Imagem da matéria: Ordinals, um mal necessário ou a luz que faltava ao Bitcoin? | Opinião
Foto: Shutterstock

Em um email datado de 17 de janeiro de 1993, Hal Finney compartilhou o conceito de “cards digitais criptografados”, hoje conhecidos como NFTs.

(Email de Hal, apresentando a ideia de cards cripto em 1993)

O detalhe mais fascinante deste e-mail é a intenção de Hal de facilitar a compreensão do conceito de dinheiro digital, por meio de NFTs.

Publicidade

Algo como: “Gostou desse card cripto? Então compre um pouco dessa moeda digital para adquiri-lo. Aliás, agora que você já tem algumas criptos, venha conhecer o conceito da descentralização financeira.”

Essa visão de Finney foi amplamente validada em 2021 com o boom dos NFTs, que contribuíram drasticamente para o crescimento de algumas blockchains.

Em suma, não foram os anúncios de ZkEVM que atraíram centenas de milhares de pessoas para a blockchain da Polygon nos últimos anos. Foram os “cards digitais criptografados” de marcas como Nike, Starbucks e Reddit que o fizeram.

Essa mudança de paradigma no onboarding é incrivelmente poderosa. A abordagem, que costumava ser interruptiva para a grande maioria, agora se torna envolvente através de experimentos Web3 relacionados à cultura, esportes, games, entre outros.

Publicidade

No Brasil, por exemplo, dezenas de milhões deixaram seu dinheiro na poupança, rendendo menos que a inflação por quatro anos (2018-2022). Além disso, há apenas 30 anos, o Governo confiscou a poupança de milhões de brasileiros.

O Bitcoin, por exemplo, deveria ser óbvio, mas está longe de ser. Dito isso, o conceito da Web3 e da descentralização de tudo preenchem uma lacuna gigantesca para a compreensão da descentralização financeira. Finney já avisou.

Em quatro fases, como a cultura e entretenimento ajudarão a levar a blockchain ao mainstream:

Fase 1: Bons whitepapers e novos protocolos servem para atrair vanguardistas e builders visionários.

Fase 2: Vanguardistas propagam o conceito da infraestrutura, enquanto os builders visionários estressam a infraestrutura e os produtos construídos nela, incentivando seu aprimoramento.

Fase 3: Com a infraestrutura e os produtos aprimorados, builders menos técnicos entram no jogo e o número de aplicações, projetos e casos de uso se multiplicam, atraindo a atenção do mainstream – que vem pelos use cases e produtos e não pela infra por trás.

Publicidade

Fase 4: Com o mainstream dentro do jogo, a infraestrutura engole o mundo.

Um exemplo claro dessa progressão é o sistema IOS da Apple. Para as milhões de pessoas que possuem um iPhone, o valor não está na versão mais recente do software, mas sim nos aplicativos construídos nele.

O user não se importa com o IOS, desenvolvedores se importam. E provavelmente ninguém, além dos vanguardistas e dos apaixonados pela Apple, compraria um iPhone se não fosse pelos aplicativos disponíveis nele.

Agora troquem “Apple” pelo nome de qualquer blockchain*.

E graças ao lançamento do protocolo Ordinals no início de 2023, os “Koi Ponds” do Bitcoin estão começando a surgir, levando a maior cripto do mundo a explorar a fase dois de maneira significativa pela primeira vez na história.

*Entendo que, diferente de outras blockchains, o grande valor do Bitcoin reside no “código pelo código”. Mas é inegável que aplicações derivadas de Ordinals serão chave para que o mainstream consiga enxergar esse valor também.

O JPEG que iniciou uma revolução

Em fevereiro de 2023, o grupo Taproot Wizards fez história ao utilizar o protocolo Ordinals para criar o maior bloco já registrado no Bitcoin, com quase 4 megabytes.

Publicidade

Essa ação tinha um objetivo claro: desafiar o status quo e promover uma mentalidade experimental e rebelde dentro do ecossistema do Bitcoin.

Conforme previsto por Eric, o boom aconteceu. Uma nova economia digital circular que já conta com 155 mil usuários únicos e um volume de negociação superior a US$250 bilhões foi criada, dando início ao que vem sendo chamado de: Bitcoin Season 2.

Além de ter atraído novos usuários para a maior blockchain do mundo, essa nova onda também vem provocando melhorias em produtos relacionados ao Bitcoin e suas segundas camadas. Além dos avanços incrementais que estão ocorrendo em algumas carteiras de Bitcoin, como Hiro e Xverse, o suporte à rede Lightning foi adicionado pela Binance, após anos de espera.

E em seu relatório mais recente sobre blockchains de primeira camada, a Messari aponta que, por conta do boom dos Ordinal, a blockchain Stacks liderou as principais L1s em crescimento trimestral em termos de capitalização de mercado (+340%), receita (+218%), uso da rede (+35%), valor total bloqueado (DeFi TVL) (+276%) e volume de negociação em DEX (+330%).

O que esperar da Bitcoin Season 2?

Reconhecer os experimentos derivados de Ordinals como um movimento altamente complementar para o sucesso do Bitcoin é crucial. O triunfo do ecossistema não depende de uma bala de prata, mas sim da combinação de vários fatores.

Em certos casos, como na Argentina, a adoção do Bitcoin será impulsionada pela necessidade. Para algumas pessoas, ela virá a partir da fascinação pelos princípios do Bitcoin. Os ETFs institucionais também contribuirão significativamente para a curva de adoção. E os Ordinals, apresentam uma maneira de conectar a cultura, o entretenimento, as marcas mainstreams, etc a esse ecossistema.

Então, de maneira geral, é possível dizer que Ordinals irão:

  • Criar uma nova porta de entrada para que o mainstream compre seus primeiros Bitcoins, através de narrativas não correlacionadas a descentralização financeira (isso vem depois).
  • Criar uma porta de entrada que não esteja 100% correlacionada ao preço do Bitcoin: parte dos usuários que mintam seus NFTs do Reddit na blockchain da Polygon nem sabem o que significa “bearmarket”. Eles só queriam interagir com sua marca favorita.
  • Atrair grandes marcas para o ecossistema: Bugatti já iniciou seus experimentos com o protocolo Ordinals, enquanto grandes marcas como YugaLabs, DeGods, entre outras, que atraíram centenas de milhares de usuários para Ethereum e Solana, também realizaram experimentos com Ordinals.
  • Criar uma nova economia digital circular que irá gerar mais receita para os mineradores.
  • Criar uma nova economia digital circular que irá deixar a rede mais cara e incentivará o uso de soluções de segunda camada, como Lightning: “você só entende o valor das segunda camadas quando paga USD 50 de fee pela primeira vez”.
  • Criar uma nova economia digital circular que estará repleta de scams e experimentos que irão falhar e perder o seu valor no tempo, assim como já foi visto com o boom dos ICOs em 2017 e o boom dos NFTs em 2021.
  • Cria uma nova persona no ecossistema: se antes a máxima era “acumule satoshis”, agora nasce um user que está conectando sua carteira em vários sites e realizando transações de Bitcoin diariamente.
  • Incentivar o desenvolvimento geral da infra ao redor do Bitcoin, deixando o ecossistema mais preparado e amigável para o próximo bull market que irá atrair vários novos users.

Sobre o autor

Lugui Tillier é CCO da Lumx Studios durante o dia e navegante da Web3 underground durante a noite.

  • Clique aqui e acompanhe o Portal do Bitcoin no Google Notícias
VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Fan Token do PSG salta 25% com vitória sobre o Barcelona na Liga dos Campeões

Fan Token do PSG salta 25% com vitória sobre o Barcelona na Liga dos Campeões

Enquanto o token do PSG disparou, o ativo do Barcelona caiu mais de 4% com a derrota; no outro duelo, o fan token do Atlético de Madri desabou 10%
Moedas douradas à frente de bandeira do Brasil

Fundos de criptomoedas têm semana negativa, mas Brasil registra entrada de R$ 15 milhões

Brasil segue momento positivo para fundos de criptomoedas, enquanto produtos ao redor do mundo têm semana negativa com queda dos preços
Senado, Congresso, Câmara dos Deputados, Brasília, Parlamento

Segregação patrimonial no mercado cripto será tema de audiência pública na Câmara

Na justificativa para a audiência, o deputado Aureo Ribeiro disse que práticas adotadas por algumas exchanges despertam “graves preocupações”
silhueta de homem com celular e logo da coinbase no fundo

Coinbase entra com recurso contra decisão em caso contra a SEC

Ao interpor o recurso, a Coinbase alega motivos substanciais para divergências de opinião, segundo disse o site The Block citando uma pessoa familiarizada com o caso