Imagem da matéria: Projeto ligado a criptomoedas chega na fase final de laboratório do Banco Central do Brasil
Banco Central do Brasil (Foto: Shutterstock)

O ‘RBDC — Real Backed Digital Currency’, projeto da startup nTokens, é uma das propostas de inovação selecionadas pela curadoria do Laboratório de Inovações Financeiras e Tecnológicas do Banco Central (LIFT) para a edição 2021. Coordenado pela Federação Nacional de Associações dos Servidores do Banco Central (Fenasbac) e pelo órgão financeiro central, Bacen, a iniciativa LIFT LAB busca ideias e projetos que possam modernizar o Sistema Financeiro Nacional (SFN).

Para chegar até este ponto, o projeto da nTokens — empresa que criou a stablecoin Real Virtual — competiu com dezenas de propostas. Segundo o Laboratório, para a LIFT LAB 2021 se inscreveram 67 projetos. Após uma análise da curadoria, ficaram apenas 25 e agora são 11 os que avançaram para a fase final. Como ocorreu com a edição 2020, as selecionadas agora devem apresentar seus projetos presencialmente.

Publicidade

“O projeto é de Liquidação DvP (Delivery versus Payment) de ativos digitais — transações atômicas no jargão cripto. De certa forma, interoperabilidade”, disse ao Portal do Bitcoin o cofundador e CEO da nTokens, Thomaz Brandão Teixeira, . Para não deixar dúvidas, acrescentou a função do ‘RBDC — Real Backed Digital Currency’: “Programabilidade e integração com data economy”.

Sobre o que pode estar por vir, Teixeira disse que está bem empolgado, pois é uma chance de o projeto passar adiante e a nTokens se tornar parceira do Bacen, que é um dos benefícios do programa. Ele acrescentou que a iniciativa do Bacen conhece muito as dores do mercado, especialmente gargalos no foco ao acesso e competitividade, que é onde se enquadra o projeto da nTokens.

“Então você tem um insight importante sobre se teria ou não demanda pra alguma inovação”, disse.

Criptomoedas e Banco Central

Outro ponto que ele destacou foi a preparação da equipe por trás do LIFT: “Todo mundo que conversei é muito bem preparado, manjam muito de mercado de cripto e conhecimento enciclopédico sobre regulação”. Sobre CBDCs (Moeda Digital do Banco Central) e as criptomoedas no geral, Teixeira disse que “eles estão super antenados no movimento e que isso é fundamental para projetos com tecnologias que têm alcance mundial.

A edição 2020 do LIFT também contou com 25 projetos, inclusive alguns baseados na tecnologia Blockchain. Destes, 21 passaram para a fase final. A apresentação ocorreu em março no evento batizado ‘LIFT Day 2021’, que marca anualmente o período de desenvolvimento dos projetos.

Clique aqui para conhecer os projetos selecionados no LIFT LAB 2021.

Vídeo com a apresentação dos projetos selecionados em 2020.

VOCÊ PODE GOSTAR
simbolo do dolar formado em numeros

Faculdade de Direito da USP recebe evento da CVM sobre democratização dos mercados de capitais

Centro de Regulação e Inovação Aplicada (CRIA) da CVM vai a “Tecnologia e Democratização dos Mercados de Capitais no Brasil” com transmissão ao vivo no Youtube
busto de homem engravatado simulando gesto de pare

CVM proíbe corretora de criptomoedas e forex de captar clientes no Brasil

O órgão determinou, sob multa diária de R$ 1 mil, a imediata suspensão de qualquer oferta pública de valores mobiliários pela Xpoken
miniatura de homem sob pulpito e moeda gigante de bitcoin ao lado

Brasileiros não podem usar criptomoedas para fazer doações nas eleições municipais

A Procuradoria-Geral da República explicou as regras de doações para as eleições municipais de 2024
CEO do MB Reinlado Rabelo em evento da CVM na USP

“A Bolsa é sim lugar de startups”, diz CEO do Mercado Bitcoin em evento da CVM

Reinaldo Rabelo participou do evento do “Tecnologia e Democratização dos Mercados de Capitais no Brasil”