Imagem da matéria: Site que vende moedas de R$ 5 do Banco Central sai do ar e deixa colecionadores na mão
Moeda comemorativa de R$ 5 feita pelo BC em celebração aos 200 anos da Independência do Brasil (Foto: Banco Central)

Os colecionadores que desejam comprar as moedas comemorativas de R$ 2 e R$ 5 que o Banco Central (BC) lançou na terça-feira (26) em celebração aos 200 anos da Independência do Brasil estão enfrentando sérios problemas.

O site Clube da Medalha – loja oficial da Casa da Moeda do Brasil e único lugar onde as moedas são vendidas – está fora do ar desde a tarde passada.

Publicidade

As moedas deveriam ser disponibilizadas para venda no site logo após o lançamento oficial das moedas, que aconteceu às 15h da terça-feira em uma live no YouTube realizada pelo presidente do BC, Roberto Campos Neto.

Antes do lançamento, o site abria mas exibia uma mensagem que dizia que o e-commerce estava temporariamente indisponível para uso porque estaria funcionando exclusivamente para a venda das moedas comemorativas, após o lançamento.

Nas horas seguintes, alguns internautas conseguiram acessar a loja virtual e efetuar a compra, mas logo em seguida o site voltou a cair e permanece fora do ar até a tarde desta quarta-feira (27), exibindo a seguinte mensagem de erro:

Site Clube da Medalha está fora do ar desde terça-feira
Site Clube da Medalha está fora do ar desde terça-feira

O colecionador Marcelo Germinário, que possui uma casa de leilões, fez vídeos no YouTube em que narra sua experiência falha de tentar comprar as moedas tanto hoje de manhã quanto ontem, após o lançamento oficial.

Publicidade

“Quem quer comprar as moedas do bicentenário da independência está na mão porque o site não suporta o acesso e simplesmente bugou desde ontem. Está uma zona total”, criticou.

Outros colecionadores frustrados também fazem relatos parecidos nas redes sociais. “Seis anos para lançar uma moeda comemorativa e o site não funciona. […] Mais de duas horas tentando, vai até a hora de gerar o boleto e não conclui”, tuitou o usuário @andrecioli no início da noite de ontem.

As moedas comemorativas do BC

As duas moedas comemorativas que o Banco Central lançou essa semana — uma em prata do valor de R$ 5 e a outra de cuproníquel, de R$ 2 —, trazem ilustrações de dois momentos históricos ligados à Independência do Brasil.

Moedas de R$ 2 e R$ 5 lançadas pelo Banco Central (Fonte: Banco Central)
Moedas de R$ 2 e R$ 5 lançadas pelo Banco Central (Fonte: Banco Central)

Em nota enviada à imprensa, o BC explica que a moeda de prata representa a sessão do Conselho de Estado na qual foi tomada a decisão de enviar cartas a D. Pedro aconselhando-o a romper com a Coroa portuguesa.

Publicidade

Já a segunda moeda, de cuproníquel, retrata o Grito da Independência, em que D. Pedro proclama a separação do Brasil de Portugal às margens do Rio Ipiranga.

No primeiro momento, o Banco Central produziu 5 mil moedas de prata e 10 mil de cuproníquel,  sendo que a de prata deveria estar à venda desde ontem no site da Casa da Moeda. A moeda de prata custa R$ 420 cada, enquanto a de cuproníquel sai por por R$ 34.

VOCÊ PODE GOSTAR
Homem preso com as mãos algemadas nas costas

Polícia do Rio prende suspeitos de integrar quadrilha especializada em golpes com criptomoedas

Operação ‘Investimento de Araque’ foi deflagrada nos estados do Rio, Amazonas e Pará; suspeitos movimentaram mais de R$ 15 milhões em dois anos
Fotos dos equipementos de mineração de criptomoedas operados com furto de eletricidade em Canela, RS

Polícia Civil do RS fecha fazenda de mineração de criptomoedas que lucrava R$ 400 mil por mês

Além de crime de furto de energia, casal preso responderá por porte ilegal de arma e lavagem de dinheiro
Policial algemando suspeito durante a noite

Médico perde R$ 500 mil em criptomoedas após encontro por aplicativo e sequestro; suspeitos são presos

Os sequestradores que aplicaram o famoso ‘golpe do amor’ foram presos rapidamente pela PM de SP; Polícia Civil investiga o paradeiro dos ativos
Sede da Braiscompany em Campina Grande, Paraíba

TRF anula contrato e Braiscompany é condenada a pagar R$ 50 mil a cliente

O contrato de serviço de cessão temporária de criptoativos foi anulado pela 17ª Vara Cível de Brasília