Imagem da matéria: País da África aprova lei para tokenizar recursos naturais
República Centro-Africana adota o Bitcoin

Apesar da resposta morna à Sango Coin, a moeda digital nativa do país, a República Centro-Africana (RCA, na sigla em inglês) lançou as bases para a tokenização dos seus recursos naturais.

A iniciativa, revelada pela equipe do projeto Sango no início desta semana, inaugura o que eles anunciam como uma “nova era de capacitação financeira através da tecnologia blockchain”.

Publicidade

Leia também: Presidente da República Centro-Africana se equilibra entre adoção do Bitcoin e apoio de milícia russa

O congresso da RCA concedeu aprovação para uma lei de tokenização de terras e recursos naturais, na esperança de posicionar a nação como um destino comercial preferencial na África.

A nova lei também prepara o terreno para licenças comerciais on-line simplificadas e pedidos de vistos eletrônicos para empresas nacionais e internacionais. Depois que as licenças forem garantidas, as empresas poderão “operar perfeitamente na plataforma Sango, aproveitando os recursos da blockchain”, de acordo com a equipe do projeto.

Sango, a criptomoeda da República Centro-Africana

O projeto Sango foi lançado no ano passado já com a tokenização de recursos em mente e tem como objetivo permitir o investimento na CAR através da Sango Coin, um token emitido pelo Estado apoiado pelo Bitcoin em uma rede sidechain separada – algo diferente de uma Moeda Digital de Banco Central (CBDC) tradicional, como o DREX brasileiro.

No entanto, o Tribunal Constitucional da RCA decidiu que a compra de terras e cidadania usando o token era inconstitucional, dois meses após a oferta inicial (ICO) do token.

Publicidade

A recepção do mercado também não foi muito impressionante. Apesar de oferecer 200 milhões de moedas Sango para venda ao preço de US$ 0,10 durante seu lançamento, o governo local conseguiu vender menos de 8 milhões de moedas aos investidores.

Bitcoin na República Centro-Africana

Em abril de 2022, a RCA ganhou as manchetes por se tornar o segundo país (depois de El Salvador) a aceitar o Bitcoin como moeda legal. Mas essa lei foi revertida cerca de um ano depois.

No entanto, o presidente Faustin-Archange continua dedicado à criptografia, com Sango dando crédito ao líder.

A tenacidade de Faustin-Archange imita a do presidente de El Salvador, Nayib Bukele, que repreendeu repetidamente as críticas externas por promover o Bitcoin como moeda legal em seu próprio país.

Desde então, essa nação lançou iniciativas de educação e mineração de Bitcoin, enquanto o presidente tomou obstinados em Bitcoin como conselheiros pessoais.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: FIT21: Conheça o projeto de lei que promete transformar a regulação das criptomoedas nos EUA

FIT21: Conheça o projeto de lei que promete transformar a regulação das criptomoedas nos EUA

Aprovado na Câmara esta semana, o projeto FIT21 visa regular o setor de criptomoedas dando segurança para consumidores e estimulando empreendedores
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin se estabiliza acima de US$ 67 mil; Ethereum atinge US$ 3 mil em semana decisiva para ETFs

Manhã Cripto: Bitcoin se estabiliza acima de US$ 67 mil; Ethereum atinge US$ 3 mil em semana decisiva para ETFs

A semana promete ser agitada à medida que chega o prazo final para a SEC decidir se aprova ou rejeita o lançamento de ETFs de Ethereum à vista
Imagem da matéria: Merge Madrid: encontro Web3 promete unir Europa e América Latina em outubro

Merge Madrid: encontro Web3 promete unir Europa e América Latina em outubro

De 8 a 10 de outubro, pontos chave da cidade de Madri atrairão o ecossistema Web3 sob uma perspectiva de negócios, legal e técnica
Policial algemando suspeito durante a noite

Suspeito de roubar quase R$ 10 milhões da Pump.fun é preso em Londres

Jarett Dunn, ex-funcionário da plataforma Pump.fun, foi preso na Inglaterra acusado de golpe de quase R$ 10 milhões