Imagem da matéria: Manhã Cripto: Binance suspende uso de dólares em transações nos EUA e Cardano e Solana rebatem SEC
Binance suspende uso de dólares nos EUA (Foto: Shutterstock)

As maiores criptomoedas por enquanto operam no azul nesta sexta-feira (9) em meio à investida regulatória contra a Binance e Coinbase nos EUA. 

No mercado de renda variável, os índices futuros apontam uma abertura em baixa das bolsas em Nova York, depois de o índice S&P 500 entrar em um novo “bull market”, ou um ciclo de alta. 

Publicidade

Investidores globais também ficam de olho no cenário político dos EUA, com o indiciamento do ex-presidente Donald Trump no caso que investiga o uso de documentos confidencias, o que pode mudar o rumo da disputa presidencial na maior economia do mundo. 

O Bitcoin (BTC) registra alta de 0,9% nas últimas 24 horas, para US$ 26.645, segundo dados do Coingecko.  

Em reais, o BTC sobe 0,58%, cotado a R$ 132.085, de acordo com o Índice do Portal do Bitcoin (IPB).   

Alguns analistas apontam a resiliência da maior criptomoeda diante das recentes investigações contra grandes exchanges. 

“É difícil imaginar uma situação regulatória mais difícil enfrentada pela indústria de ativos digitais nos Estados Unidos do que o que está acontecendo agora”, escreveu Andrew Lawrence, cofundador e CEO da plataforma de custódia on-chain Censo, em e-mail ao CoinDesk, acrescentando que essa força pode ser explicada pela maior adoção de criptoativos fora dos EUA. 

O Ethereum (ETH) mostra estabilidade, com ligeiro ganho de 0,2%, negociado a US$ 1.846. 

Entre os destaques da segunda maior criptomoeda, a rede Optimism anunciou que agora o Ethereum é usado como token nativo da blockchain, assim como o OPT, de acordo com o CoinDesk. Desenvolvedores da rede Ethereum também finalizam os últimos detalhes para a próxima atualização da rede, chamada “Dencun”. 

Publicidade

As principais altcoins vão em direções opostas, com destaque para BNB (-1%), XRP (+2,8%), Dogecoin (+0,4%), Polygon (+1,2%), Polkadot (+0,7%), Avalanche (+0,9%) e Shiba Inu (+0,2%).   

Cardano (-2%) e Solana (+2,4%) também operam em direção contrária nas últimas 24 horas. Tanto o desenvolvedor da Cardano quanto a Fundação Solana contestaram a decisão da SEC, a CVM dos EUA, de definir os tokens nativos das blockchains como valores mobiliários. 

Operações da Binance no EUA 

A Binance, maior exchange cripto do mundo, está cada vez mais acuada nos EUA. 

A filial americana da corretora disse na quinta-feira (8) que vai suspender negociações em sua plataforma com dólares americanos, devido à decisão de parceiros bancários de não trabalhar com a empresa após o anúncio dos processos contra a Binance e seu CEO, Changpeng “CZ” Zhao, segundo o New York Times

A decisão, que já pode entrar em vigor em 13 de junho, representa um revés para a Binance.US, já que uma das principais funções de uma exchange é permitir que os usuários convertam moeda fiduciária em criptmoedas como Bitcoin ou Ethereum. A Binance não poderá mais oferecer esse serviço nos EUA, de acordo com o New York Times. 

Publicidade

Em uma mensagem aos clientes, a Binance.US disse que está “tomando as ações necessárias à medida que fazemos a transição para uma exchange somente de cripto”. Nos últimos dias, disse a empresa, seus parceiros bancários sinalizaram que não facilitarão mais a movimentação de dólares dentro e fora da plataforma da Binance.US. 

O anúncio vem na esteira do processo da SEC que acusa a Binance e CZ de uso indevido de fundos dos clientes e de mentir aos reguladores.  

Representantes da Binance não responderam de imediato a um pedido de comentário do NYT. 

CPI das Pirâmides 

No Brasil, o deputado federal Aureo Ribeiro (Solidariedade-RJ) afirmou durante o evento Criptorama em Brasília que pretende pedir que a CPI das Criptomoedas — que deve ser instalada pelo Congresso na próxima semana — vote a convocação da Binance, além dos líderes das principais pirâmides financeiras do Brasil, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e até a supermodelo Gisele Bündchen, para dar explicações as recentes polêmicas no mercado cripto. 

O deputado foi o autor do requerimento para criação da Comissão Parlamentar de Inquérito e é cotado como o nome mais forte para a presidência da Comissão. 

Ribeiro também disse que vai solicitar a convocação dos responsáveis pelas maiores pirâmides financeiras do Brasil, citando nominalmente a Atlas Quantum e a GAS Consultoria, criada por Glaidson Acacio dos Santos, também conhecido como o Faraó do Bitcoin. 

Publicidade

Ativos da FTX 

O juiz que supervisiona o processo de recuperação judicial da FTX nos EUA disse na quinta-feira (8) que os tribunais americanos é quem devem ter poder de decisão sobre os ativos em disputa da exchange cripto de modo a reembolsar os clientes, segundo a Reuters.  

Os administradores da FTX Digital Markets, subsidiária da corretora nas Bahamas, tentam seguir uma decisão da Suprema Corte do arquipélago para assumir a supervisão dos ativos de clientes internacionais. 

Mas Dorsey afirmou em audiência que os EUA vão manter a autoridade sobre os cerca de US$ 7 bilhões em ativos recuperados, independentemente de uma decisão do tribunal das Bahamas. Ambos os tribunais teriam que assinar antes de qualquer transferência de ativos dos EUA para as Bahamas, disse Dorsey. 

“Não vai para a FTX Digital até que eu diga que vai para a FTX Digital”, disse Dorsey. “Então, o que estamos ganhando ao ter dois processos paralelos em dois tribunais separados?”. 

Dorsey ainda não emitiu uma decisão oficial sobre a questão, que deve ser divulgada nesta sexta-feira (9). 

Outros destaques das criptomoedas  

O Google Cloud, unidade de computação em nuvem do gigante de buscas, vai reembolsar clientes em até US$ 1 milhão relativos a custos resultantes do uso não autorizado de suas contas para a mineração de criptomoedas, de acordo com o New York Times. A proteção será disponibilizada para usuários que se inscreverem no nível premium do “Security Command Center”, o serviço centralizado de vulnerabilidades e relatórios de ameaças do Google Cloud, segundo comunicado. 

Instagram, YouTube, TikTok e Twitter podem enfrentar ações regulatórias depois de o BEUC, um grupo de defesa do consumidor europeu, apresentar uma queixa à Comissão Europeia e às autoridades alegando que as plataformas online supostamente facilitam a promoção enganosa de criptoativos, informou a Reuters

Publicidade

No mês passado, a UE aprovou um amplo conjunto de regras para o mercado de ativos, cujo marco foi publicado nesta sexta no Diário Oficial do bloco. Na queixa, o BEUC afirma que a proliferação de anúncios enganosos de criptoativos nas plataformas de redes sociais constitui uma prática comercial injusta, pois expõe consumidores a prejuízos financeiros significativos. 

Quem for ao show de Nando Reis e Arnaldo Antunes no Rio de Janeiro, em 12 de junho, poderá comprar um token não fungível (NFT) que permitirá acesso a itens e experiências exclusivas, conforme a Exame, como um convite personalizado e um verso de uma música manuscrito. O evento será o primeiro a implementar a solução da startup TOKS para NFTs no mercado de entretenimento e esportes. 

VOCÊ PODE GOSTAR
Vitalik Buterin posa para foto na ETH Taipei 2024

Criador do Ethereum, Vitalik Buterin explica qual é o erro dos tokens de celebridades

O veterano do setor cripto criticou a captação de dinheiro pelas estrelas, afirmando que o hype pode ser aproveitado para fazer o bem
camisas das seleções da itália e Argentina

Socios.com lança colecionáveis que celebram o legado das seleções da Itália e Argentina

Para participar do ‘The Fabric of Champions’, os detentores de fan tokens podem bloquear seus ativos até 15 de julho
Imagem da matéria: Bitcoin e Ethereum sobem após dado de inflação e antes de decisão de juros nos EUA

Bitcoin e Ethereum sobem após dado de inflação e antes de decisão de juros nos EUA

As principais criptomoedas, como o Bitcoin, sobem nesta quarta após o indicador de inflação dos EUA mostrar que os preços subiram menos que o previsto em maio
Homem preso com as mãos algemadas nas costas

Polícia do Rio prende suspeitos de integrar quadrilha especializada em golpes com criptomoedas

Operação ‘Investimento de Araque’ foi deflagrada nos estados do Rio, Amazonas e Pará; suspeitos movimentaram mais de R$ 15 milhões em dois anos