Imagem da matéria: O que é blockchain?

Nos últimos anos, pessoas interessadas no mercado financeiro buscaram saber o que é blockchain devido às criptomoedas. Os profissionais de TI também se atentaram para saber o que é tecnologia blockchain.

Banco de dados, livro de razão pública, livro-razão imutável e compartilhado. Afinal, o que é blockchain? Qual o significado de blockchain? Tudo isso que acabamos de falar e, na tradução livre, cadeia de blocos. 

Publicidade

A blockchain é um livro contábil ou livro de razão pública que registra transações de forma confiável e imutável. Por registrar informações, acaba sendo uma espécie de banco de dados.

Confiável porque é criptografada. Imutável porque as transferências validadas e registradas não podem ser alteradas e são eternas. Quando pensamos no significado de blockchain, podemos explicá-lo melhor a partir de uma de suas finalidades. Para que é usado o blockchain? 

A tecnologia pode ser utilizada para facilitar o rastreamento de ativos tangíveis (casa, carro, dinheiro) ou intangíveis (patentes, propriedade intelectual etc.) em uma rede. Qualquer item de valor pode ser negociado e rastreado em uma rede de blockchain. Na prática, isso reduz riscos e custos para todos os envolvidos.

Entendeu o que é blockchain? Então guarde mais uma informação relevante: todos os usuários têm acesso a este grande banco de dados. Sua grande diferença para os bancos “tradicionais” é que a tecnologia não é controlada por autoridades. Os próprios participantes são controladores e auditores de tudo.

Publicidade

E qual é a blockchain do Bitcoin? Essa é uma pergunta interessante, porque é comum vermos a relação entre essa tecnologia e as criptomoedas. Por isso, vamos explicá-la!

Blockchain e criptomoedas

Se uma pessoa pergunta o que é tecnologia blockchain atualmente, a resposta imediata se relaciona com bitcoin. E essa relação tem fundamento. Afinal, a blockchain também serve (e se originou, como veremos) para registrar uma transação de moeda virtual.

É possível saber a quantia de bitcoins transacionadas, endereço digital de quem enviou e recebeu os valores, o momento da transação e o lugar do livro em que a transação foi registrada. 

Portanto, se pensarmos em blockchain como usar, sem dúvidas podemos pensar em registrar transações de moedas virtuais. E isso remonta à origem desta tecnologia!

Publicidade

Qual a origem da blockchain?

Para entender o que é blockchain e como funciona, precisamos retornar a 2008. Em 31 de outubro, Satoshi Nakamoto, pseudônimo da pessoa ou grupo de pessoas, publicou um guia do bitcoin.  

O whitepaper “Bitcoin: A Peer-to-Peer Electronic Cash System”, em tradução “Um Sistema de Dinheiro Eletrônico P2P” trouxe as primeiras noções do bitcoin. Ou seja, o guia não fala especificamente sobre o que é tecnologia blockchain, mas do bitcoin.

Os termos “block” e “chain” são citados separadamente, e o mercado logo criou a palavra da moda blockchain. É preciso destacar que existem discussões sobre tecnologias de registro distribuído desde 1991. 

A blockchain se enquadra neste grupo, mas, até a criação do bitcoin, não existiam registros de casos de uso da blockchain. É exatamente por isso que, quando pensamos como funciona o blockchain, pensamos nas criptomoedas. Mas sua importância vai muito além…

Qual a importância da blockchain?

Agora que você sabe o que é blockchain, pode imaginar sua importância em diversos campos. 

No ambiente empresarial, por exemplo, quanto mais rápida a comunicação, melhor. Com a blockchain, é possível ter informações imediatas, compartilhadas e transparentes em um livro-razão imutável. O gestor pode, inclusive, permitir acesso a determinados membros.

Publicidade

Ainda na gestão corporativa, uma rede blockchain é capaz de acompanhar pagamentos, contas, pedidos e produção. O uso de contratos inteligentes também é uma prática recente que vem ganhando espaço.

Conheça mais sobre a blockchain como usar!

Usos do blockchain

Para que é usado o blockchain? Ela começou junto com o lançamento do bitcoin, como demonstramos. Mas rapidamente o mercado percebeu que a rede poderia ser utilizada em outras frentes. 

Veio o Ethereum, primeiro grande projeto após o bitcoin, e trouxe uma inovação: a possibilidade de criar smart contracts (contratos inteligentes). 

Esses contratos são programas auto executáveis guardados na blockchain. Existem regras pré-estabelecidas que trazem condições para que esse contrato se comporte de determinada maneira. Quando uma dessas condições ocorre, ele se executa sem o envolvimento de um intermediário.

Um bom exemplo é o aluguel de uma casa. O interessado envia sua documentação para a imobiliária, que analisa tudo e pede a indicação do fiador. Na sequência, ocorre o depósito do aluguel do 1º mês e a assinatura do contrato. 

É possível programar todos esses procedimentos em um smart contract. Assim, não seria necessário ter uma imobiliária para intermediar e garantir o negócio. Assim que o interessado anexar os documentos no smart contract e fizer o primeiro pagamento, o contrato será enviado para assinatura. 

Publicidade

Percebe como a criação de redes descentralizadas de informação pode transformar a forma com que negócios serão feitos? Não podemos nos ater às transações de dinheiro e ativos financeiros. Pensar o que é blockchain é importante para abrir nossa visão sobre a rede.

Reduzir a blockchain às criptomoedas é muito pouco. O interessante é pensar no leque de possibilidades que essa tecnologia nos dá, tais como arquivar e compartilhar:

  • Documentos diversos, como passaporte, registros de imóveis e automóveis;
  • Música e arte (já ouviu falar em NFT ou token não-fungível?);
  • Históricos escolares e diplomas;
  • Prontuários médicos;
  • Créditos de carbono, dentre outros.

Em suma, ao conhecer o que é blockchain, se torna possível catalogar, rastrear e autenticar objetos de valor e informações. 

Quais os elementos da blockchain?

A partir do momento em que se sabe mais sobre o blockchain significado e como usar a uma assinatura criptográfica específica rede, podemos falar de seus elementos. De acordo com a IBM, são três os elementos da blockchain:

  1. Tecnologia de livro-razão distribuído: qualquer participante da rede pode acessar o livro-razão compartilhado e seu registro de transações imutável. Isso elimina atividades duplicadas, típicas de redes empresariais tradicionais.
  2. Registros imutáveis: não é possível alterar ou corromper uma transação após seu registro no livro-razão. Caso um registro tenha um erro, é preciso incluir uma nova transação para revertê-lo. Neste caso, ambas as transações ficarão visíveis.
  3. Contratos inteligentes: como apontamos, são contratos armazenados na blockchain e executados automaticamente a partir de regras pré-estabelecidas. 

Conheça mais e comece a investir agora mesmo!

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: CoinEx comemora Bitcoin Pizza Day com campanha “Uma mordida de Bitcoin”

CoinEx comemora Bitcoin Pizza Day com campanha “Uma mordida de Bitcoin”

Uma fatia de pizza mudou as finanças globais. Em 22 de maio,…
Imagem da matéria: BNB e Ethereum se destacam com parcerias, enquanto KangaMoon demonstra um potencial disruptivo

BNB e Ethereum se destacam com parcerias, enquanto KangaMoon demonstra um potencial disruptivo

Recentemente, MoonPay e BitPay, duas grandes organizações financeiras, uniram forças para agilizar…