moeda de bitcoin no centro de um cooler de minerador
Foto: Shutterstock

Nas últimas 24 horas, a maior pool de mineração de Bitcoin (BTC), Foundry USA, minerou um em cada três (34%) de todos os blocos da rede no período. Isso aconteceu após observadores identificarem um “minerador desconhecido” ganhando força — chegando a minerar um em cada cinco (20%) blocos.

A mineração de bitcoin ocorre conforme computadores conectados à rede tentam adivinhar uma série de caracteres válidos, de forma totalmente aleatória, tentando milhares de combinações em sequência e competindo com outros computadores para ver quem consegue encontrar a combinação correta primeiro.

Publicidade

Essa combinação é chamada de hash e é a chave para descobrir um novo bloco de Bitcoin que possui novas unidades da moeda, pagando a recompensa ao minerador dono do computador vencedor da rodada. A recompensa atual é de 6,25 BTC, mas ela diminui a cada 210 mil blocos descobertos (ou a cada quatro anos).

Entenda o que é o halving: Falta um ano para o evento que pode catapultar o preço do Bitcoin

A frequência com que cada computador consegue gerar novas hashs é chamada de hashrate. E o descobrimento de blocos é, normalmente, proporcional à hashrate de cada participante, conhecidos como mineradores.

Mineradores também podem se juntar em pools de mineração, que são cooperativas de mineradores que unem seus esforços para aumentar a chance de descobrir um bloco válido e, então, dividir a recompensa proporcionalmente entre os colaboradores.

Atualmente, a maior pool de mineração de Bitcoin do mundo é a Foundry USA, que no último ano minerou cerca de um quarto (27%) de todos os blocos da rede.

Publicidade

A Foundry tem aumentado sua participação, hashrate e sucesso. Nas últimas 24 horas, 34% de todos os blocos válidos na blockchain foram publicados por ela, o que significa também que um terço de toda a recompensa de BTC paga à rede foi para os bolsos dos mineradores produzindo através dessa pool de mineração.

Gráfico com os maiores mineradores de bitcoin nas últimas 24 horas
Fonte: mempool.space

Minerador desconhecido é F2Pool, terceira maior pool de mineração

No período de 24 horas, Foundry USA minerou 53 blocos (34,19%) com 129,45 EH/s; AntPool minerou 36 blocos (23,23%); e um minerador desconhecido conseguiu descobrir 22 blocos (14,19%) com 53,73 EH/s.

Esta última entidade, identificada como “Desconhecida”, começou a ganhar relevância nos últimos dias, mas realmente ganhou força na quarta-feira (24) e chamou a atenção da comunidade. Em um determinado momento, foi observada uma participação superior a 20% — o que levantou preocupações.

No entanto, as transações de coinbase (como é chamada a transação com as novas unidades de BTC) do minerador desconhecido passaram a ser assinadas como F2Pool. F2Pool é, historicamente, uma das três maiores pools de mineração do Bitcoin.

Publicidade

No último ano a F2Pool minerou 7.823 blocos (14,62%) de Bitcoin. E, no momento de redação, o minerador desconhecido descobre a mesma proporção de blocos da terceira maior do mundo. O que reforça sua identificação como a pool em questão.

Gráfico com os maiores mineradores de BTC nos últimos 12 meses
Fonte: mempool.space

Além disso, o endereço de BTC utilizado para o pagamento da coinbase (“1KFHE7…DbYY“) dos últimos blocos descobertos pelo “minerador desconhecido” é o mesmo dos últimos pagamentos realizados para a F2Pool — que também vem diminuindo sua participação em hashrate na mesma velocidade que a entidade desconhecida, aumenta.

VOCÊ PODE GOSTAR
Moedas de Bitcoin sobre mesa espelhada

Análise: o preço do Bitcoin está novamente sendo ditado pela política do Fed

“Análise dos últimos 40 dias revela uma maior alinhamento com as expectativas de taxa de juros para junho”, diz firma de análises CoinShares
Imagem da matéria: Questões sociais são desafio para debate do Bitcoin, diz autor de livro da Editora Portal do Bitcoin

Questões sociais são desafio para debate do Bitcoin, diz autor de livro da Editora Portal do Bitcoin

“Parte técnica você descreve como funciona e acabou. Nas vacas sagradas leva um bom tanto de desconstrução de conceitos”, diz Breno Brito
CEO da Galaxy Digital, Mike Novogratz, em entrevista ao BNN Bloomberg no YouTube

O Bitcoin precisa de uma nova narrativa para voltar a subir, segundo CEO da Galaxy Digital

Mike Novogratz também acredita que o preço do BTC flutue entre US$ 55 mil e US$ 75 mil até que novos eventos ocorram
Moeda do Bitcoin envolta por raios (Lightning Network)

Lightning Labs está trazendo stablecoins para a blockchain do Bitcoin

“Ideia é ter dólares criptografados e stablecoins na blockchain do Bitcoin”, explicou Elizabeth Stark, CEO da Lightning Labs