Imagem da matéria: Manhã cripto: Bitcoin (BTC) recua, mas volta para faixa de US$ 23 mil à espera de dado de inflação nos EUA
Foto: Shutterstock

Investidores de criptomoedas e do mercado acionário negociam com cautela antes da divulgação de dados de inflação nos EUA nesta quarta-feira (10), que serão cruciais para determinar o rumo dos juros no país e o desempenho de ativos de risco.  

O Bitcoin (BTC) recua 1,8% nas últimas 24 horas, cotado a US$ 23.059, mostram dados do CoinGecko. O Ethereum (ETH) tem queda de 1,8%, negociado a US$ 1.696. 

Publicidade

No Brasil, o Bitcoin amanhece em baixa de 1,9%, cotado a R$ 119.085, segundo o Índice do Portal do Bitcoin (IPB).   

As principais altcoins seguem o movimento negativo como Binance Coin (-0,4%), XRP (-2,2%), Cardano (-2,3%), Solana (-3,6%), Polkadot (-3%), Dogecoin (-4,3%).

Alavanche rema contra a maré e sobe 2,1%, assim como Shiba Inu (+0.8%).

token da Celsius, plataforma de empréstimos cripto em recuperação judicial, cai 2,3% nas últimas 24 horas, mas mostra valorização de quase 52% em sete dias, em meio à pressão compradora de investidores para impulsionar a moeda. 

Bitcoin hoje 

A maioria dos analistas espera uma desaceleração dos preços ao consumidor nos EUA em julho, para 8,7%, em relação aos 9,1% de junho, o maior nível em quatro décadas. O relatório do IPC dos EUA será divulgado nesta quarta às 9h30 de Brasília. 

“O número de inflação de hoje pode definir o tom dos mercados pelo resto do mês”, disse à Bloomberg Craig Erlam, analista de mercado sênior da Oanda. “Um número abaixo do esperado pode ser um forte vento favorável para os mercados, enquanto qualquer coisa em torno ou acima da leitura de junho poderia desencadear uma grande reversão de risco”, com o debate focado no aumento de 0,75 ou 1 ponto percentual na próxima reunião do Federal Reserve, destaca. 

Publicidade

Temporada de balanços 

Além da inflação, investidores também acompanham a divulgação de resultados corporativos.A Coinbase Global registrou prejuízo recorde de US$ 1,1 bilhão no segundo trimestre, de acordo com balanço divulgado na terça-feira (9). A receita caiu mais de 60%, para US$ 808,3 milhões, e ficou abaixo do esperado por analistas.  

A desvalorização das moedas digitais atingiu os resultados da maior corretora cripto dos EUA, cujo volume de transações também foi menor do que as projeções. As ações da Coinbase chegaram a cair 5% após o fechamento do mercado e acumulam baixa em torno de 65% desde janeiro. 

Se não bastassem os resultados negativos, um acionista da Coinbase está buscando indenização de nove executivos da empresa e membros do conselho em nome da exchange sobre supostas irregularidades relativas à abertura de capital da companhia. 

Já a XP driblou o mercado baixista e conseguiu elevar a receita em 13% entre abril e junho, para R$ 3,61 bilhões, um recorde. Em videoconferência com investidores, Bruno Constantino, diretor financeiro da XP, disse que, apesar do aumento das despesas, apostas em novos negócios como criptomoedas “vão valer a pena e nos dar opções para a perpetuidade do crescimento”, informou a Bloomberg Línea. 

Publicidade

A CSU Digital, que registrou lucro líquido recorde de R$ 17,7 milhões, espera que sua plataforma de “banking as a service” (BaaS) seja lançada nos próximos meses, com o objetivo de “ser um braço importante de crescimento”, disse ao Valor Pedro Alvarenga, diretor de relações com investidores. A empresa lançou mais produtos para o ecossistema de meios de pagamentos, que incluem o Pix parcelado e o pagamento de contas via criptomoedas.  

Outros destaques no mercado

O Mercado Livre, maior empresa de comércio eletrônico da América Latina em valor de mercado, planeja expandir sua ferramenta de negociação de criptomoedas em toda a região após o início bem-sucedido no Brasil, disse o diretor de fintech Osvaldo Giménez em entrevista recente ao El País. Procurada pelo CoinDesk, a empresa não especificou quais países serão priorizados na estratégia. 

Com a expectativa de bifurcação da rede Ethereum, a Circle, emissora da stablecoin USDC, anunciou sua intenção de apoiar totalmente a migração do ETH para uma blockchain validada pelo sistema de prova de participação (PoS, na sigla em inglês). A tão aguardada Fusão está prevista para 19 de setembro. 

De olho em mais usuários, a exchange cripto FTX  fechou uma parceria com o Reddit e Arbitrum. O acordo, por meio da FTX Pay, vai permitir que usuários comprem Ethereum para pagar as chamadas “taxas de gas” ou transações de tokens “Community Points” do Reddit. Os tokens Community Points, lançados em 2020, permitem que usuários ganhem recompensas e interajam com a rede social. 

A corretora online americana Interactive Brokers disse na terça-feira (9) que clientes agora podem negociar criptomoedas 24 horas por dia, 7 dias por semana, além de incluir novos tokens, informou o Wall Street Journal. O serviço é oferecido em parceria com a Paxos Trust Company, emissora da stablecoin Pax Dollar. 

Publicidade

A Kryptovault, mineradora de Bitcoin da Noruega, decidiu transferir as operações para o norte do Círculo Polar Ártico, onde a eletricidade é muito mais barata, disse à Bloomberg o CEO Kjetil Hove Pettersen. 

Crise de liquidez 

A Nuri, uma das maiores exchanges de criptomoedas da Alemanha, registrou pedido de insolvência em meio às condições turbulentas de mercado. Clientes ainda poderão fazer saques, disse a startup em comunicado. O processo de insolvência não afetará depósitos, fundos de criptomoedas ou investimentos “Nuri Pot”, de acordo com a empresa. 

A exchange cripto CoinFlex entrou com pedido de reestruturação nas Ilhas Seychelles como parte dos planos para melhorar sua situação financeira, informou o CoinDesk. Agora, a CoinFlex, que suspendeu saques em junho, busca aprovação dos credores para dar andamento ao processo. 

Operadores do mercado de crédito americano miram um novo nicho: usuários com criptomoedas bloqueadas em plataformas como Voyager Digital e Celsius Network. A venda dos tokens pode representar um desconto de 75%, mas deixa as firmas de Wall Street encarregadas de recuperar os recursos, conforme a Bloomberg

Reguladores canadenses trabalham em conjunto com autoridades dos EUA para investigar o impacto do colapso multibilionário da plataforma de crédito cripto Celsius, segundo o Financial Post

Regulação e CBDCs 

Após a batalha no campo do 5G, a Huawei prepara uma expansão por meio da tecnologia blockchain de serviços financeiros em nuvem, que darão suporte às versões criptografadas de moedas nacionais, como o real digital, disse Ron Raffensperger, diretor de tecnologia de serviços financeiros da Huawei Technologies, em entrevista ao Valor. 

Publicidade

A China continua sua investida contra o mercado de criptoativos. Na terça-feira (9), o governo anunciou o bloqueio de sites e contas em redes sociais que abordam o tema. De acordo com a conta do jornalista Colin Wu no Twitter, reguladores chineses fecharam 105 sites envolvidos na negociação e mineração de criptomoedas, bem como 12 mil contas no Weibo e Baidu, principais redes sociais do país. 

Enquanto isso, o Irã, um país sancionado pelos EUAfez uma importação no valor de US$ 10 milhões e pagou em criptomoedas. A operação foi anunciada por Alireza Peyman-Pak, chefe da Organização de Promoção do Comércio, em seu perfil no Twitter. 

Cibersegurança 

O apresentador americano Jimmy Fallon, o CEO da Coinbase, Brian Armstrong, e o youtuber Logan Paul estão entre as celebridades que na terça-feira (9) receberam pequenas quantidades de Ethereum de um usuário anônimo do Tornado Cash, serviço de mixing de criptomoedas sancionado pelo Tesouro dos EUA. 

Para alguns críticos, a medida do governo americano fere os princípios da indústria cripto. “Não acredito que foi apropriado de forma alguma”, disse ao Decrypt Preston Van Loon, desenvolvedor principal do Ethereum. “Tornado Cash é uma ferramenta, como qualquer outra, que pode ser usada para o bem e para o mal.” 

A proibição dos serviços do Tornado é um “vívido exemplo” entre o que o mercado de criptoativos quer e a realidade, destaca análise de Emily Nicolle, da Bloomberg, segundo a qual a medida mostrou que autoridades podem barrar um serviço descentralizado. 

Hackers teriam roubado aproximadamente US$ 570 mil do protocolo de finanças descentralizadas (DeFi) Curve.Finance, de acordo com uma captura de tela compartilhada no Twitter na terça-feira (9), segundo o CoinDesk

Metaverso, Games e NFTs 

O Grupo Natalia Beauty anunciou na terça-feira (9) a criação de sua própria moeda digital, o Flow Cash, que poderá ser usada no pagamento de procedimentos estéticos, informou a Exame. Com foco em tratamentos para pele, sobrancelhas, cílios e boca, o grupo tem 10,4 milhões de seguidores no Instagram e clientes como Jade Picon e Sasha. 

A SoFi Technologies lançou um fundo de índice (ETF) temático focado na Web 3, expandindo o acesso a investimentos em cripto e blockchain para sua base de usuários, formada em grande parte pela geração Z e millenials, de acordo com o Wall Street Journal

E o Banco da Inglaterra envia um alerta: reguladores precisam estar cientes dos riscos sistêmicos representados pelo possível aumento do uso do metaverso e se prepararem para mitigar esses riscos. 

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem de Glaidson Acácio dos Santos, mais conhecido como Faraó do Bitcoin

Gilmar Mendes mantém prisão de Glaidson Acácio dos Santos, criador da GAS Consultoria

A defesa do ‘Faraó do Bitcoin’ alegou problemas psiquiátricos e uso de medicamento controlado, além de questionar a jurisdição acerca da competência para os processos
martelo de juiz com logo da binance no fundo

Nigéria retira acusações contra executivos da Binance, mas mantém exchange na mira

Dois executivos da Binance foram afastados das acusações de evasão fiscal por uma agência nigeriana, mas ainda enfrentam um caso de lavagem de dinheiro
Imagem da matéria: Hacks de criptomoedas roubaram US$ 19 bilhões desde 2011 e atividades ilegais seguem crescendo

Hacks de criptomoedas roubaram US$ 19 bilhões desde 2011 e atividades ilegais seguem crescendo

Relatório da Crystal Intelligence mostra que em 13 anos ocorreram 785 casos de roubos de criptomoedas, no valor total de US$ 19 bilhões
Letras que formam a sigla ETF próximas a uma moeda dourada de Bitcoin (BTC)

ETFs de Bitcoin têm novo dia de saídas com fluxo de US$ 226 milhões liderado pela Fidelity

O único ETF de Bitcoin a ter entrada líquida na quinta foi o IBIT da BlackRock, o maior em valor patrimonial líquido, com fluxo positivo de US$ 18 milhões