Imagem da matéria: Manhã cripto: Bitcoin (BTC) e Ethereum (ETH) em queda acentuada com temores de guerra na Ucrânia; Terra (LUNA) derrete
Foto: Shutterstock

O Bitcoin (BTC) opera em queda de 5,3% nesta sexta-feira (18), negociado a US$ US$ 40.939 nas últimas 24 horas, segundo dados do CoinGecko. Ethereum (ETH) também é negociado com perdas, em baixa de 4,4%, cotado a US$ 2.933.

Em sete dias, o BTC acumula desvalorização de 6,1%, tendência é seguida pelo ETH, que recua 4,6% no período. 

Publicidade

O Bitcoin e outras altcoins acompanham o movimento das ações e outros ativos de risco, mais uma vez impactados pelo risco de invasão da Ucrânia pela Rússia. A possibilidade de uma saída diplomática para o impasse levou um banho de água fria com relatos de um ataque de separatistas apoiados pelos russos na região leste da Ucrânia.  

Segundo o New York Times, moradores nos arredores da linha de frente da Ucrânia buscaram abrigo na quinta-feira, quando trocas de tiros de artilharia com separatistas apoiados pela Rússia atingiram seu nível mais intenso dos últimos meses, confirmando temores do Ocidente de que o governo russo possa usar os combates como pretexto para invadir o território ucraniano. 

No Brasil, o Bitcoin, a criptomoeda com maior capitalização de mercado, era cotado a R$ 213.165, em queda de 4,6%, segundo o índice do Portal do Bitcoin

“A situação geopolítica na Europa e Ucrânia tem um impacto material”, disse Barbara Matthews, fundadora e CEO da BCMStrategy, em entrevista à Bloomberg. “Mas acho que ainda subestimamos o quanto a política monetária continua a gerar incerteza e volatilidade nos mercados.” 

Nas últimas 24 horas, mais de 10.000 BTC migraram para exchanges spot, de acordo com dados compilados pela CryptoQuant. O movimento poderia sinalizar uma preferência entre os operadores de vender tokens em vez de mantê-los nas carteiras digitais, segundo o CoinDesk

Publicidade

Entre as principais criptomoedas em valor de mercado, desvalorizações para todos os lados: Shiba Inu (SHIB) (-6,1%), XRP (-2,1%), Cardano (-2,3%), Solana (-3,5%), Avalanche (-4,5%), Terra (-7,3%), Polkadot (-3,6%) e Dogecoin (-3,9%). 

Outros destaques 

Novo fundo da Sequoia Capital:  A empresa de capital de risco está lançando um fundo focado em criptomoedas, seu primeiro específico para um setor desde sua fundação em 1972. O Sequoia Crypto Fund investirá principalmente em “tokens líquidos” – os já listados em exchanges de criptomoedas e ainda não listados -, disse Shaun Maguire, sócio da Sequoia Capital, em entrevista ao The Block. O fundo terá capital de US$ 500 milhões a 600 milhões e faz parte do Sequoia Capital Fund. 

Avaliada em US$ 9 bilhões: A Circle, empresa por trás da stablecoin USDC, dobrou seu valor após um novo acordo com a empresa de cheque em branco Concord Acquisition Corp. As duas empresas anunciaram os planos de fusão em julho, em acordo que na época avaliava a Circle em apenas US$ 4,5 bilhões. O ajuste reflete melhorias nas perspectivas financeiras e na posição competitiva da empresa, noticiou a CNBC. 

Doações para Petrópolis: O setor de criptomoedas se reuniu para arrecadar apoio às vítimas da chuva e de deslizamentos em Petrópolis. Grandes empresas de compra e venda de moeda digital, como Mercado Bitcoin, Foxbit, Coingoback, OWS e Timeslab, fazem parte da iniciativa, segundo o Painel S.A. da Folha

Publicidade

Regulação e CBDCs 

FBI x crimes cripto: O Departamento Federal de Investigação dos Estados Unidos lançou a “Unidade de Exploração de Ativos Virtuais” com foco em crimes relacionados a criptomoedas, informou o Departamento de Justiça (DOJ) na quinta-feira (17). A equipe especializada em cripto vai fornecer análise, suporte e treinamento para o FBI, além de inovar ferramentas de combate a futuras ameaças, conforme o Portal do Bitcoin

Sinal verde da Ucrânia: O Congresso Nacional da Ucrânia aprovou por unanimidade na quinta-feira a Lei de Ativos Virtuais que regula o mercado de criptomoedas e legaliza ativos como bitcoin, segundo anúncio no site do governo. O projeto de lei havia sido barrado em outubro passado pelo presidente Volodymyr Zelenskiy e só foi aprovado agora após sofrer alterações no texto, noticiou o Portal do Bitcoin

Cripto nos Emirados Árabes Unidos: O país planeja liberar licenças federais para provedores de serviços de ativos virtuais (VASPs, na sigla em inglês) até o fim do primeiro trimestre, medida que tem o objetivo de atrair algumas das maiores empresas de criptomoedas do mundo, uma autoridade do governo disse à Bloomberg. A Binance está entre as exchanges com planos de se expandir nos Emirados. 

Regulamentação no Canadá: Carolyn Wilkins, ex-número 2 do Banco do Canadá, argumentou que o país precisa de um marco regulatório para tornar as criptomoedas “tão seguras quanto nosso sistema financeiro”. Em artigo de opinião no Financial Post, Wilkins disse que o espaço cripto está avançando de maneira amplamente não regulamentada, com poucas proteções para a estabilidade financeira, investidores e integridade do mercado. Wilkins agora faz parte do comitê de política financeira do Banco da Inglaterra. 

Binance nos EUA: O braço americano da Binance contratou uma nova diretora de conformidade: Tammy Weinrib, que ocupou o cargo de vice-presidente do departamento de compliance de crimes financeiros do Société Générale, segundo o Wall Street Journal. Weinrib vai coordenar e desenvolver os programas de integração e de combate à lavagem de dinheiro da empresa, além de ser a ponte com reguladores e autoridades nos EUA. 

Publicidade

Segurança 

Sheik do Bitcoin’: Uma operação da Polícia Civil apreendeu na quinta-feira (17) um carro de luxo avaliado em R$ 3 milhões de um jovem que se apresenta como ‘Sheik do Bitcoin’ nas redes sociais. Além de um McLaren, os policiais apreenderam uma Range Rover e um Ford Ka. A defesa de Gabriel Rodrigues disse que ele não chegou a ser detido, informou o Portal do Bitcoin.

Metaverso, Games e NFTs 

Universal Music entra em NFTs: A empresa fechou uma parceria com a plataforma NFT Curio para desenvolver coleções de tokens não fungíveis para suas gravadoras e artistas, conforme o Estado de S. Paulo. A Curio também servirá como um ponto de venda online onde os fãs podem comprar NFTs oficialmente licenciadas a partir de março com colaboração do Capitol Music Group e do cantor e compositor britânico Calum Scott. 

Tecnologias do futuro: A SingularityU Brazil lança a segunda edição do Xtech Views, relatório anual de tendências que mapeia cenários futuros considerando também o mercado brasileiro. As análises abordam temas como Economia Exponencial, Inteligência Artificial, Computação Quântica, Metaverso, Saúde Mental e Sustentabilidade, de acordo com a Forbes

Esportes 

Fan tokens da Champions League: A Socios fechou nesta semana um acordo de parceria e licenciamento com a UEFA para a Liga dos Campeões. A empresa, que já possui inúmeros acordos com times que participam de competições da UEFA, incluindo o Paris Saint-Germain, planeja lançar tokens suplementares gratuitos para torcedores que já possuem esses ativos, informou o Portal do Bitcoin

VOCÊ PODE GOSTAR
Joe Biden posa para foto

Biden expulsa mineradora cripto chinesa de área próxima a base militar: “Risco de espionagem”

O governo afirma que a MineOne possui equipamentos especializados de origem estrangeira potencialmente capazes de facilitar atividades de vigilância e espionagem
Imagem da matéria: Trader transforma US$ 27 mil em US$ 2 milhões ao antecipar alta da GameStop

Trader transforma US$ 27 mil em US$ 2 milhões ao antecipar alta da GameStop

O súbito ressurgimento das ações “memes” nesta semana rendeu uma pequena fortuna aos traders que nunca desistiram das loucuras de 2021
Hacker com capuz sorri no escuro

“Fizemos besteira”: Gala Games confirma hack de de R$ 1,2 bilhão

Um invasor usou um exploit para cunhar e roubar 5 bilhões de tokens da Gala Games (GALA)
Imagem da matéria: As criptomoedas estão se tornando políticas – e a Consensys quer ficar fora disso

As criptomoedas estão se tornando políticas – e a Consensys quer ficar fora disso

Enquanto outras empresas gastam milhões em candidatos pró-cripto, Joe Lubin diz ao Decrypt que a Consensys resistiu ao impulso