes a ser cortada ao meio

Quando será o próximo halving do Bitcoin?

O tão falado halving do Bitcoin acabou de acontecer, e o próximo já está no horizonte.
moeda de bitcoin partida ao meio e apoiada em máquina de mineração

Bitcoin conclui 4º halving com sucesso e recompensa de mineradores cai pela metade

Saiba como foi o evento e veja as previsões de preço do Bitcoin daqui para frente