miniaturas de pessoas minerando bitcoin em meio a pedras e folhagens
(Foto: Shutterstock)

A esperança é a última que morre? Na madrugada de terça-feira (13), pela terceira vez desde janeiro, um minerador “solo” de Bitcoin alcançou o “pote de ouro digital”, resolvendo um bloco no valor de 6 BTCs, ou cerca de US$ 160 mil – o equivalente a cerca de R$ 800 mil.

O minerador independente solucionou um bloco que geralmente levaria vários anos para resolver usando poder de processamento limitado. Identificado pela etiqueta 151xtfhbfadqonwggeyobnx2yzffwub5yd, o minerador resolveu o bloco 275 da blockchain Bitcoin na plataforma Solo CKPool.

Publicidade

O administrador da CK Pool, Con Kolivas, apontou que levaria 450 anos em média para um minerador desse tamanho resolver um bloco de Bitcoin, superando as chances de 1:5.500 para fazê-lo tão rapidamente quanto ele fez.

De acordo com Kolivas, o minerador que executa modestos ~17 terahashes por segundo (TH/s) está usando provavelmente uma única unidade do Antminer Bitmain S9. O modelo S9 Bitmain Antminer foi lançado em 2017 — o modelo mais recente, Antminer S19XP, em 2022.

Uma tradição da mineração com algoritmos de consenso proof-of-work é o processo pelo qual blocos de transações são adicionados a uma blockchain pública — como o Bitcoin, Dogecoin e Litecoin — e verificados. É também o processo pelo qual novas criptomoedas são criadas. A mineração garante a integridade da blockchain e incentiva a participação da rede.

Quanto mais plataformas um minerador tiver, mais chances de recompensas lucrativas em blocos e taxas de transação.

Um “hash” pode ser pensado como um problema que um computador, neste caso, um minerador precisa resolver. Um minerador que pode processar um terahash pode resolver um trilhão desses problemas em um segundo.

Publicidade

Sorte repetida

Aparentemente, todos os mineradores individuais estão usando o serviço de mineração solo CK Pool. Em março, outro minerador solo usou o serviço para resolver o bloco Bitcoin 780.112 para uma recompensa de 6,25 BTCs, cerca de US$ 148 mil, na época.

O serviço Solo CK Pool se apresenta como adequado para grandes fazendas de mineração, “mineradores regulares” e mineradores com “mineradoras antigas/ineficientes que nunca ganharão nenhuma recompensa por meio da mineração regular e que desejam deixar o equipamento trabalhando como uma loteria.”

A loteria voltou a valer a pena.

Enquanto os mineradores de prova de trabalho dedicam recursos de hardware para proteger a rede, os “validadores” do Proof-of-Stake (como é o caso da blockchain Ethereum) dedicam suas criptomoedas, levando a alegações de que as blockchains PoS são melhores para o meio ambiente, pois consomem menos energia.

*Traduzido por Gustavo Martins com autorização do Decrypt.

VOCÊ PODE GOSTAR
homem segura com duas mãos uma piramide de dinheiro

CVM julga hoje pirâmide Atlas Quantum; veja detalhes da acusação

Procuradoria da CVM acusa Atlas Quantum de operação fraudulenta no mercado de valores mobiliários e embaraço à fiscalização da CVM
Joe Biden posa para foto

Biden expulsa mineradora cripto chinesa de área próxima a base militar: “Risco de espionagem”

O governo afirma que a MineOne possui equipamentos especializados de origem estrangeira potencialmente capazes de facilitar atividades de vigilância e espionagem
Moedas de ethereum à frente de ilustração de cadeado

A SEC vai finalmente aprovar os ETFs de Ethereum? Entenda

Vence no fim desta semana o prazo para a SEC aprovar ou não alguns pedidos de ETFs de Ethereum e a expectativa agora é mais positiva do que nunca
Tela de celular mostra logotipo Drex- no fundo notas de cem reais

Banco Central adia Drex para realizar novos de testes de privacidade

BC explica que primeira fase de testes foi focada em elementos de privacidade, mas as soluções encontradas “ainda não estão maduras”