Gráfico de mercado
Shutterstock

O mercado de criptomoedas opera no vermelho nesta quinta-feira (4) após a escalada da tensão entre China e EUA e a invasão de carteiras da rede Solana. O Bitcoin (BTC) opera em baixa de 2,4% nas últimas 24 horas, cotado a US$ 22.931,87, mostram dados do CoinGecko. O Ethereum (ETH) tem queda de 2,2%, negociado a US$ 1.627,20. 

No Brasil, o Bitcoin amanhece com desvalorização de 1,8%, cotado a R$ 121.220,73, segundo o Índice do Portal do Bitcoin (IPB).   

Publicidade

As altcoins mostram desempenho misto como Binance Coin (+2,8%), XRP (-1,1%), Cardano (-1,8%), Polkadot (-0,9%), Dogecoin (-1,6%), Shiba Inu (-1,6%) e Avalanche (-1,4%). 

Ataque à Solana 

Solana tenta se recuperar do tombo, mas ainda opera em leve baixa de 0,5%. Com perdas estimadas entre US$ 5 milhões e US$ 8 milhões devido à invasão de cerca de 8 mil carteiras da blockchain, desenvolvedores podem ter identificado a origem do ataque: a carteira Slope. 

“Após uma investigação por desenvolvedores, equipes de ecossistema e auditores de segurança, parece que os endereços afetados em um certo momento foram criados, importados ou usados em aplicativos da carteira móvel Slope”, diz mensagem do perfil @SolanaStatus.

A equipe da Slope Finance se pronunciou sobre o assunto em comunicado, mas evitou entrar em detalhes, dizendo apenas que “um grupo de carteiras Slope foi comprometido na violação” e que existem hipóteses ainda não confirmadas. A nota acrescenta que carteiras da própria equipe e de fundadores da Slope também foram drenadas. 

Apesar da hipótese de que a invasão tenha sido um ataque do tipo “suply chain” (cadeia de suprimentos), o porta-voz da Solana, Austin Federa, destacou que a natureza do incidente ainda é incerta. Esse tipo de ataque ocorre quando um agente externo ou provedor com acesso aos sistemas e dados da vítima é infiltrado. Tanto carteiras de usuários do sistema iOs da Apple quanto do Android teriam sido alvo do ataque. 

Publicidade

A invasão das carteiras da Solana era o assunto do dia no mercado cripto na quarta-feira (3), exceto na loja Solana Spaces em Nova York, que estava praticamente vazia quando abriu as portas às 10h no horário local, segundo a Bloomberg

Bitcoin hoje 

Os mercados em geral parecem ter se recuperado do susto provocado pela visita a Taiwan de Nancy Pelosi, presidente da Câmara de Deputados dos EUA. A viagem foi encerrada sem medidas drásticas da China, que considera a ilha como seu território.  

Agora, as atenções se voltam ao cenário global de inflação e juros. Nesta quinta-feira (4), o Banco da Inglaterra deve seguir os passos de outras autoridades monetárias e subir a taxa básica em 0,5 ponto percentual. 

“O Bitcoin precisa de um catalisador específico cripto para desencadear um movimento significativo acima do nível de US$ 24.700”, escreveu em nota Edward Moya, analista de mercado sênior da corretora de câmbio Oanda. 

Publicidade

O BTC está muito longe de sua máxima de US$ 69 mil em novembro passado, mas grandes traders não desistem de apostar na maior criptomoeda. Pesquisa da formadora de mercado Cumberland publicada pelo CoinDesk revela que o Bitcoin pode subir para US$ 32 mil ainda este ano. Mas, antes disso, a moeda digital pode cair para US$ 16 mil em relação ao patamar atual. 

Fernando Ulrich, head de educação da Liberta Investimentos, afirmou em entrevista ao Valor que o Bitcoin está no caminho para ser o “ouro digital”, por ser mais testado, robusto e conservador que as demais criptomoedas.  

Outros destaques no mercado de criptomoedas 

A Riot Blockchain, uma das maiores mineradoras de Bitcoin do mundo, produziu 318 bitcoins em julho, 28% menos na comparação com o mesmo mês de 2021. A empresa teve que paralisar algumas operações para reduzir o consumo de energia em meio à onda de calor no Texas, segundo comunicado

A CoinSmart Financial está de olho em ativos baratos no Canadá, Europa e EUA durante o inverno cripto, que cria oportunidades de negócio, disse à Bloomberg o CEO Justin Hartzman. 

Já o CEO da Robinhood Markets descartou a possibilidade de a plataforma ser comprada pela gigante cripto FTX, informou o CoinDesk. Quando perguntado sobre o assunto em teleconferência sobre o balanço, Vlad Tenev respondeu que prefere a empresa se mantenha independente e tem US$ 6 bilhões em caixa que poderiam ser gastos em aquisições. 

Publicidade

Na quarta-feira (3), a Robinhood também disse que está sob investigação da Comissão de Valores Mobiliários dos EUA, a SEC, relacionada ao cumprimento de uma regra para vendas a descoberto, o chamado “short selling”. 

Acostumados a viver na economia mais estável da América Latina, chilenos têm recorrido às stablecoins para proteger ativos da recente inflação recorde e da crescente desvalorização do peso, mostra reportagem do CoinDesk. 

O MB lança na segunda-feira (8) o curso “Crypto Class – O Momento da Virada” com André Franco, chefe de análise da maior plataforma de ativos digitais da América Latina. O objetivo é explicar fundamentos e fornecer ferramentas para ajudar a navegar nas altas e baixas do mercado cripto. Para marcar o início do curso, Franco fará uma live no canal do YouTube do MB, também na segunda (8), às 19h. As inscrições podem ser feitas pelo site: https://campanhas.mercadobitcoin.com.br/cryptoclass 

Susan Miller desviou o olhar dos astros para a tecnologia blockchain. A astróloga, conhecida como pioneira de novas tecnologias, vai lançar sua primeira coleção de tokens não fungíveis (NFTs) com temas do zodíaco, de acordo com o CoinDesk. A coleção de 12 mil fotos de perfis digitais (PFP) será lançada na blockchain Polygon. 

Venture capital 

A Aglaé Venturesempresa de venture capital que tem entre os investidores o CEO da LVMH, Bernard Arnault, pretende lançar um fundo com foco em Web3, disseram três fontes ao The Block. O prazo para o lançamento ainda não foi definido, mas o valor do fundo é estimado entre 100 milhões e 110 milhões de euros. Os investimentos da Aglaé Ventures incluem gigantes como Airbnb, Netflix e Slack. 

O chefe global de criptoativos da PwC deixou a empresa para lançar um fundo de ativos digitais em Dubai. Henri Arslanian disse ao Financial Times que a “abertura” da indústria cripto de Dubai influenciou a decisão de estabelecer seu fundo Nine Blocks Capital Management na cidade do Golfo, onde recebeu aprovação regulatória provisória. 

Publicidade

A Binance escolheu Yi He, diretora de marketing e cofundadora da exchange cripto, para liderar a Binance Labs, o braço de incubação e capital de risco da empresa. A executiva ficará encarregada de supervisionar a estratégia global e operações diárias da Binance Labs, enquanto busca investimentos, destacou a corretora em comunicado. 

Regulação e CBDCs 

O candidato ao governo do estado de São Paulo Fernando Haddad (PT) reiterou sua visão crítica sobre os criptoativos e o uso do Bitcoin como moeda de curso legal. Durante evento realizado na sede da Fiesp na quarta-feira (3), Haddad disse que políticas como a de El Salvador podem causar “muitos problemas” e que a desregulamentação dos mercados financeiros levou à crise de 2008.  

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou um pedido de danos materiais e morais apresentado contra o Banco Original por um cliente, segundo o qual o bloqueio de sua conta teria causado perdas de mais de R$ 1 milhão em uma negociação de Bitcoin por meio da corretora Kraken. No período do bloqueio, o preço do Bitcoin passou de R$32.826,19 para R$35.701,62, o que teria afetado o investimento.  

Nos EUA, uma coalizão de senadores reintroduziu uma emenda para esclarecer a definição do termo “broker (corretor) para empresas cripto na nova lei de infraestrutura do país. A emenda isentaria mineradores, validadores de rede e outros provedores que não realizam atividades típicas de corretores, informou o The Block. 

Cibersegurança 

A corretora ZB.com, que se descreve nas redes sociais como “a mais segura do mundo”, parece ter sido alvo na quarta-feira (3) de um ataque de hackers que roubou US$ 4,8 milhões em criptomoedas de carteiras da plataforma, que havia suspendido saques na terça-feira (2). A exchange, antes chamada CHBTC.com, é uma das mais antigas do mercado e tinha sede na China antes de o país proibir transações cripto em 2017.   

Hackers “éticos” que protegeram fundos para a ponte Nomad durante a invasão que resultou em perdas de US$ 190 milhões na segunda-feira (1) devolveram quase US$ 9 milhões. Os fundos foram enviados para um endereço de carteira que pertence ao protocolo, de acordo com relatório da empresa de segurança PeckShield. 

A exchange cripto Coinbase Global pediu à Suprema Corte dos EUA que dois processos sejam enviados para arbitragem, de acordo com a Bloomberg. Juízes federais haviam negado o pedido em ambos os casos. Os processos estão relacionados a perdas com fraudes e transações com Dogecoin. 

Ishan Wahi, ex-gerente de produtos da Coinbase, se declarou inocente na quarta-feira (3) após ser acusado de fraude no potencial primeiro caso de uso de informações privilegiadas envolvendo criptomoedas, informou a Reuters

O ministro das Finanças da Índia, Pankaj Chaudhary, disse que a corretora de criptomoedas WazirX, comprada pela Binance em 2019, está sendo investigada por crimes de lavagem de dinheiro e violações das leis cambiais. De acordo com o The Economic Times, a WazirX supostamente teria facilitado a lavagem do equivalente a U$ 350 milhões (em rupias indianas) de origem ilícita em sua plataforma. 

Crypto Class, o momento da virada Curso exclusivo com André Franco, para aprender os fundamentos e as técnicas que te ajudam a navegar nas altas e baixas do mercado. Garanta sua vaga agora!

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Fundador do Telegram diz que manterá seus tokens do Notcoin até multiplicarem por 100

Fundador do Telegram diz que manterá seus tokens do Notcoin até multiplicarem por 100

Pavel Durov detém 1% do maior token de jogo deste ano, doado pelos jogadores. E ele não está vendendo seus Notcoin – não agora, pelo menos
Imagem da matéria: Caitlyn Jenner promove sua própria memecoin, mas comunidade suspeita de hackers

Caitlyn Jenner promove sua própria memecoin, mas comunidade suspeita de hackers

Memecoin de Caitlyn Jenner já vale quase US$ 30 milhões, mas o mercado ainda tem dúvidas sobre a veracidade do ativo
Imagem da matéria: Hacker da Gala Games devolve Ethereum após exploração de US$ 240 milhões

Hacker da Gala Games devolve Ethereum após exploração de US$ 240 milhões

Depois que 5 bilhões de tokens GALA foram cunhados e roubados na segunda-feira, a Gala Games recuperou parte dos fundos em ETH – e ainda está descobrindo o resto
Imagem da matéria: Câmara dos EUA aprova projeto de lei para frear criação de CBDC

Câmara dos EUA aprova projeto de lei para frear criação de CBDC

O apoio à legislação ficou bastante dividido entre os partidos, com muito menos apoio dos democratas em comparação com outros projetos de lei envolvendo criptomoedas neste mês