Imagem da matéria: CVM aprova acordo de cooperação técnica com a ABCripto
Shutterstock

O Colegiado da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) aprovou na terça-feira (23) um acordo de cooperação técnica com a Associação Brasileira de Criptoeconomia (ABCripto). De acordo com o anúncio da autarquia, a parceria visa promover ações para mais modernização do mercado de valores mobiliários, avanços da economia digital e educação financeira. 

O convênio vai idealizar campanhas e materiais educacionais destinados à população sobre as novas tecnologias financeiras, em especial as finanças descentralizadas (DeFi) e outras aplicações relativas à criptoeconomia, blockchain e investimentos em ativos digitais.

Publicidade

“O foco se dá em virtude do avanço da inovação financeira, regulatória e das finanças sustentáveis”, ressalta a nota. “Também estão previstas ações educacionais sobre temas relacionados à criptoeconomia, com foco na orientação e campanhas de conscientização de consumidores contra fraudes”, acrescenta.

O acordo também inclui a colaboração com laboratórios e plataformas de inovação instituídos ou apoiados pelas instituições e estará em sintonia com ambiente regulatório experimental da CVM, além de estudos, pesquisas, ações educacionais e outras iniciativas de apoio técnico.

“Estamos entusiasmados com as possibilidades e o impacto futuro que esse acordo pode trazer para o mercado de trabalho e o empreendedorismo”, comentou a superintendente da CVM, Nathalie Vidual.

Segundo Vidual, a parceria fortalece a capacitação de professores, promovendo o entendimento sobre a economia digital e proporcionará oportunidades de aprendizado para jovens em situação de vulnerabilidade. Além disso, ressaltou, “a colaboração entre as instituições visa estimular a introdução de novas tecnologias e fomentar um ambiente propício à inovação financeira”.

Publicidade

Sandbox Regulatório da CVM

Além das iniciativas educacionais, o acordo também prevê colaboração estratégica com o Comitê Sandbox da CVM, ressalta a nota, destacando que o plano de trabalho inclui o desenvolvimento de ações de apoio técnico junto aos associados da ABCripto e ao mercado em geral, buscando um maior alcance da aplicação das normas e orientações da autarquia.

“A ideia é auxiliar no entendimento dos requisitos normativos da CVM, como, por exemplo, as normas de crowdfunding, ofertas e mercados organizados, que podem ser aplicáveis às exchanges emissoras de tokens de renda fixa”, explica Bruno Gomes, Superintendente de Supervisão de Securitização (SSE) da CVM.

Para o superintendente de mercado da CVM, Antônio Berwanger, a parceria vai fortalecer a segurança e transparência nas operações, além de fomentar o desenvolvimento saudável do mercado de valores mobiliários.

“Estamos empenhados em promover um ambiente regulatório favorável, impulsionando a inovação e o crescimento sustentável do setor”, comenta Berwanger.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Fundador do Telegram diz que manterá seus tokens do Notcoin até multiplicarem por 100

Fundador do Telegram diz que manterá seus tokens do Notcoin até multiplicarem por 100

Pavel Durov detém 1% do maior token de jogo deste ano, doado pelos jogadores. E ele não está vendendo seus Notcoin – não agora, pelo menos
Imagem da matéria: Solana salta quase 5% e deixa Bitcoin e Ethereum para trás

Solana salta quase 5% e deixa Bitcoin e Ethereum para trás

Solana é a moeda que mais valoriza entre as 10 principais do mercado; BTC e ETH sofrem leves quedas nesta tarde
hackers em frente a computadores

Exchange de criptomoedas Rain perde US$ 14,8 milhões em ataque hacker

A exchange disse que já tomou as medidas necessárias e que todas as sua atividades estão funcionando normalmente, inclusive saques
Imagem da matéria: Bitcoin cai mas analistas ainda acreditam que preço vai chegar a US$ 150 mil este ano

Bitcoin cai mas analistas ainda acreditam que preço vai chegar a US$ 150 mil este ano

A AllianceBernstein concorda com os analistas do Standard Chartered e acredita que o preço do BTC mais que dobrará nos próximos 18 meses