Imagem da matéria: Criador da LUNA é impedido de voltar à Coreia do Sul por "violações do processo penal"
Do Kwon (Foto: Reprodução/Terraform Labs)

Outra semana, outra reviravolta na saga da extradição de Do Kwon, cofundador da Terraform Labs, empresa por trás da criptomoeda LUNA.

Na quinta-feira (21), a Procuradoria Suprema de Montenegro contestou a decisão do Tribunal Superior de extraditar Do Kwon para a Coreia do Sul, sua terra natal, em vez dos EUA, citando “violações significativas das disposições do processo penal” devido a um raciocínio pouco claro do caso.

Publicidade

Essa decisão vem um dia depois de um juiz rejeitar o recurso de Kwon contra sua extradição para a Coreia do Sul, afirmando que sua extradição estava confirmada e não poderia mais ser contestada em tribunal pelo fundador da Terra ou pelos EUA.

No entanto, o novo parecer da Procuradoria efetivamente devolve o caso para um novo julgamento, marcando mais um capítulo na saga em torno das consequências do colapso do ecossistema Terra em maio de 2022, que levou a perdas de bilhões de dólares para os investidores.

Essa evolução ocorre após Montenegro se tornar um ponto focal na disputa jurisdicional entre a Coreia do Sul e os Estados Unidos, ambos buscando a extradição de Kwon por acusações relacionadas ao colapso da Terraform Labs. A complexidade do caso é aumentada pelo fato de que Kwon foi preso em Montenegro em março de 2023 por tentar usar documentos falsificados para viajar.

A prisão de Do Kwon

Do Kwon e seu sócio comercial, Chang-joon Han, foram presos em um aeroporto em Montenegro em março passado enquanto tentavam viajar em um jato particular para Dubai com um passaporte da Costa Rica falsificado. Ambos negaram saber que os passaportes eram falsos. Os dois homens foram considerados culpados e condenados a quatro meses de prisão em Montenegro pela infração.

Publicidade

Em fevereiro, Han foi extraditado para a Coreia do Sul para enfrentar acusações por seu envolvimento na Terraform Labs.

Na época, o Ministério da Justiça observou que o ex-CFO da Terraform Labs enfrenta “múltiplas acusações relacionadas a fraudes em serviços de investimento financeiro, investimentos e mercado de capitais”. Se for considerado culpado, ele poderá enfrentar uma sentença de prisão perpétua.

* Traduzido e editado com autorização do Decrypt.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Memecoin assume ser golpe e mesmo assim recebe R$ 146 mil de investidores

Memecoin assume ser golpe e mesmo assim recebe R$ 146 mil de investidores

Criadores da memecoin THEPLAN alertaram: “Não compre esta moeda, pois ela irá para zero”
Imagem da matéria: Solana sofre congestionamento por operações desenfreadas de bots

Solana sofre congestionamento por operações desenfreadas de bots

Alto número de operações de spam estão fazendo com que a Solana fique mais lenta e que transações não sejam processadas
Agentes da Polícia Federal emoperação contra russos radicados noBrasil

PF faz operação contra mexicano que se associou a pirâmide com criptomoedas no Brasil

Acusado também afirmava ser representante de uma marca italiana de carros, convencendo pessoas a investir em uma criptomoeda que ele mesmo criou
Imagem da matéria: FBI intima participantes de evento de 2022 após roubo de dev do Bitcoin Core

FBI intima participantes de evento de 2022 após roubo de dev do Bitcoin Core

Dashjr, cofundador do pool de mineração Ocean, teve um montante de Bitcoin roubado que hoje vale mais de US$ 14 milhões