Imagem da matéria: Serviço em nuvem da Amazon pode estar se preparando para armazenar a criptomoeda Chia (XCH)
Foto: Shutterstock

AWS (Amazon Web Service), plataforma de computação em nuvem da Amazon, já pode estar preparada para receber os mineradores da Chia (XCH), criptomoeda lançada nesta semana pelo criador do BitTorrent, Bram Cohen. A informação foi revelada na sexta-feira (07) pelo The Block, que compartilhou o link para a página em chinês da companhia. No entanto, a publicação da gigante de tecnologia não está mais disponível.

Não se sabe ao certo o que ocorreu — se foi uma antecipação equivocada, por exemplo. Segundo o site, quando ativa, a página da campanha fornecia um tutorial de como gerar endereços de carteira Chia. Em outro ponto, a publicação sugere que o serviço pode estar voltado especificamente para usuários chineses.

Publicidade

Contudo, o que se pode afirmar é que a notícia correu o suficiente para animar o mercado da Chia, que dobrou de preço em 24 horas depois. Conforme dados no Coinmarketcap — que também replicou o assunto — na sexta, a XCH estava cotada na faixa de US$ 600; neste sábado, cerca de US$ 1.300.

Criptomoeda Chia

A Chia nasceu com o objetivo de trazer de volta a mineração doméstica com a promessa de que seu protocolo de consenso chamado “prova de espaço-tempo” (PoST) gaste menos eletricidade que muitas outras criptomoedas. “O PoST substitui o Proof of Work, que desperdiça grandes quantidades de energia”, diz um trecho de seu white paper.

Segundo a empresa, o método de mineração da Chia se torna diferente porque não necessita de GPUs e ASICs potentes para concluir cálculos e obter lucros, como ocorre com o Bitcoin, por exemplo. Seu rendimento ocorre proporcionalmente à quantidade de espaço de armazenamento, ou seja, o armazenamento em nuvem pode ser um grande aliado do usuário.

Sem perder tempo, a fabricante de hardwares taiwanesa TeamGroup anunciou na última terça, o lançamento de um SSD com capacidade de 12 Terabytes voltado exclusivamente para mineração da criptomoeda Chia (XCH).

Publicidade

Por outro lado, tem empresa do ramo que já anda preocupada, como a chinesa de hardwares Galaxy, que também produz SSDs. Na semana passada, a empresa emitiu um alerta sobre o uso do seu SSD na mineração de criptomoedas. Segundo a empresa, o dispositivo pode sofrer danos com seu uso excessivo e assim perder sua garantia.

Amazon e criptomoedas

O envolvimento da AWS com as criptomoedas não é de hoje. Em março, a plataforma liberou acesso à blockchain Ethereum no Amazon Managed Blockchain, seu serviço de gerenciamento de redes de registro distribuído. Mas não se trata só de armazenamento. Por meio do serviço, os usuários terão acesso a dados sobre a saúde dos nodes da Ethereum, bem como às atualizações de software da rede.

No caso da Chia, o processo seria mais fácil, como afirmou o The Block, que constitui em poucos passos: gerar endereços de carteira Chia, criar um plano e, em seguida, começar a cultivar. 

Agora resta aguardar por uma posição da Amazon. Procurada na manhã deste sábado para comentar sobre o assunto, a assessoria da AWS global não respondeu ao email até o fechamento do texto.

VOCÊ PODE GOSTAR
Arte digital mostra mãos operando um celular que projeta moedas

Como declarar tokens de utilidade no Imposto de Renda 2024?

Entenda como declarar os utility tokens, ativos que dão acesso a serviços específicos
Imagem da matéria: Bitcoin cai mas analistas ainda acreditam que preço vai chegar a US$ 150 mil este ano

Bitcoin cai mas analistas ainda acreditam que preço vai chegar a US$ 150 mil este ano

A AllianceBernstein concorda com os analistas do Standard Chartered e acredita que o preço do BTC mais que dobrará nos próximos 18 meses
Imagem da matéria: Há 2 anos, LUNA caia para zero; relembre um dos dias mais caóticos do mercado cripto

Há 2 anos, LUNA caia para zero; relembre um dos dias mais caóticos do mercado cripto

Em maio de 2022, o ecossistema da Terra (LUNA) entrou em uma “espiral da morte” que levou uma das criptomoedas consideradas mais promissoras daquele ano a cair para zero em 24 horas
Ilustração de bandeira do Brasil dentro moeda de Bitcoin

Fundos cripto do Brasil captam mais R$ 1,5 mi e chegam a 21ª semana consecutiva de entradas

Vindo de uma grande sequência de captação, fundos de criptomoedas do Brasil estão em 3º lugar no ranking global, atrás apenas dos EUA e Hong Kong