Imagem da matéria: Secretária do Tesouro dos EUA elogia regulação das criptomoedas antes da divulgação do presidente
Secretária do Tesouro dos EUA, Janet Yellen (Foto: Shutterstock)

A secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, disse que a ordem executiva do governo Joe Biden sobre a regulamentação do mercado de criptomoedas atinge o balanço certo entre encorajar inovações de forma responsável e prevenir potenciais riscos para consumidores e o sistema financeiro em geral.

Só tem um pequeno grande detalhe na história: a ordem de Biden ainda não foi divulgada e o texto de Yellen foi publicado no site oficial do Tesouro no na terça feira (08), mas com a data de quarta-feira (09). Tudo indica que o texto estava pronto e, por um erro, foi publicado antes da hora. O material já foi retirado do ar.

Publicidade

O portal Bloomberg registrou o que parece ser uma certeza de que nos bastidores todos os movimentos estão prontos para a esperada regulação do setor nos Estados Unidos.

O anúncio informava que o Tesouro irá se juntar com outras agências para fazer relatórios sobre o futuro do dinheiro e dos meios de pagamento. O departamento irá estabelecer o Financial Stability Oversight Council para examinar os riscos da atividades a determinar quais as medidas de proteção adequadas. Além disso, irá trabalhar com parceiros internacionais para “promover padrões robustos e um campo de jogo justo”.

“Ao assumir esse importante trabalho, nós vamos nos guiar pela defesa do consumidores, investidores, participantes do mercado. O Tesouro irá trabalhar para promover um sistema financeiro mais justo, inclusivo e eficiente, enquanto seguimos no nosso trabalho contínuo de combater ilícitos financeiros, prevenir riscos para a estabilidade financeira e segurança nacional”, afirmava o texto que foi retirado do ar.

Regulamentação das criptomoedas nos EUA

O articulista Fares Alkudmani escreveu para o Portal do Bitcoin em dezembro do ano passado sobre como os Estados Unidos estão ensaiando a regulação do setor de criptomoedas.

Publicidade

O diretor do Sistema de Reserva Federal dos EUA, Jerome Powell, fez um anúncio importante em 30 de setembro do ano passado. Durante uma declaração no Congresso, Powell disse que não iria proibir o Bitcoin ou quaisquer outras criptomoedas.

Contudo, o órgão regulador federal no país responsável por tudo o que diz respeito a criptomoedas é o Securities and Exchange Commission, a SEC. Até junho deste ano, momento de divulgação do plano de regulamentações anual, não havia qualquer posicionamento da SEC ou de qualquer instância do governo federal quanto ao regimento de criptomoedas ou blockchains. 

Apesar isso, o órgão passou a operar de forma diferente. A SEC está cobrando do congresso uma postura ativa e o exercício da autoridade quanto à situação das criptomoedas, bem como a destinação de recursos nessa direção.

O órgão também anunciou uma série de novas determinações legais. O diretor Gary Gensler afirmou que trabalhará com o congresso, com a administração de Joe Biden e com os legisladores em busca do fechamento de todas as lacunas que permeiam o tema.

Publicidade

Em 6 de outubro, Gensler anunciou, durante uma coletiva de imprensa do Comitê da Câmara sobre Serviços Financeiros, que não iria banir as criptomoedas nos Estados Unidos. Afirmou também que banimentos do tipo não fazem parte da agenda política da SEC, e que apenas o congresso teria o poder de executar qualquer proibição oficial.

Conforme sua fala, o maior desafio está em adaptar a pauta à política atual de proteção aos consumidores e investidores, regulamentações bancárias, prevenção à lavagem de dinheiro, etc.

Apesar da inexistência de ações por parte do congresso nacional, as atitudes de Gensler e Powell abriram uma nova rota para discussões, pressionando o governo federal a assumir posicionamentos concretos. 

O posicionamento do governo federal e dos governos estaduais

O presidente Biden sempre demonstrou uma postura cética e cautelosa quanto às criptomoedas e ao Bitcoin, algo que também é manifestado em seu comitê administrativo. Contudo, a Casa Branca tomou um passo à frente em direção a um tema paralelo às criptomoedas: as stablecoins

Em um relatório divulgado em 1º de novembro, de 2021 a administração de Biden reconheceu a importância das stablecoins como formas de pagamento mais inclusivas, rápidas e eficientes.

Publicidade

O relatório também diz que a transição para a adoção dessa tecnologia pode ocorrer de forma muito rápida, devido à infraestrutura pré-existente, mas que isso só será possível se o Congresso Federal regulamentar o tema. A recomendação específica foi para que o congresso limite a emissão de stablecoins apenas a bancos segurados.

Enquanto isso, muitos dos governos estaduais avançam com regulamentações independentes. O Texas, por exemplo, autorizou que bancos licenciados pelo estado forneçam serviços de custódia de moeda digital aos clientes. Outros estados, como a Flórida, permitiram que Empresas de Serviços Financeiros incluam Bitcoin e outras criptomoedas em seus catálogos, desde que tirem a licença apropriada junto ao governo.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Musk Empire: Veja o combo diário e o enigma desta quarta-feira (24)

Musk Empire: Veja o combo diário e o enigma desta quarta-feira (24)

Procurando o combo diário do Musk Empire para quarta-feira, 24 de julho? Aqui estão as últimas escolhas da bolsa de valores para o crescente jogo de criptomoeda no Telegram
Moedas de bitcoin sob bandeira da Argentina

Argentina sanciona lei que permite aumento de capital de empresas com criptomoedas

Javier Milei também nomeou um especialista em blockchain para liderar Agência Federal de Segurança Cibernética
jogo hamster kombat em tela de celular

Hamster Kombat (HMSTR) já está no pré-mercado; veja como negociar

Hamster Kombat já tem ordens de compra e venda fixadas no pré-mercado de grandes corretoras
Joe Biden posa para foto

Memecoins de potenciais substitutos de Joe Biden disparam até 200% após ele pegar Covid-19

Memecoins inspiradas em Kamala Harris e Gavin Newsom chegaram a disparar até 200% após Joe Biden anunciar que está com Covid-19