Imagem da matéria: Token do Avalanche atinge alta semanal com recuperação do setor DeFi
Foto: Shutterstock

O token nativo do Avalanche, uma blockchain alternativa e mais rápida à principal plataforma de contratos autônomos Ethereum, disparou quase 11% e atingiu uma alta semanal de US$ 97 na manhã desta quarta-feira (16).

Desde então, AVAX caiu um pouco e, agora, está sendo negociado a US$ 95, de acordo com dados do site CoinMarketCap. Apesar da alta recente, o token ainda está 36% distante de sua alta recorde de US$ 146 registrada em novembro de 2021.

Publicidade

Liderado pelo ex-professor de ciência da computação da Universidade de Cornell Emin Gün Sirer, Avalanche foi lançado em 2020 e promovido como uma alternativa mais barata e eficiente ao Ethereum.

Possui muitos dos mesmos recursos que o Ethereum, incluindo Finanças Descentralizadas (ou DeFi, na abreviatura em inglês) e tokens não fungíveis (ou NFTs).

Desde então, a rede surgiu como uma das principais redes para atividades DeFi em particular. Por valor total bloqueado (ou TVL), uma métrica geral para medir quanto dinheiro está alocado em um protocolo, Avalanche é a quarto maior blockchain, com quase US$ 11,1 bilhões.

Atualmente, Ethereum lidera o mercado, com um impressionante TVL de US$ 123,1 bilhões, seguido de Terra (US$ 16,1 bilhões) e Binance Smart Chain (US$ 13 bilhões). Neste momento, todo o mercado DeFi por todas as blockchains é de US$ 208,6 bilhões, segundo o site DeFi Llama.

Publicidade
TVL total entre 7 de setembro de 2021 a 16 de fevereiro de 2022 (Imagem: DeFi Llama)

Os maiores projetos DeFi no Avalanche incluem o formador de mercado Aave, a corretora descentralizada (ou DEX) Trader Joe e o protocolo de empréstimos nativo da blockchain Benqi.

Cada projeto registrou uma alta em seu TVL nas últimas 24 horas em 4,3%, 6,5% e 4,5%, respectivamente.

Avalanche quer lançar “Subnets”

Apesar da alta taxa de processamento do Avalanche, sua estrutura não está imune aos congestionamentos e às altas taxas.

De acordo com dados do SnowTrace, o equivalente da rede ao Etherscan do Ethereum, o custo de negociar no Avalanche aumentou e negociou de acordo com a crescente atividade.

Gráfico de preço médio no explorador de blocos do C-Chain do Avalanche (Imagem: SnowTrace)

E assim como as soluções em segunda camada do Ethereum, Avalanche também possui sua própria solução de escalabilidade chamada Subnets para solucionar suas dores de crescimento.

Subnets permitem que projetos individuais, como Aave ou Trader Joe, por exemplo, alavanquem chains individuais que estejam conectados à rede principal do Avalanche, mas que não ocupem espaço nessa rede principal.

Publicidade

Recentes versões de teste dessa tecnologia mostraram como Subnets funcionariam para um mercado NFT, uma DEX nativa e um jogo cripto simples chamado Dark Forest.

Apesar de ainda não haver um cronograma definido para o lançamento das Subnets, investidores já sinalizaram seu interesse no futuro do Avalanche.

*Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
Tigran Gambaryan, chefe de compliance da Binance, posa para foto

Deputados pressionam Biden para trazer de volta aos EUA executivo da Binance detido na Nigéria

Em carta ao executivo, os deputados alegam que Tigran Gambaryan está na condição de refém do governo da Nigéria e corre risco de morrer de malária
Imagem da matéria: Setor cripto aumenta seu peso nas eleições dos EUA após Coinbase investir mais US$ 25 milhões

Setor cripto aumenta seu peso nas eleições dos EUA após Coinbase investir mais US$ 25 milhões

Exchange cripto Coinbase decidiu colocar ainda mais dinheiro no fundo do setor cripto para apoiar campanhas eleitorais nos EUA, que agora já chega a US$ 161 milhões
Ilustração mostra controle de videogame dentro de um data center

Immutable X investe na Trexx, startup brasileira de jogos blockchain

A estratégia do unicórnio é avançar com a adoção da blockchain games na América Latina
Fachada do MPDFT - Facebook

PM que atraía colegas de farda para pirâmide com criptomoedas é alvo do MP do DF

O policial militar e um grupo suspeito de pessoas e empresas teriam aplicado um golpe de R$ 4 milhões; alvos do MPDFT são do DF e GO