Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin (BTC) retoma alta com aposta da MicroStrategy; China vira principal mercado da Binance
Foto: Shutterstock

As maiores criptomoedas voltam a ganhar força nesta quarta-feira (2), enquanto as altcoins mostram desempenho misto em meio aos planos da MicroStrategy de comprar mais Bitcoin e à menor volatilidade de tokens de protocolos de empréstimo após o hack da plataforma Curve. 

Traders de ações ainda reagem ao corte da nota de crédito soberano dos EUA pela agência Fitch, que citou a deterioração fiscal do país, medida considerada “arbitrária” pelo governo americano e que derrubou ativos de risco depois do anúncio na terça-feira (1). 

Publicidade

O Bitcoin (BTC)que chegou a superar os US$ 30 mil com o impulso dado pela MicroStrategy, também sentiu o impacto da decisão da Fitch. Mas a maior criptomoeda se recupera e agora mostra alta de 1,6% nas últimas 24 horas, cotada a US$ 29.406,08, segundo dados do Coingecko.  

Em reais, o BTC avança 3,5%, para R$ 142.471,00, de acordo com o Índice do Portal do Bitcoin (IPB).   

O Ethereum (ETH) opera com ganho de 1%, negociado a US$ 1.852,42.  

As principais altcoins vão em direções opostas nesta quarta, entre elas BNB (-0,4%), XRP (+0,1%), Dogecoin (-0,4%), Cardano (+0,2%), Solana (-0,3%), Polkadot (+1%), Polygon (+1,2%), Shiba Inu (-1,1%) e Avalanche (-0,0%).  

Bitcoin hoje 

Investidores ainda acompanham as implicações do hack da plataforma de finanças descentralizadas Curve, que causou um rombo de US$ 52 milhões e a desvalorização do token nativo CRV, em baixa de 4,2% nas últimas 24 horas e perdas de 21,6% em sete dias.  

A Gauntlet, uma empresa especializada em gestão de risco, propôs suspender futuros empréstimos garantidos por CRV no protocolo de crédito cripto Aave para evitar um contágio maior no ecossistema DeFi. A comunidade Aave tem até 5 de agosto para votar o plano. 

Publicidade

No front macroeconômico, apesar da decisão da Fitch de rebaixar a classificação da dívida soberana dos EUA ter impactado os preços de ativos de risco, parte dos investidores não espera um efeito negativo sobre a economia americana no longo prazo, destaca análise da Bloomberg. 

Com isso, traders de criptoativos voltam as atenções para os planos da MicroStrategy, uma das maiores investidoras institucionais de Bitcoin. 

A desenvolvedora de software fundada por Michael Saylor teve lucro líquido de US$ 22,2 milhões no segundo trimestre, em comparação com um prejuízo de quase US$ 1,1 bilhão no mesmo período de 2022. 

Ao mesmo tempo, a companhia registrou perdas contábeis de US$ 24 milhões devido à desvalorização de suas reservas de BTC em relação ao preço pago pela criptomoeda, segundo o Decrypt

Publicidade

Ainda assim, a MicroStrategy comprou ainda mais Bitcoin no mês passado e contava com uma posição de 152.800 BTC até 31 de julho, o equivalente a cerca de US$ 4,4 bilhões.  

Em documento regulatório divulgado na terça-feira (1), a empresa disse que pretende levantar US$ 750 milhões com a venda de novas ações, e o capital pode ser usado para reforçar a aposta no BTC. 

“Pretendemos usar os recursos líquidos desta oferta para fins corporativos gerais, incluindo a aquisição de Bitcoin e capital de giro e, sujeito às condições de mercado”, de acordo com o documento. 

Investidores de longo prazo costumam resistir às turbulências para maximizar os lucros, embora a volatilidade do Bitcoin agora seja mais baixa que a do S&P 500, do ouro e ações de tecnologia, mostram dados da Bloomberg.  

Planos da Coinbase para a rede Lightning 

A Coinbase planeja incorporar a rede Lightning do Bitcoin para oferecer mais opções de pagamento em criptomoedas para usuários globais, informou o CoinDesk

Publicidade

“Estamos buscando a melhor forma de adicionar o Lightning. Não é trivial, mas acho que vale a pena fazer. Sou totalmente a favor dos pagamentos em Bitcoin”, disse o CEO da Coinbase, Brian Armstrong, nesta quarta-feira (2). “Vamos construí-lo juntos”, acrescentou, em resposta a um tuíte de Jack Dorsey, fundador da empresa de serviços financeiros Block. 

Enquanto isso, a varejista de videogames americana GameStop pretende remover seu suporte para carteiras cripto. A empresa, que lançou o serviço há apenas um ano, citou o panorama regulatório nos Estados Unidos, segundo o CoinDesk

“Devido à incerteza regulatória do espaço cripto, a GameStop decidiu remover suas carteiras iOS e Chrome Extension do mercado em 1º de novembro de 2023”, de acordo com o site da empresa. Os clientes terão acesso até 1º de outubro. 

E com o objetivo de harmonizar as regras globais para os criptoativos, a Índia, que atualmente preside o G20, publicou nesta quarta sugestões com sua posição oficial para regular o mercado. 

Mercado da Binance na China 

Reportagem do Wall Street Journal revela que a China é o maior mercado da Binance, apesar das transações com criptoativos serem ilegais no país desde 2021. 

Os usuários da Binance, maior exchange cripto do mundo, negociaram ativos relacionados a criptomoedas no valor de US$ 90 bilhões em um único mês na China, de acordo com o WSJ, que citou números internos e funcionários atuais e antigos da corretora. 

Publicidade

Com esse volume de transações, a China responderia por 20% do total global, excluindo negociações feitas por um subconjunto de grandes traders. A reportagem não especifica o mês em que as operações foram realizadas. 

Procurado pelo jornal, o banco central da China não respondeu a um pedido de comentário. 

“O site Binance.com está bloqueado na China e não está acessível para usuários residentes na China”, disse um porta-voz da Binance, sem fazer mais comentários – embora não revele como a empresa lida com sistemas de VPN, que disfarçam o local de origem do usuário.  

Em meio à polêmica, a Binance segue sua expansão na Ásia, com o planejado retorno ao Japão com a oferta de 34 tokens, mais do que qualquer rival no mercado japonês, de acordo com o The Block

Outros destaques das criptomoedas  

Sam Bankman-Fried, fundador da FTX, exchange cripto que colapsou no ano passado, disse na terça-feira (1) que nunca tentou intimidar testemunhas que devem depor em seu julgamento agendado para outubro, e que por isso não há razão para prendê-lo, conforme a Reuters. Acusado de fraude e desvio de fundos de clientes, Bankman-Fried atualmente está em prisão domiciliar. 

Em carta ao juiz distrital Lewis Kaplan em Manhattan, Bankman-Fried disse que os promotores descaracterizaram suas intenções ao fornecer a um repórter do New York Times os diários de Caroline Ellison, ex-CEO da Alameda Research, que deve testemunhar contra ele. 

A equipe por trás do projeto Ordinals anunciou na terça-feira uma organização sem fins lucrativos para apoiar o desenvolvimento do protocolo para “inscrever” ativos semelhantes aos tokens não fungíveis (NFTs) na blockchain do Bitcoin. As inscrições já superam 21 milhões de registros até o momento, informou o Decrypt

A ONG Open Ordinals Institute terá sede na Califórnia e apoiará o desenvolvimento do protocolo financiando seu principal grupo de desenvolvedores. 

VOCÊ PODE GOSTAR
Celular com logotipo da BInance

Binance lista nova criptomoeda com Real (BRL) que já subiu 30%

O token Lista DAO decolou até 30% na madrugada desta sexta (21)
Imagem da matéria: Paradigm levanta US$ 850 milhões para investir em projetos cripto em estágio inicial

Paradigm levanta US$ 850 milhões para investir em projetos cripto em estágio inicial

A Paradigm, a proeminente empresa de capital de risco cripto, levantou US$ 850 mi para seu mais recente fundo voltado para projetos nascentes em várias categorias
Celular com logotipo da BInance

Binance vai distribuir US$ 2 milhões para tentar apaziguar traders deixados de fora de airdrop

Iniciativa ocorre após usuários antigos do ZKsync Era terem ficado de fora da distribuição de tokens
moeda cardano ADA com graficos ao fundo

Charles Hoskinson diz que hard fork ‘Chang’ será marco na história da Cardano

Agendado para este mês de junho, a atualização Chang levará a Cardano para a versão 9.0