Imagem da matéria: Site da corretora de Bitcoin da XP Investimentos entra no ar e promete integração com os bancos
Imagem do site da exchange XDEX (Foto: reprodução)

O site da XDEX, a corretora de Bitcoin e criptomoedas da XP Investimentos, entrou no ar nesta segunda-feira (08) e já começou a aceitar pré-cadastros dos futuros usuários.

Logo no topo do site há a promessa de negociação sob taxa zero. Mais abaixo, porém, é especificado em letras miúdas que a isenção se refere somente à “corretagem decorrentes da compra e venda de bitcoins”. Negociações com outros ativos digitais como Ethereum não serão contempladas com o benefício. Além disso, “outras taxas, como a taxa de resgate em reais, podem ser cobradas dos usuários”.

Publicidade

É informado pela empresa que há um “sistema de reconhecimento de transferência integrado aos bancos, o que garante rapidez e confiabilidade na hora de transferir reais para comprar criptomoedas”.

Embora já seja possível fazer um pré-cadastro, não há nenhuma indicação sobre quando a corretora vai começar a operar. A página da XDEX diz que “o usuário terá que se submeter, em momento oportuno, ao procedimento de cadastro para a abertura de conta na plataforma”.

Segundo os termos de uso da corretora, não será possível transferir os bitcoin comprados na plataforma para uma carteira individual. Diz o texto oficial:

“Não são permitidos depósitos, resgates e/ou transferências de ativos digitais/criptomoedas de e para uma carteira virtual (E-wallet) por meio da plataforma XDEX. Os depósitos/resgates e/ou transferências serão efetuados apenas em reais, sendo obrigatório a venda do ativo digital para a efetivação do resgate em reais”.

Publicidade

Estranhamente, não há nenhuma menção à XP Investimentos no site e nos termos de uso. Apenas o endereço da nova empresa consta como sendo no mesmo lugar da XP.

História da XP com Bitcoin

Embora o mercado já soubesse dos planos da empresa desde o início do ano, o anúncio da corretora de criptomoedas foi feito somente no final de setembro no evento Expert 2018. Na ocasião, o presidente da empresa, Guilherme Benchimol, não pareceu simpático ou convencido do projeto. “É um tema que, confesso eu, era melhor que não existisse”, disse para centenas de pessoas.

Mas quando ele comparou o números, viu que não havia alternativa: “Hoje existem três milhões de brasileiros que possuem exposição a Bitcoin no Brasil e 500 mil pessoas que investem em ações. Então, olhem a discrepância. A gente se sentiu na obrigação de avançar neste mercado”.

Em abril, o Portal do Bitcoin já havia provado que a maior empresa de investimentos do Brasil, com 500 mil clientes ativos e mais de R$ 120 bilhões sob custódia, planejava tal operação. A reportagem mostrou que dados da Receita Federal mostram o registro pela XP Investimentos da XDEX INTERMEDIACAO LTDA, cujo capital social era de R$ 25 milhões.

Publicidade

Além disso, no documento aparece os nomes de três funcionários da XP. Constam como sócios Bernardo Amaral Botelho e Carlos Alberto Ferreira Filho. O administrador está registrado como Julio Capua Ramos da Silva.

VOCÊ PODE GOSTAR
logo do bitcoin em cima de livro

Goiânia recebe lançamento do livro “101 Perguntas Sobre Bitcoin”

A obra da Editora Portal do Bitcoin escrita pelo engenheiro Breno Brito serve como um guia para compreensão da criptomoeda mais popular do mundo; veja como participar
moeda de bitcoin com bandeira dos EUA

O que faria os americanos comprarem mais Bitcoin? Regulamentações mais claras, afirma pesquisa

Pesquisa da Grayscale mostra que 44% dos eleitores dos EUA que não possuem criptos dizem que estão “esperando regulamentações adicionais”
Sede da Braiscompany em Campina Grande, Paraíba

TRF anula contrato e Braiscompany é condenada a pagar R$ 50 mil a cliente

O contrato de serviço de cessão temporária de criptoativos foi anulado pela 17ª Vara Cível de Brasília
Dois aviões riscam com fumaça para cima o B de bitcoin

Manhã Cripto: Mercado acorda em leve baixa, mas relatório indica Bitcoin rompendo de vez barreira dos US$ 70 mil

Estudo mostra que 50% do suprimento de Bitcoin de longo prazo estava “inativo”, sem movimentos ou alterações nas carteiras rastreadas