Imagem da matéria: PF derruba intermediador de casas de apostas que usava criptomoedas para evasão de divisas
Foto: Divulgação/PF

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (7) a Operação SYMBOLIC para um esquema de fraudes cambiais, evasão de divisas e lavagem de dinheiro, que usava, entre outras formas, operações com criptomoedas para realizar os desvios. O caso de hoje é um desdobramento da Operação HARVEST, de março de 2023.

Estão sendo cumpridos cinco mandados de busca e apreensão, além de ordens de indisponibilidade de bens e de valores que podem atingir R$ 620 milhões. As operações ocorrem nas cidades de Curitiba, Campinas e São Paulo, após autorização da 22ª Vara da Justiça Federal em Porto Alegre.

Publicidade

Segundo a Polícia Federal, o principal investigado é um brasileiro radicado em Montevidéu, Uruguai, que controlava um grupo de empresas com sede em Santana do Livramento, que movimentou, entre 2019 e 2023, cerca de R$ 15 bilhões.

“O grupo de empresas atuava na intermediação de pagamentos vinculados a casas de apostas e plataformas de investimento do exterior, tendo estruturado processos de envio informal de dinheiro ao exterior e de lavagem de dinheiro”, diz a PF em nota, citando ainda que ele trabalhava com pessoas radicadas no Brasil, na Argentina e na Espanha.

De acordo com a investigação, as remessas de dinheiro ao exterior se davam, em grande parte, de maneira informal ou irregular, via dólar-cabo ou mercado de criptoativos. O grupo mantinha um fundo estrangeiro responsável pela compensação remota de pagamentos no exterior, enquanto contava também com o apoio de uma exchange de criptoativos para efetuar a remessa de valores ao exterior de maneira totalmente informal.

A PF diz ainda que a organização usava o mercado de câmbio formal para documentar o envio desse dinheiro para outros países – buscando dar aparência de regularidade às operações.

Publicidade

Uma corretora e um banco de câmbio estão sendo investigados por possível envolvimento nesses processos, afirmou a Polícia.

Por fim, a PF diz que empresas não diretamente ligadas à organização investigada eram usadas para movimentar parcelas dos recursos de forma a burlar os sistemas de controle e de compliance dos bancos, bem como dissimular essas movimentações financeiras.

You May Also Like
Agentes da Polícia Federal emoperação contra russos radicados noBrasil

PF faz operação contra russos radicados no Brasil que lavaram dinheiro com criptomoedas

A operações que ocorrem nesta terça-feira (27) nos estados de Santa Catarina, Goiás e Ceará também têm brasileiros como alvos
Augusto Backes em vídeo no YouTube

Augusto Backes é vítima de ataque phishing e perde R$ 1 milhão em criptomoedas

O influencer acessou um email “muito bem feito” que dizia ser do projeto Blast
Imagem da matéria: Michael Saylor não está vendendo: "A MicroStrategy tem uma estratégia alavancada para o Bitcoin"

Michael Saylor não está vendendo: “A MicroStrategy tem uma estratégia alavancada para o Bitcoin”

O cofundador da MicroStrategy destaca a atração dos ETFs de Bitcoin por fundos institucionais, sinalizando uma mudança significativa nos investimentos de capital
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin (BTC) supera US$ 59 mil e Câmara aprova regime de urgência para votar PL que segrega cripto

Manhã Cripto: Bitcoin (BTC) supera US$ 59 mil e Câmara aprova regime de urgência para votar PL que segrega cripto

Forte demanda de investidores por ETFs sinaliza maior confiança no mercado: Índice de Medo e Ganância atingiu 82